Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

29 records were found.

Síndrome X cardíaco
Cuidados oftálmicos
A isquémia do miocárdio é uma das doenças que mais mata em Portugal. Contribuem para ela os fatores de risco, que tanto se tentam esbater, mas que impiedosamente conseguem permanecer e superar todas as atividades que possam ser feitas para a sua eliminação. A reflexão sobre este tema leva-nos a pensar sobre uma problemática que poderá ser preocupante face aos impactes na adaptação da vida dos indivíduos jovens após terem sofrido um enfarte agudo do miocárdio (EAM). A condição física destes doentes deixa de ser a mesma e muitos ficam incapacitados para determinadas funções. A partir deste momento passa a haver necessidade de uma reorganização não só da sua vida como da familiar, que foi quebrada pelo aparecimento súbito de uma doença que os irá acompanhar o resto da vida. A dissimetria dos serviços de saúde existente em Portugal faz com que no interior do país não existam serviços de reabilitação cardíaca, o que dificulta a reintegração e reorganização da vida destes doentes. Compõem a amostra deste estudo 30 doentes com diagnóstico de enfarte agudo do miocárdio dos arquivos da unidade hospital de Elvas, que depois de contactados se disponibilizaram para realizar uma entrevista onde foram exploradas todas as questões de interesse para o estudo. Pretendeu-se com o estudo perceber quais as dificuldades que estes indivíduos sentiram após terem sofrido o EAM e como é que uma rede de instituições com um programa específico os poderia ajudar na reorganização destas vidas.
Insuficiência renal crónica
Objectivos: Com este estudo pretendeu-se verificar qual a relação entre a sintomatologia descrita no diário de Holter e os achados electrocardiográficos registados. Metodologia: Dos indivíduos que realizaram Holter no Hospital Amato Lusitano, foram seleccionados 346 que referiram sintomas no diário de Holter. Após analisado o registo electrocardiográfico foi feita uma relação entre a sintomatologia apresentada e as alterações electrocardiográficas subjacentes. Resultados: A amostra foi composta por 63,87% de indivíduos do sexo feminino e 36,13% do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 6 e os 98 anos, sendo a média de idades dos indivíduos de 55,24 anos. Verificou-se com este estudo que na maioria dos casos existia relação entre a sintomatologia descrita e a alteração electrocardiográfica. Foram agrupadas na sintomatologia 3 grandes grupos, sendo eles, o cansaço, as palpitações e as tonturas. Em relação ao cansaço e às palpitações verificou-se que a alteração electrocardiográfica mais encontrada foi a taquiarritmia (65,6% e 71,3% respectivamente). A tontura, talvez por ser um sintoma mais inespecífico verificou-se que a maioria dos indivíduos não tinha relação entre sintomatologia e o registo electrocardiográfico (58,9%). Conclusões: Com este estudo pode-se concluir que o diário de Holter é bastante importante, dado que, este permite aferir se a alteração electrocardiográfica se relaciona com a sintomatologia do indivíduo e desta forma confirmar ou infirmar a causa cardíaca em relação à sintomatologia referida.
O Bioempreendedorismo é associado às biotecnologias ou ciências da saúde sendo uma das unidades curriculares normalmente lecionada em cursos de Escola Superiores de Saúde do Ensino Superior Politécnico em Portugal. Estes cursos, têm em regra, quatro anos de duração, sendo lecionada a unidade curricular no 3º ou 4º ano, encontrando-se alguns dos alunos a frequentar os seus estágios curriculares. Neste artigo é efetuado um estudo exploratório onde são comparados os resultados da aprendizagem no curso de Ciências Biomédicas Laboratoriais da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de C. Branco, em duas situações distintas: ensino dentro da sala de aula, na sua forma presencial tradicional e o ensino fora da sala de aula, sob a forma de ensino à distância. São utilizados como critérios de comparação as ideias de negócio desenvolvidas pelos alunos assim como também os resultados da avaliação. Neste artigo são apresentados os conteúdos programáticos, a metodologia de ensino e os meios utilizados em ambas as situações. No final são discutidos os resultados obtidos neste estudo exploratório que decorreu nos anos letivo de 2015/16 e 2016/17.
