Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

178 records were found.

Texto publicado no livro "Key Concepts in Landscape Ecology", editado por: J.W. Dover e R.G.H. Bunce (IALE-UK), correspondente aos Proceedings do Congresso Europeu da IALE em 1998.
The methods used to determine habitat classifications are important to planning and management. Therefore, the use of wildlife communities to improve habitat classification is crucial in Landscape Ecology. The importance of vegetation in the habitat use characteristics of breeding bird communities occurring in Évora (Portugal) was studied. Two transects were censured to provide distributional records of all species in order to investigate the relationship between vegetation structure and ornithological abundance. Canonical Correspondence Analysis (CCA) was used to identify the vegetation measures with greater influence in breeding bird community composition, using Foliage Height Diversity (FHD) and other vegetation structure measures.
Este trabalho tem como objetivo ser um contributo para a elaboração da Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI), a fim de ordenar, regular e condicionar a prática de atividades desportivas nesta área protegida, no cumprimento dos objetivos fundamentais que conduziram à sua criação pelo Decreto regulamentar n.º 9/2000 de 18 de Agosto.
Em Ecologia das Comunidades sempre existiu um interesse em estudar as relações entre a abundância das espécies de aves e os atributos estruturais da vegetação. No entanto, existem poucos estudos que abordem explicitamente a possibilidade de aperfeiçoamento dos métodos de classificação da vegetação com base na sua utilização como habitat por parte de espécies faunísticas. O objectivo principal do presente estudo foi a identificação das medidas dos atributos da vegetação com maior influência na presença de espécies avifaunísticas em sistemas agro-florestais no Sul de Portugal. Esta abordagem classificativa dos tipos de habitat permite o desenvolvimento de estratégias de gestão desses agrossistemas sob a perspectiva da conservação da natureza. Foram definidos quatro transectos lineares localizados em Évora (Santa Sofia e Valverde) e Apostiça (Lagoa do Golfo e Marco do Grilo). Mediu-se um conjunto de variáveis com o intuito de descrever os atributos da vegetação que a caracterizam como habitat. O levantamento da avifauna foi realizado com recurso ao método de transectos lineares com distância variável. Recorreu-se à utilização de métodos de análise multivariada de forma a relacionar a presença/ ausência de comunidades avifaunísticas com os diferentes atributos estruturais da vegetação, designadamente a sua estrutura vertical, a percentagem relativa aos diversos tipos de coberto vegetal e índices de diversidade. Através de métodos de regressão simples analisou-se, ainda, a relação entre a diversidade avifaunística e os descritores estruturais e de diversidade da vegetação. Definiram-se gradientes fisionómicos a partir das variáveis estruturais, verificando-se que as comunidades de aves respondem a estas diferenças e que a diversidade que as caracteriza está relacionada com os gradientes de cobertura dos estratos arbóreo e arbustivo.
De forma a estudar a relação entre diferentes parâmetros estruturais da vegetação e a abundância ornitológica recorreu-se a métodos de ordenação. Confrontaram-se, ainda, os valores dos índices de diversidade avifaunística com a diversidade estrutural da vegetação, com recurso a técnicas de regressão linear.
The main objective of this study is to identify the structure/landscape measures having a greater influence on the presence of avian species in two types of agrossystems located in the South of Portugal. Four line transects were defined. Two were located in holm oak and cork oak “Montado" near Évora and the other in a pineyard located in the Setúbal Peninsula (Apostiça). Several variables were measured to describe the vegetation as a habitat. The linear transect technique was used in the bird sampling. Multivariate statistics were used to analyse the relation between the presence/absence of avian communities and the different vegetation cover measures. These include vegetation vertical structure and percentage of vegetation cover types. The relation between avian diversity and vegetation structure descriptors, as well as the vegetation diversity, was analysed using simple regression methods. The bird communities seem to respond to the above mentioned structural differences. Moreover, the diversity of these communities is related to the percent cover of shrub and tree layers.
