Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

21 records were found.

O setor apícola em Portugal, tal como no resto da União Europeia, é uma atividade tradicionalmente ligada à agricultura. É, normalmente, encarada como um complemento ao rendimento das explorações, existindo, contudo, uma pequena minoria de apicultores para os quais a apicultura é a base das receitas de exploração. Este trabalho teve como objetivo efetuar uma caracterização físico-química de amostras de mel, provenientes do distrito de Castelo Branco, concelhos de Castelo Branco, Vila Velha de Ródão e Idanha a Nova. O estudo foi realizado em vinte e seis amostras de mel, recolhidas nos anos 2010 e 2011. As análises efetuadas foram as seguintes: teor de água, condutividade elétrica, teor de cinzas, pH e acidez livre, índice diastásico, teor de matérias insolúveis em água, hidroximetilfurfural, composição em açúcares, cor, compostos fenólicos totais e atividade da água. Na base deste estudo esteve o interesse em averiguar se todas as amostras analisadas, se encontravam dentro dos limites impostos pela legislação portuguesa. Verificou-se que 10 amostras analisadas apresentaram valores acima do limite estabelecido na legislação, nomeadamente no que respeita ao hidroximetilfurfural (cinco) e ao teor de matérias insolúveis em água (seis). As restantes amostras cumpriram com os requisitos da legislação em vigor, permitindo nestas, inferir o cumprimento do código de boas práticas desde o apiário até ao embalamento/armazenamento do produto final. As amostras de mel do distrito de Castelo Branco analisadas neste estudo apresentaram teores mínimos de água de 16,4 %, 0,51 de atividade da água, 0,18 mS/cm de condutividade elétrica, 0,07 % de cinzas, 3,5 de pH, 16,94 meq/Kg de acidez livre, 58,40 g/100g de frutose + glucose, 0,2 g/100g de sacarose e 236,0 mg GAE/kg de compostos fenólicos totais.
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Vol. 2: Aplicaçöes práticas
Introduction: Osteoarthritis is one of the most commom problems in elderly populations and the most commom cause of disability. Knee is one of the most affected joint and the loss of range of motion and function will limit daily activities and the mobility. Self-management programs with exercises performed at home may be a useful therapy. These programs are based on the quadriceps strengthening exercises, low aerobic strength in order to improve the functional state, pain and aerobic capacity. Objectives: Evaluate the effectiveness of an exercise protocol performed at home on improving the functionality, mobility and health related quality of life of elderly people with knee osteoarthritis. Materials and Methods: Exploratory, descriptive and longitudinal study. 44 subjects have been selected according to the inclusion criteria (age ¡Ý 65 years with symptoms of knee osteoarthritis) and exclusion (inability to perform gait, hip osteoarthritis and prosthetics hip or knee). The subjects made an initial assessment (T0) before beginning the protocol (applied during 8 weeks, daily, in the summer of 2013) performed at home and meeting occasionally in groups, with the researcher, to correct the learned exercises, clarify questions and add some exercises or progressions. After the 8 weeks was applied an new assessment (T1) and the follow-up is taken in T2 and T3, (respectively, at 3 and 6 months later). In the assessment was used the Knee Injury and Osteoarthritis Outcome Score (KOOS), the Timed Up and Go Test (TUG) and the SF-12. Data from changes in daily routine of the subjects are also collected. The protocol was applied by two physical therapists. Results: Between T0 and T1 the subjects present better results in the analyzed variables. Between T1 and T2, these improvement appear be related with the maintenance of the protocol. Conclusion: An home based exercise protocol to elderly people with osteoarthritis revealed results in mobility. The maintenance of the results is related with the continuity of the protocol and with changes in the daily activities.
A terapia pela dança recorre ao uso psicoterapêutico do movimento como processo promotor da integração emocional e física, permitindo uma recuperação psicofísica e a expressão de pessoas com diferentes tipos de deficiência. O presente estudo teve como objetivos avaliar os resultados da terapia pela dança com adultos institucionalizados, com deficiência mental e motora, no equilíbrio, coordenação, esquema corporal e cognição social. A amostra foi constituída por 19 indivíduos (5 dependentes) institucionalizados, com deficiência mental e motora. Para avaliação dos resultados foi realizada avaliação inicial (T0) e após 8 semanas de intervenção (T1). No grupo dependente avaliou-se postura e movimentos ativos em contexto normal e dança. No grupo autónomo utilizaram-se medidas para avaliar equilíbrio, coordenação, esquema corporal e cognição social. Foi realizada 1 sessão semanal (45 minutos).Utilizaram-se medidas de tendência central e de dispersão e comparações de médias. No grupo dependente, em contexto de dança verificou-se a assunção maioritariamente do padrão de extensão, por oposição ao padrão habitual. O grupo autónomo aumentou a pontuação na Escala de Berg (média de 53,71, para 55,36 pontos). Na coordenação “dedo-nariz” verificaram-se maiores dificuldades à esquerda com olhos abertos e fechados (57,1% e 71,4% respetivamente) e em T1 existiram maiores dificuldades de olhos fechados (28,6%). Na coordenação com “calcanhar-joelho” verificaram-se maiores dificuldades à esquerda (olhos abertos 14,3% e fechados 35,7%) mas em T1 todos completaram o teste. No esquema corporal em três das componentes avaliadas verificou-se um aumento das pontuações. Na componente velocidade e ritmo, em T1 todos os sujeitos completaram a tarefa. Ao nível da cognição social verificou-se um aumento em duas componentes. Esta terapia promoveu melhorias no equilíbrio, coordenação, esquema corporal e cognição social de adultos institucionalizados com deficiência mental e motora.