Introdução: A hipertensão arterial é um grave problema de saúde pública com elevada prevalência na população adulta, sendo uma das principais causas de morbilidade e de mortalidade nos países mais desenvolvidos. Portugal não é exceção uma vez que esta patologia representa um dos fatores de risco mais relevantes estando na etiologia de inúmeras doenças cerebrovasculares e cardiovasculares, sendo por isso importante agir de forma a prevenir o seu crescimento. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo estudar a prevalência de hipertensão arterial no concelho da Covilhã e a sua relação com os diversos fatores de risco, visto que é uma região para a qual não existe nenhum estudo realizado desta natureza. Métodos: O presente estudo foi realizado nos últimos dois anos, numa amostra representativa do concelho da Covilhã constituída por 1272 indivíduos de ambos os sexos com idades compreendidas entre os 18 e os 95 anos. Foi avaliada por três vezes a pressão arterial, com um aparelho professional-grade aneroid blood pressure system, depois de cinco minutos de repouso e intervaladas por cinco minutos. Foi definido indivíduo com hipertensão todo aquele que apresentava valores segundo as guidelines, ≥ 140mmHg e/ou ≥ 90mmHg e/ ou estar sob terapêutica anti hipertensora. Resultados: No total da amostra, verificou-se que 63.3% dos indivíduos que fizeram parte da amostra tinham hipertensão arterial, sendo mais prevalente nas mulheres. Constatou-se também que do total de hipertensos, 32.9% tinham valores de pressão arterial medida acima dos valores estandardizados, enquanto que 30.3%, apesar de já serem conhecidos apresentavam valores dentro da normalidade. Importa também referenciar que 9.6% dos participantes que se apresentavam com valores acima dos da normalidade, referiam não saber ser hipertensos. Discussão/Conclusão: Estes resultados mostram a elevada prevalência de hipertensão arterial no concelho por nós estudado.
As doenças cardiovasculares (DCV) assumem cada vez mais uma maior preponderância no que diz respeito à incapacidade e morte prematura, sendo responsáveis pelo maior número de óbitos entre a população da europa, tendo estudos evidenciado que são responsáveis aproximadamente por 30% das 58 milhões de mortes em todo o mundo, no início da última década(1,2). Associados às patologias do foro cardiovascular encontram-se vários fatores de risco cardiovasculares (FRCV), que podem assumir (ou não) um caráter modificável, sendo estes fatores, sem dúvida, um dos pontos mais importantes no aparecimento e manifestação destas doenças. Desta forma temos como fatores de risco modificáveis, a hipertensão arterial (HTA), o tabagismo, o sedentarismo, a diabetes mellitus, a hipercolesterolemia, a hipertrigliceridémia, a obesidade e o alcoolismo, tendo estes um tratamento essencialmente preventivo, para evitar a ocorrência de eventos cardiovasculares. No conjunto dos fatores não modificáveis temos a idade, o género, a raça e os fatores hereditários de cada indivíduo (3). Através da revisão da literatura disponível, verificou-se que existe a necessidade de desenvolver estudos acerca da prevalência de patologia cardiovascular e seus fatores de risco em Portugal, não se tendo verificado a existência de nenhum estudo que incidisse unicamente na população da cidade de Portalegre (4,5). De forma a verificar a prevalência da patologia cardiovascular e respetivos fatores de risco efetuou-se um estudo que se iniciou pela recolha de uma amostra de 1000 indivíduos, todos com idade superior ou igual a 18 anos, tendo-se recorrido a um processo de seleção aleatório que englobou todas as ruas da cidade e que definiu quais as ruas alvo para o estudo. Após reunidos todos os dados tentou-se perceber qual a distribuição dos diferentes fatores de risco nos indivíduos da amostra sendo para isso analisada cada uma das variáveis presentes no questionário (diferentes fatores de risco cardiovasculares e patologias cardiovasculares propriamente ditas). Quanto à HTA encontra-se presente em 35% dos inquiridos, verificando-se uma ligeira predominância no género masculino (38,8%) comparativamente aos 32,1% do feminino. Por sua vez, a diabetes mellitus apenas estava presente em 12%, também com maior incidência no género masculino (14,4%) em relação ao feminino (10,1%). Para a hipercolesterolemia, os resultados foram muito semelhantes aos números obtidos para a HTA, verificando-se que 32,3% apresentavam este fator de risco. Verificou-se ainda a prevalência de outros fatores de risco como a hipertrigliceridémia, tabagismo, alcoolismo, obesidade e o sedentarismo. Constatou-se ainda uma maior prevalência da maioria destes fatores de risco, sobretudo nas faixas etárias de maior idade. No que diz respeito à patologia cardiovascular propriamente dita, verificou-se uma prevalência de 4,2% de indivíduos que já haviam sofrido um enfarte agudo do miocárdio (EAM) e de 2,7% para o acidente vascular cerebral (AVC). Conclusão: Verificou-se existir uma elevada prevalência quer dos fatores de risco cardiovasculares, quer da própria patologia cardiovascular na população da capital de distrito do Norte Alentejano, assim como uma grande relação entre a presença destes mesmos fatores e a ocorrência de eventos cardiovasculares.