A crescente procura de áreas naturais para fins turístico-recreativos, motivada pelos estilos de vida predominantes nas sociedades atuais, levou à necessidade de publicação de legislação específica, com a finalidade de compatibilizar a fruição dessas áreas com a preservação e conservação dos valores naturais em presença. Assim, surge a necessidade de cada Área Protegida elaborar a sua Carta de Desporto de Natureza, que constitui um importante instrumento de planeamento e gestão do território classificado. Com o objetivo de identificar as condicionantes e potencialidades para a prática das diferentes modalidades, propõe-se a elaboração de uma matriz dos impactes ambientais gerados pelas atividades, bem como uma outra matriz indicativa dos requisitos exigidos para se poder desenvolver essas atividades. Ambas as matrizes servem para determinar os diferentes níveis de aptidão por modalidade, bem como para identificar as áreas interditas a atividades de recreio ativo. Para o efeito recorre-se a operações de análise espacial realizadas com recurso a um Sistema de Informação Geográfica (SIG). Como resultado foram geradas cartas de aptidão para um conjunto de modalidades de Desporto de Natureza, que pretendem ser um contributo para a elaboração da Carta de Desporto de Natureza.
Em Ecologia das Comunidades sempre existiu um interesse em estudar as relações entre a abundância das espécies de aves e os atributos estruturais da vegetação. No entanto, existem poucos estudos que abordem explicitamente a possibilidade de aperfeiçoamento dos métodos de classificação da vegetação com base na sua utilização como habitat por parte da fauna. O objetivo principal do estudo foi a identificação das métricas da vegetação com maior influência na presença de aves em agrossistemas no sul de Portugal. Foram definidos quatro transectos lineares localizados na área envolvente de Évora e na Península de Setúbal, ao longo dos quais se procedeu à inventariação da vegetação e da comunidade de passeriformes. Posteriormente, recorreu-se à utilização de técnicas de análise estatística multivariada de modo a relacionar a presença-ausência de espécies de aves com os diferentes atributos estruturais da vegetação. Verificou-se que as aves respondem às diferenças dos gradientes de cobertura dos estratos arbóreos e arbustivo.
A implantação da Área de Acolhimento Empresarial e Logística “Cruz da Carreira”, localizada em Castelo de Paiva, está prevista na Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (UOPG) n.º 6 - Área Industrial da Cruz da Carreira. Esta área proposta no Plano Director Municipal de Castelo de Paiva através da Resolução do Concelho de Ministros n.º 68/95, de 17 de Julho, alterado por Deliberação de Assembleia Municipal de Castelo de Paiva, datada de 30 de Dezembro de 1998, publicado no Diário da República, 2.ª série n.º 115, de 18 de Maio de 1999, destina-se preferencialmente ao acolhimento Empresarial podendo também suportar superfícies comerciais e equipamentos de utilização colectiva. Estão sujeitos a AIA, entre outros, os projectos enunciados no Anexo II do Decreto-Lei n.º 197/2005. A alínea a) do n.º 10 enuncia a seguinte categoria de projectos: “Projectos de loteamento e parques industriais”. A mesma alínea indica que os projectos de loteamento e parques industriais estão sujeitos a AIA quando tenham área igual ou superior a 10 ha. A identificação de impactes baseou-se no cruzamento dos elementos de projecto com as características do ambiente potencialmente afectado. Para o efeito, o EIA incluiu uma matriz de identificação de impactes, associando-os às acções ou actividades causadoras de cada impacte, nas fases de construção e de exploração. Esta identificação implicou o reconhecimentos de campo, contactos com entidades, pesquisa bibliográfica e da legislação aplicável.
