Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

12 records were found.

Menopausa
Efectuou-se um ensaio sobre o efeito da aplicação de uma citocinina benziladenina (BAP), nas concentrações de 200,100,50 e 0mg/l e ainda uma testemunha sem tratamento, para estimular o desenvolvimento de gomos interfasciculares em plantas de Pinus pinaster Ait. com um ano e meio de idade. No delineamento experimental utilizaram-se blocos casualizados completos com 5 repetições por tratamento. Um mês após o término do ensaio o tratamento com maior concentração de BAP revelou-se mais eficaz (P<0,001) com 47,5+-3,96 gomos formados em média por planta, relativamente à testemunha que formou 2,3+-0,67 gomos em média por planta. Os tratamentos com a BAP não foram tóxicos para as plantas mas foram inibitórios do alongamento dos rebentos.
Neste artigo pretende-se revisitar a Beira Interior com a ajuda de alguns números, que possam situá-la do ponto de vista da sua estrutura sócio-económica e ainda relativamente à floresta, nas suas potencialidades e actuais restrições. Conclui-se com uma breve referência a essa nova estrutura, que é a ESACB, especialmente o Curso de Produção Florestal.
Documento apresentado no I Congresso Florestal Hispano-Luso que decorreu de 21 a 27 de Junho de 1997, em Pamplona.
Cherry laurel is very common as an ornamental plant, due to the large glossy leaves, fast growth, and shade and hedging tolerance. The influence of different indol-3- butiric acid (IBA) concentrations (1,000, 2,500, 5,000 and 7,500 ppm) was evaluated in early spring 2007. The data was gathered one month after bench cutting plantation. The parameters measured and analyzed were the number of rooted cuttings, the number of cuttings with callus formation and mortality, the mean number of roots (NR) and the mean main root length (MRL), per rooted cutting. The IBA application influenced the rooting percentage, the NR and the MRL, but the results were IBA concentration independent. In P. laurocerasus rooting ranged from 67% and 80%, when IBA was applied, values significantly superior to 37% of rooted cuttings in the control. The highest NR and MRL values were found in the treatment with 7,500 ppm IBA (27.2 of roots per cutting) and with 1,000 ppm IBA (MRL was 24.76 mm), respectively. Significantly lower values were obtained in the control: 5.56 NR and 9.4 mm of MRL. The IBA application significantly increased rooting, the NR and the MRL, with cuttings planted early in Spring, but the parameters were IBA concentration independent.
O azevinho é uma espécie muito vulnerável devido à sua utilização para efeitos decorativos e à degradação crescente do seu habitat natural e além disso a germinação da semente é lenta. Como a estacaria pode vir a constituir uma via alternativa para a propagação nesta espécie, efectuou-se um ensaio com estacas terminais de azevinho no início do mês de Abril. Os tratamentos incluíram a realização de uma ferida longitudinal e a aplicação de IBA em solução à base das estacas durante 1 segundo, em três concentrações diferentes 2.500, 5.000 e 10.000 ppm. Os tratamentos que incluíam IBA e ferida provocaram as percentagens de enraizamento mais elevadas. Ao fim de dois meses obtiveram-se 97 e 93 % de enraizamento nos dois tratamentos com concentrações mais elevadas de IBA (5.000 e 10.000 ppm, respectivamente), sem diferenças significativas entre si, mas valores significativamente superiores ao obtido no outro tratamento com auxina (73%). O número médio de raízes primárias formadas por estaca enraizada, nos tratamentos com auxina foi significativamente superior ao obtido nos tratamentos sem auxina.
No ano de 2001, efectuaram-se ensaios com estacas terminais provenientes de uma cameleira de origem seminal, em duas épocas diferentes do ano (Abril e Junho). Os tratamentos incluíram a realização de uma ferida longitudinal (FP) e a aplicação de AIB (ácido indol-3-butírico) em solução à base das estacas durante um segundo, em três concentrações diferentes: 5 000, 10 000 e 15 000 ppm. Após 2 meses do início dos ensaios anotou-se o número de estacas enraizadas (NR), mortas (M) e com callus (C), para além, do número médio de raízes e do comprimento médio da maior raiz. Os tratamentos que incluíram AIB e ferida provocaram as percentagens de enraizamento mais elevadas em ambas as épocas. A época mais propícia para se obterem as melhores percentagens de enraizamento foi a de Abril, para os tratamentos com concentrações mais baixa e mais elevada de AIB (5 000 e 15 000 ppm), com 70 e 73% de estacas enraizadas ao fim de 2 meses e 77 e 87% ao fim de 3 meses. A maior percentagem de estacas mortas verificou-se na época de Junho. Em Abril e Junho, os tratamentos que conduziram a uma maior percentagem de callus corresponderam aqueles onde não se aplicou auxina.
Comunicação apresentada no Simpósio de Propagação Vegetativa de Espécies Lenhosas que decorreu em Castelo Branco, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, de 18 a 20 de Outubro de 1996.
O medronheiro (Arbutus unedo L.) é uma espécie autóctone, com distribuição ubíqua em Portugal, tolerante ao stress hídrico, a solos de baixa fertilidade e com uma resistência ativa a incêndios florestais. O fruto é utilizado na produção de aguardente, a principal fonte de rendimento, e o seu consumo em fresco (medronho), com potencial antioxidante, representa uma nova oportunidade. Verifica-se, atualmente, um forte incremento na procura de plantas melhoradas. No âmbito do Projecto ARBUTUS (PTDC/AGR-FOR/3746/2012: Melhoramento das plantas e da qualidade dos produtos de Arbutus unedo L. para o sector agro-florestal) foram seleccionadas 30 árvores em 15 populações naturais distribuídas pelo País para avaliar a estrutura genética da espécie. As árvores foram georreferenciadas e genotipadas com marcadores moleculares nucleares e do cloroplasto. Como não existem estudos que relacionam os factores ecológicos com os padrões de diversidade genética desta espécie, fizemos a caracterização biofísica e ecológica dos povoamentos em estudo. Foram criados núcleos agregando as árvores selecionadas em cada povoamento, com recurso a ArcGIS 10.2 e usando ferramentas de geoprocessamento. Estimaram-se para os 15 núcleos descritores biogeofísicos baseados no relevo, solo, histórico de incêndios, coberto vegetal actual e potencial, tendo como informação de base o modelo digital do terreno, cartografia de solos, perímetros de áreas ardidas e a cartografia fitossociológica e biogeográfica. Paralelamente foram recolhidos dados das normais climatológicas (1981-2010) de várias estações climatológicas, para o cálculo dos índices bioclimáticos. Foram utilizadas ferramentas de geostatística para interpolar com maior precisão os valores dos índices bioclimáticos para os núcleos em estudo. Efetuou-se uma abordagem estatística multivariada exploratória com a informação recolhida: uma análise de componentes principais e de agrupamentos hierárquica. Os agrupamentos de povoamentos baseados nas características biogeofísicas serão utilizados para verificar se existe uma hierarquia a nível da estrutura genética da espécie, utilizando estimativas de diversidade molecular. Esta análise permitirá explicar a estrutura genética da espécie e lançar as bases para a compreensão dos padrões genéticos em relação aos processos ecológicos e evolutivos desta espécie. Poderemos, então, elaborar uma carta de distribuição da variabilidade genética e do fluxo genético entre povoamentos nos agrupamentos e dentro dos povoamentos. Esta informação irá ser fundamental para o planeamento e gestão de programas de melhoramento e de conservação da espécie.