Introdução: A hipertensão arterial é considerada um dos mais importantes fatores de risco das doenças cardiovasculares, nomeadamente o enfarte agudo do miocárdio (EAM) e o acidente vascular cerebral (AVC). Segundo Rocha (2012) a pressão arterial (PA) é normal quando a pressão arterial sistólica (PAS) é <140 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) <90 mmHg (1, 2). Objetivo: O Estudo PAOS teve como principal objetivo analisar a prevalência de hipertensão arterial nos concelhos de Oleiros e Sertã. Métodos: Estudo é do tipo transversal, não tendo em conta o fator tempo. Foram recolhidos na população em geral em vários pontos de todas as freguesias dos dois concelhos 1900 indivíduos, dos quais 1112 eram do género feminino e 788 do género masculino. A pressão arterial foi avaliada manualmente a cada um dos indivíduos participantes com um esfigmomanómetro manual com um intervalo de cinco minutos entre as duas avaliações efetuadas. Foi ainda aplicado um questionário para que através dele fossem recolhidas diversas variáveis de forma a testar todas as hipóteses levantadas. Resultados: Em relação ao concelho de Oleiros foi possível perceber que 56,7% da população estudada tem valores de pressão arterial acima da normalidade. No que diz respeito ao concelho da Sertã e tendo em conta os mesmos parâmetros, concluiu-se que 55,4% dos indivíduos têm HTA. Valores estes que traduzem não só uma chamada de atenção para a alta percentagem deste fator de risco como também para o elevado risco de aparecimento de patologias cardiovasculares. Avaliados outros parâmetros percebemos que são fatores de risco para desenvolvimento de HTA a obesidade, a diabetes, a hipercolesterolémia e idade, por outro lado a HTA é fator de risco para o desenvolvimento de AVC e EAM. Estudámos quais os fatores de risco que se relacionaram com a presença de HTA na nossa amostra e percebemos que em relação à obesidade, o IMC tem um maior número de indivíduos na classe da pré-obesidade (25-29,9Kg/m2), valores estes preocupantes uma vez que através da revisão da literatura percebemos que existe, uma associação entre o IMC e o risco de doenças cardíacas(3). Tendo noção que uma vida saudável proporciona um bem-estar físico e mental avaliamos a interação da atividade física com a prevalência de HTA. Concluiu-se que esta associação foi estatisticamente significativa (p <0,001), no contexto em que os indivíduos que não praticam qualquer tipo de atividade têm uma maior prevalência de HTA (59,1%) em relação àqueles que praticam (46,7%). Como o próprio nome indica, hipertensão arterial é definida como uma pressão arterial acima da normalidade nos vasos sanguíneos, o que faz com que o coração tenha que exercer um maior esforço para fazer circular o sangue, podendo ser responsável pelo aparecimento de diversas patologias como o AVC ou EAM, foi portanto importante relacionar a associação das patologias cardíacas com a HTA. Conseguiu-se obter resultados significativos quando se relacionou o EAM e as arritmias comprovando-se estarem estatisticamente associadas à HTA geral. Conclusão: Existe uma alta taxa de prevalência nos dois concelhos estudados são necessária uma maior consciencialização da população acerca deste tema e que se adotem medidas preventivas para controlar este fator de risco.