Estão sujeitos a AIA, entre outros, os projectos enunciados no anexo II do Decreto-Lei n.º 197/2005. A alínea a) do n.º 2 enuncia a seguinte categoria de projectos:“Pedreiras, minas e céu aberto e extracção de turfa (não incluídos no anexo I), em áreas isoladas ou contínuas”. A mesma alínea indica que os projectos de pedreiras estão sujeitas a AIA quando apresentem uma área igual ou superior a 5 ha ou uma produção igual ou superior a 150 000 t/ano ou se, em conjunto com as outras unidades similares, num raio de 1 km, ultrapassarem os valores referidos, excepto se se situarem em “áreas sensíveis”, tal como definidas na alínea b) do artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 69/2000. Neste último caso todos os projectos de pedreiras estão sujeitos a avaliação do impacte ambiental. A Área de Exploração da Pedreira de Laje Valinhos localiza-se em área sensível, pois insere-se numa área protegida e, em simultâneo, num Sítio da Rede Natura 2000. A metodologia seguida para elaboração do EIA compreendeu as seguintes etapas: Realização de trabalho de campo e recolha de informação no local; Análise bibliográfica, de elementos do projecto e de legislação relevante; Tratamento da informação recolhida com vista à caracterização da situação actual do ambiente potencialmente afectado pelo projecto e à previsão da evolução do ambiente na ausência do projecto; Análise de impactes decorrentes do projecto e identificação de medidas de prevenção, redução ou compensação dos impactes negativos, bem como de planos de monitorização.
Pretendeu-se, com este trabalho, avaliar os impactes da política de expansão urbana da cidade de Castelo Branco num conjunto de factores biofísicos, com recurso a técnicas de análise espacial. Os factores analisados foram classificados em três níveis de compatibilização factor-uso, permitindo detectar diferentes níveis de vulnerabilidade do meio face a expansão urbana da cidade. Para o efeito adoptou-se, com algumas modificações, a metodologia de classificação que consta no documento técnico “Definição de áreas preferenciais de expansão dos aglomerados urbanos”, elaborado pela Comissão de Coordenação Regional do Algarve. No âmbito do trabalho foi elaborada cartografia dos seguintes factores: Linhas de água e albufeiras incluindo as respectivas faixas de protecção, zonas de festo, declives, exposições das encostas, ocupação do solo e servidões e restrições administrativas. Posteriormente foi aplicada a classificação atrás mencionada, relativa aos níveis de compatibilização factor-uso. Os diferentes temas foram conjugados num tema síntese, que permite identificar as áreas mais favoráveis e as áreas onde existem limitações à ocupação urbana. Para tal recorreu-se às capacidades de análise espacial disponibilizadas por uma ferramenta SIG (ArcView GIS). Como corolário do estudo, os resultados obtidos através da aplicação da metodologia referida foram confrontados com as opções urbanísticas do Plano Director Municipal. Esta análise permitiu identificar áreas de conflito de uso, correspondentes a situações onde diferentes intensidades da ocupação do solo afectam de forma significativa os valores naturais presentes e a funcionalidade ecológica do meio.
O recurso a parâmetros estruturais na classificação da vegetação sob a perspectiva do seu interesse avifaunístico.
Foi realizada um estudo florístico na ribeira de Valverde. Com base nesse estudo elaborou-se uma proposta de introdução de espécies vegetais de acordo com as condições edáfico-climáticas.
The main impacts of climate change on wildlife are: shifts and fluctuations of habitats and habitat conditions; synergetic effects between climate change and habitat fragmentation; increase number of species threatened with extinction; and changes in the distribution of most types of vegetation. In this presentation it was addressed the synergetic effects of between climate change and habitat fragmentation.
Estudo das relações entre as características da estrutura vertical da vegetação e a composição das comunidades de passeriformes nidificantes, recorrendo a técnicas de estatística multivariada. Definição de tipologias de vegetação representativas em termos avifaunísticos, elaboradas a partir dos diferentes parâmetros da vegetação identificados como significativos. Contribuir para o desenvolvimento de uma metodologia de classificação das estruturas de vegetação que permita prever a distribuição das comunidades de ayes. Fornecer aos agentes responsáveis pela gestão de sistemas agro-silvo-pastoris um conjunto de indicações para uma gestão racional, numa perspectiva de conservação da biodiversidade.
Neste trabalho foi estudada a relevância das características fisionómicas e florísticas da vegetação tendo em consideração o seu uso por parte das comunidades de aves passeriformes nidificantes, procurando averiguar de que forma é que as características estruturais e florísticos da vegetação afectam a composição e estrutura funcional das comunidades de aves, permitindo fornecer indicações importantes para a definição de um regime de gestão e exploração mais sustentável dos sistemas agro-florestais. As análises realizadas possibilitaram a definição de tipologias de vegetação que incorporam aspectos fisionómicos e florísticos do habitat, representativas em termos avifaunísticos.
A Orientação inclui toda a actividade em que se recorre à utilização de um mapa para se optar sobre o melhor trajecto a realizar entre dois locais. Enquanto modalidade de Desporto de Natureza, o praticante tenta realizar no menor tempo possível um percurso, previamente definido e marcado num mapa, tendo que visitar, pela ordem definida no mapa, um conjunto de postos de controlo colocados no terreno. A Federação Internacional de Orientação (IOF) reconhece a Orientação Pedestre, Orientação em esqui, Orientação em BTT e a Orientação de Precisão. A orientação compreende actividades como a elaboração de mapas específicos para a modalidade, o treino e a implantação de percursos pedestres permanentes, além da prática ao ar livre competitiva ou não. Normalmente os impactes originados pela prática da Orientação Pedestre são reduzidos, com uma rápida recuperação da vegetação. No entanto, em áreas onde ocorre uma vegetação mais sensível ao pisoteio (p. ex.: vegetação higrófila, vegetação rupícola), os danos são mais elevados e a recuperação é mais lenta. A identificação dessas áreas é fundamental no âmbito do planeamento das competições, existindo o cuidado de evitar a passagem por essas áreas ou evitando que a capacidade de carga seja ultrapassada.
A crescente procura de áreas naturais para fins turístico-recreativos, motivada pelos estilos de vida predominantes nas sociedades atuais, levou à necessidade de publicação de legislação especifica, com a finalidade de compatibilizar a fruição dessas áreas com a preservação e conservação dos valores naturais em presença. Assim, surge a necessidade de cada Área Protegida elaborar a sua Carta de Desporto de Natureza - CDN (art.º 6 do Decreto Regulamentar n.º 18/99, de 27 de Agosto, alterado pelo Decreto Regulamentar n.º 17/03 de 10 de Outubro), que constitui um importante instrumento de planeamento e gestão do território classificado. Para a determinação das áreas com potencial para a prática das atividades de Desporto de Natureza, recorre-se à pesquisa de informação, complementada com levantamentos no terreno. De modo a recolher informação sobre as especificidades das diferentes modalidades procede-se ao contacto com as respetivas federações desportivas. Com o objetivo de identificar as condicionantes e potencialidades para a prática das diferentes modalidades, propõe-se a elaboração de uma matriz dos impactes ambientais gerados pelas atividades, bem como uma outra matriz indicativa dos requisitos exigidos para se poder desenvolver essas atividades. Ambas as matrizes servem para determinar os diferentes níveis de aptidão por modalidade, bem como para identificar as áreas interditas a atividades de recreio ativo. Para o efeito recorre-se a operações de análise espacial realizadas com recurso à utilização de um Sistema de Informação Geográfica (SIG). Como resultado são geradas cartas de aptidão para cada uma das modalidades de Desporto de Natureza, que pretendem ser um contributo para a elaboração da Carta de Desporto de Natureza.