Introdução: Atualmente as terapêuticas não farmacológicas e o conceito de bem-estar ganham cada vez mais popularidade. O recurso à terapêutica termal representa uma alternativa de tratamento eficaz e segura face às modalidades terapêuticas convencionais, uma vez que é menos agressiva e amplamente utilizada na população portuguesa, com aumento sobretudo nos indivíduos com idade avançada (1). O termalismo consiste numa aplicação externa de águas minerais, geralmente através da imersão de todo o corpo ou parte dele (2) em condições de temperatura e pressões variáveis (3), pela utilização de água quente (sob o estado líquido ou gasoso), para que assim proporcione um alívio do mal-estar. Nos dias de hoje, o recurso às águas termais constitui um elemento terapêutico não farmacológico de primeira linha (1), dado o acréscimo do uso desta terapêutica não só para o tratamento de patologias, mas também para sua prevenção, recuperação e reabilitação. Objetivo: Este estudo visou analisar a resposta cardiovascular, nomeadamente da frequência cardíaca e da pressão arterial, num período de 14 dias de tratamento, em indivíduos que se submeteram a terapias de relaxamento termal. Métodos: Foi realizado nas Termas de Vizela, com uma amostra constituída por 50 indivíduos de ambos os géneros, 14 homens e 36 mulheres e uma idade média de 71,10 anos ± 1,376. Os dados da pressão arterial e da frequência foram recolhidos em indivíduos que fizeram programas de terapia termal durante 14 dias de tratamento, em três momentos distintos. Estes foram recolhidos no início, ao sétimo dia e ao décimo quarto dia. Foi ainda aplicado o questionário EQ-5D para quantificar o ganho de saúde nos três momentos de avaliação. Resultados: Não se encontraram alterações estatisticamente significativas em todos os momentos de avaliação em relação à análise da frequência cardíaca. Já em relação à pressão arterial verificaram-se diferenças estatisticamente significativas em diferentes momentos quer para a pressão arterial sistólica quer para a diastólica. Para a pressão arterial sistólica esta significância apenas se verificou no momento entre o início (T0) e o sétimo dia de tratamento (T1) (p=0,008), quanto à pressão arterial diastólica verificou-se que existiram estas diferenças estatísticas em dois momentos, entre T0 a T1 (p=0,001) e entre T1 e o décimo quarto dia de tratamento (T2) (p=0,003). Relativamente aos indivíduos que apresentavam na primeira avaliação valores de pressão arterial acima dos considerados dentro da normalidade, verificámos que a pressão arterial sistólica diminuiu de forma estatisticamente significativa entre T0 a T1 (p=0,002) e entre T0 a T2 (p=0,002), do mesmo modo, a pressão arterial diastólica também apresentou diminuição significativa entre T0 a T1 (p=0,006) e entre T0 a T2 (p=0,011). No que se refere ao questionário aplicado, referente ao estado de saúde, ocorreu um aumento significativo do bem-estar em todos os momentos avaliados, T0 a T1 (p=0,0001), T1 a T2 (p=0,001) e T0 a T2 (p=0,0001). Conclusões: Existem benefícios significativos na pressão arterial em todos os grupos estudados, verificámos ainda que nos indivíduos hipertensos estes benefícios foram mais evidenciados. Constatamos também, através do questionário EQ-5D, que houve benefícios no bem-estar de saúde dos indivíduos que recorreram à terapia termal nos vários momentos avaliados.
ABSTRACT: Objectives: To determine the prevalence of Arterial Hypertension in the adult population of the municipality of Idanha-a-Nova, as well as to verify its treatment and control rates, and to discriminate which are the associated risk factors. Methods: It is a cross-sectional, analytic, observational and prospective study which was performed in each of the various townships, forming a base sample of 992 individuals, of which 52,4% are female, and 47,6% are male, between 18 and 95 years of age. Data collection was performed between June and July of 2013, consisting of the evaluation of arterial pressure values, for this purpose three evaluations were performed with a regular interval of 5 minutes. Results: The prevalence of Arterial Hypertension found was of 51,0%, of which 25,7% were female and 25,3% male. It was also confirmed that, out of the total of inquired individuals, 30,7% stated to take Anti-Hypertension medication, and out of these, 49,8% showed normal levels of blood pressure. Within the risk factors found the most predominant ones were Arterial Hypertension family history and Dyslipidemia, reaching values of 36,0% and 35,2%, respectively. Conclusions: The study shows elevated values of Arterial Hypertension in the county of Idanha.