A Engenharia Natural é um ramo da engenharia que procura otimizar os processos construtivos numa perspetiva, simultaneamente, de funcionalidade estrutural e ecológica, procurando que a intervenção construtiva preencha os objetivos que se lhe colocaram do ponto de vista funcional e se insira, simultaneamente o mais harmoniosamente possível no espaço, utilizando para tal os próprios sistemas e processos funcionais deste. Afirmando-se como uma engenharia do espaço e funções naturais, a Engenharia Natural recorre à utilização dos elementos e sistemas naturais, equilibrando as exigências crescentes das sociedades humanas e a preservação e promoção dos sistemas e comunidades naturais. Inclui os seguintes campos de atuação: • Construção e estabilização de taludes; • Estabilização de linhas de drenagem e de sistemas de controlo de erosão; • Recuperação e recultivação de áreas degradadas; • Renaturalização, recuperação, valorização e enquadramento ecológico de linhas de água, represas e zonas húmidas; • Acompanhamento e enquadramento de obras, minimizando os impactes do seu desenrolar e maximizando as medidas de mitigação de impactes. São apresentadas diferentes técnicas construtivas utilizadas na reabilitação de áreas degradadas, designadamente: (1) Construções combinadas de apoio, suporte e consolidação; (2) Técnicas de estabilização, para anulação das forças mecânicas e agregação do solo em profundidade; (3) Técnicas de cobertura, que permitem obter uma proteção superficial e extensiva, para melhoria dos balanços térmicos e hídricos; (4) Técnicas construtivas complementares, para condução e aceleração da sucessão a partir da vegetação inicial instalada.
Na sociedade actual, os hábitos de desporto e lazer viram-se cada vez mais para a utilização do meio natural para a sua prática, como é o caso da Orientação. Hoje em dia, existe, igualmente, uma maior consciência da necessidade de uma utilização sustentável dos recursos naturais do nosso planeta. O grande desafio será conciliar a linha de procura - de espaços para praticar orientação, com a linha de oferta - dos espaços naturais e da sua qualidade. A Orientação inclui toda a actividade em que se recorre à utilização de um mapa para se optar sobre o melhor trajecto a realizar entre dois locais. Enquanto modalidade de Desporto de Natureza, o praticante tenta realizar no menor tempo possível um percurso, tendo que visitar um conjunto de postos de controlo colocados no terreno. Deste modo, a identificação das áreas onde poderão ocorrer impactes significativos sobre os valores naturais é importante no âmbito do planeamento dos eventos de Orientação, de modo a evitar que a sua capacidade de carga seja ultrapassada. Tem-se verificado ultimamente um aumento da qualidade da organização das provas em Portugal, bem como no número de praticantes, no entanto, essa evolução positiva deverá ser acompanhada por um cuidado acrescido com os impactes originados pela prática da Orientação. O impacte da Orientação no ambiente tem duas facetas, por um lado a degradação da sua qualidade, através dos resíduos que são deixados inadvertidamente nas áreas onde se realizam as provas, por outro lado na destruição de vegetação e perturbação de espécies de animais. Ambas as categorias de impactes podem ser minimizadas desde que se cumpram um conjunto de regras de boas práticas ambientais.
É apresentada uma análise sumária referente aos estágios desenvolvidos pelos alunos do curso de licenciatura em Biologia Aplicada.
No âmbito da palestra abordou-se a temática da Análise do ciclo de vida (ACV) ou "análise ambiental do ciclo de vida" como ferramenta que permite analisar o impacte ambiental de um produto ou processo. Essa análise é feita sobre toda a "vida" do produto ou processo, desde o seu início (por exemplo, desde a extracção das matérias-primas no caso de um produto) até o final da vida (quando o produto deixa de ter uso e é considerado como resíduo), passando por todas as etapas intermédias, designadamente a produção, distribuição e utilização.
Documento apresentado na 3.ª Conferência Engenharia que decorreu na Universidade da Beira Interior - Covilhã, de 21 a 23 de Novembro de 2005.