ABSTRACT: Introduction: Music can be characterized as a representation of feelings, having also scientifically evidenced benefits in various contexts. The heart rate variability is directly related to the central nervous system and any situations that can influence it. Therefore, depending on the type of music, heart rate may be subject to changes that may be related to the emotional well-being that music stimulate. To that purpose, the main objective was to study the heart rate variation in a group of individuals exposed to music that can trigger different emotional states. Methods: In the first phase of the study, 20 classical music songs were tested in 73 healthy subjects, in order to distinguish two songs that stimulate distinct emotions with the purpose of applying them in the second phase of the study, namely to a sample collected in 3 geographical dispersed hospitals, so as to ensure an evaluation in the same clinical contexts but different geographic locations. The two songs were applied to 50 subjects and we registered the heart rate in four different times, before and after each song with an interval of 3 minutes between each time, including a break between songs. Thus, this study is considered prospective cross-sectional with non-probability sampling technique for convenience. Results: We found statistically significant differences in heart rate at the 2-4 moment (p = 0.04) and at the 3-4 moment (p = 0.005), with a significant correlation of the same with Gender and Moment (p = 0.019), Place and Moment / Music (p = 0.039) and Stress and Moment / Music (p = 0.030). Conclusion: We found changes in heart rate according to the emotional nature of music, thus confirming the central research hypothesis of this study.
A hipertensão arterial (HTA) é um grave problema de saúde pública que afecta milhares de pessoas em todo o mundo. Apresenta uma elevada prevalência nas sociedades modernas, sendo um importantíssimo factor de risco para as doenças cardiovasculares. O objectivo deste estudo é saber se existe uma relação estatisticamente significativa e relevante entre o prolongamento do intervalo QT e a hipertensão arterial nos doentes que desenvolvem hipertrofia do ventrículo esquerdo. Deste modo, estudou-se uma amostra constituída por 537 indivíduos com HTA (285 do sexo masculino e 252 do sexo feminino) que foi divida em dois grupos (indivíduos com HVE e indivíduos sem HVE). A amostra foi recolhida no Hospital Amato Lusitano em Castelo Branco da consulta de cardiologia e as variáveis estudadas foram o intervalo QT, o Índice de Sokolow-Lyon, o Índice de Cornell a idade e o sexo em indivíduos com HTA que desenvolveram HVE comparativamente aos que não desenvolveram HVE. Neste estudo conclui-se que existe uma relação estatística significativa entre o prolongamento do intervalo QT e a presença de HVE nos doentes hipertensos. No entanto, esta situação não se encontra relacionada nem com a idade dos indivíduos nem com o sexo. ABSTRACT Hypertension is a serious public health problem and affects thousands of people around the world. The prevalence in modern societies is an important risk factor for cardiovascular disease. The purpose of this study is whether there is a statistically significant relationship between QT interval prolongation and hypertension in patients who develop left ventricular hypertrophy. Thus, we studied a sample of 537 subjects whit hypertension (285 males and 252 females) who were divided into two groups (subjects whit LVH and subjects without LVH). The sample was collected at the Amato Lusitano Hospital in Castelo Branco of cardiology consult and the variables studied were the QT interval, the Sokolow-Lyon index, Cornell index age and gender in subjects who developed LVH compared to who did not develop LVH. This study concludes that there is a statistically significant relationship between QT prolongation and the presence of LVH in hypertensive subjects. However, this situation is not related neither to the age of subjects nor to gender.
A hipertensão arterial (HTA) é um dos principais factores de riscos para as doenças cardiovasculares, sendo uma das principais causas de enfarte agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral (AVC), principalmente quando desconhecida, mal tratada ou mal controlada. Objectivo: Determinar a prevalência de HTA na população adulta da Cidade de Castelo Branco e sua associação com factores de risco. Método: A amostra estudada tem 402 indivíduos, 61,2% do sexo feminino e 38,8% do sexo masculino. Foram realizadas 3 avaliações da pressão arterial (PA) em cada indivíduo, com um esfignomanómetro (ALrK2) depois de 5 minutos de repouso e em intervalos de um minuto entre cada avaliação. Foi ainda aplicado um questionário a cada indivíduo para recolha dos dados antropométricos, demográficos, antecedentes pessoais e familiares de HTA e hábitos diários. Resultados: Foi encontrada uma prevalência de HTA de 62,4%, (38,3% do sexo feminino e 24,1% do sexo masculino). Dos indivíduos com HTA 79,3% estavam medicados, e destes apenas 49,2% apresentavam valores de PA normais. Dos indivíduos com HTA não controlada 71,8% apresentaram HTA grau I, 18,8% grau II e 9,4% grau III. Conclusão: Os resultados mostram uma elevada prevalência de hipertensão arterial, este facto alerta para a necessidade de adopção de medidas preventivas. Abstract- Hypertension (HTA) is leading risk factors for cardiovascular disease, being a major cause of acute myocardial infarction and cerebral vascular accident (AVC), especially when unknown, poorly treated or poorly controlled. Objective: Determine the prevalence of hypertension in adult population of the city of Castelo Branco and its association with risk factors. Method: The study sample contained 402 subjects, 61.2% female and 38.8% male. Were performed three evaluations of blood pressure (BP) in each individual with a sphygmomanometer (ALrK2) after 5 minutes of rest and at intervals of one minute each. A questionnaire was applied to each subjects to collect anthropometric data, demographic, personal and family history of hypertension and daily habits. Results: The prevalence of hypertension was 62.4% (38.3% female and 24.1% males). Subjects The subjects with HTA 79.3% were medicated, and of these only 49.2% had normal BP values. The subjects with uncontrolled hypertension 71.8% had grade I HT, 18.8% grade II and 9.4% grade III. Conclusions: The results showed a high prevalence of hypertension, this warning for the need to adopt preventive measures.
Introdução: A Hipertensão Arterial (HTA) define-se como uma doença multifactorial, sendo considerada um importante problema de saúde pública mundial. Diversos estudos relativos à prevalência de HTA têm vindo a ser realizados, pelo que cada vez mais se chama a atenção para os resultados alarmantes neles obtidos. Objetivo: Determinar a prevalência de HTA na população adulta num concelho do interior, e discriminar quais os fatores de risco associados na amostra estudada. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal, analítico, observacional e prospetivo que se realizou nas várias freguesias do concelho estudado. A recolha de dados decorreu entre junho e julho de 2013, tendo consistido na avaliação manual dos valores de pressão arterial em cada individuo participante e aplicação de um questionário para aferir os fatores de risco de cada um de forma a poder relacionar as diferentes variáveis. Resultados: A amostra é constituída por 992 indivíduos, dos quais 52,4% são do género feminino e 47,6% do género masculino, com idades compreendidas entre os 18 e 95 anos, e uma idade média de 55,28 anos com um desvio padrão de 18,401 anos. Da análise dos fatores de risco verifica-se que os mais predominantes são a história familiar de HTA e a dislipidémia, com prevalências de 36% e 35,2%, respetivamente. A prevalência de HTA encontrada no concelho estudado é de 51,0%, sendo distribuída quase de igual forma pelo género feminino (25,7%) e masculino (25,3%). De modo a ajustar os diversos fatores de risco, recorreu-se ao modelo de regressão logística multivariada aplicando o método Forward Wald, tendo-se verificado que o género, a idade, a história familiar de HTA, as doenças cardiovasculares e o índice de massa corporal apresentam valores preditivos significativos positivos para a probabilidade de desenvolvimento de HTA. Ainda segundo o modelo efetuado, a história familiar de HTA e as doenças cardiovasculares predispõem 2 vezes a probabilidade de desenvolver HTA, por cada ano. Do total de inquiridos que se encontrava a fazer medicação anti-hipertensora (30,7%), 49,8% apresentava os valores de pressão arterial (PA) dentro dos níveis de normalidade (HTA controlada), enquanto os restantes, embora com terapêutica implementada, mantinham os valores de PA acima dos níveis desejados (HTA não controlada), Conclusão: O estudo permitiu constatar resultados bastante claros de elevadas taxas de prevalência de HTA, bem como de outros fatores de risco cardiovasculares.