The aim of the study was to analyse the evolution of land use patterns and environmental functions in Apostiça (Setubal Peninsula, Portugal). The study area was chosen for study because it serves as a dynamic model of land use modification, while simultaneously plays an important role in connecting habitats of great ecological value. The year 1966 was considered the starting point (base year) for the modifications, as that year marks the opening of a bridge over the Tagus River and the beginning of a direct traffic connection between Lisbon and the Setubal Peninsula. A structural characterisation and analysis of the main elements belonging to the overall ecological structure was completed for each year identified in the study in order to analyse the modification of the biological structures in the study area. Three indices were tested as measures to describe different proprieties of the landscape, the habitat layers index (Short 1988), the diversity index originated in information theory (Shannon and Weaver 1962) and the landscape contrast index (Romme et al, 1982; Hoover et al. 1991). The result of the application of the habitat layers index (Short 1988) indicates that this index could be useful to analyse de changes in biotope quality. The agricultural land use units abandoned, are well identified by a decrease of the habitat layers index. To study the structural diversity of the landscape was applied a diversity index originated in information theory (Shannon and Weaver 1962). That index gives information about the degree of heterogeneity of the land forms and vegetation cover belonging to a land use unit. The mapping of the Shannon index could be important in order to analyse the natural and semi-natural structures. For artificial structures the results are not so correct, and was difficult to establish a relation between the land use quality and its structure. The mapping of the landscape contrast index could be useful to identify potential corridors for species flows across the landscape.
The main objective of Landscape Ecology is to study the spatial pattern influence over ecological processes. In this presentation it is addressed the synergetic effects of landscape structure over populations and communities of wildlife species.
O presente trabalho resulta de uma palestra proferida na Czech University of Agriculture Prague, na República Checa, produzida no âmbito de um Teaching Staff Erasmus Mobility Programme.
O IPCB integra, desde 2011, o Projeto OTALEX C – Observatório Territorial e Ambiental Alentejo, Extremadura e Centro. A entidade promotora do Projeto OTALEX C é a Junta de Extremadura, que junta a si diversas instituições das três regiões, nomeadamente a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), Diputación de Badajoz, Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), Diputación de Cáceres, Instituto Geográfico Nacional, Direção-Geral do Território, CCDR Alentejo, EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, Universidad de Extremadura, Universidade de Évora e IPCB.
O presente estudo procura contribuir para o desenvolvimento de uma metodologia de gestão com base numa concepção do sistema ecológico que aborda aspectos fisionómicos e de composição específica conjuntamente com a análise de perturbações. O modelo que se pretende construir visa estruturar os dados recolhidos de forma a torná-los operacionais e expressivos de um determinado contexto ecológico. Pretende-se assim: · Desenvolver critérios fisionómicos/estruturais e relativos à composição específica que sejam determinantes para a definição de manchas em termos da sua identidade e particularidade; · Desenvolver descritores para análise da perturbação dos sistemas ecológicos; · Proposta de um modelo matricial de caracterização ecológica do território com utilidade para a sua gestão; · Aplicação do modelo em dois casos de estudo localizados na Apostiça (Península de Setúbal)e em Guadalupe/S. Sofia (Évora. Este 2º Relatório de progresso é referente à Fase de Caracterização das diferentes unidades de uso e inventariação dos elementos, que se desenvolveu durante o semestre compreendido entre Setembro de 1997 e Fevereiro de 1998. Inclui informação relativa à caracterização ecológica, vegetação, fauna para a região de Évora, bem como a cartografia das unidades de uso/habitats para a área da Apostiça.
Com o objectivo de determinar a sua aptidão para interpretar a modificação do mosaico paisagístico, foram testados alguns índices de caracterização ecológica da paisagem numa área localizada na Península de Setúbal. Foram gerados mapas digitais com recurso ao Sistema de Informação Geográfica ARCINFO, correspondentes a diferentes níveis de agregação das unidades de uso/habitat para a zona de estudo, em três anos diferentes (1958, 1967 e 1994). Posteriormente foi aplicado o programa FRAGSTATS de forma a calcular os índices seleccionados. Finalmente discutem-se os resultados obtidos, tecendo-se algumas considerações sobre a sua aplicabilidade.
Cartografia de detalhe da área da Quinta da Senhora de Mércules (Castelo Branco), efetuada com base na norma ISOM2000 - International Specification for Orienteering Maps. A Quinta da Senhora de Mércules ocupa uma área total de 166 ha. É limitada a norte e a sul por infraestruturas viárias que ligam a cidade ao rio Ponsul e ao Santuário da Senhora de Mércules, respetivamente. A Nascente é parcialmente limitada pela ribeira da Senhora de Mércules e a Poente confina com propriedades particulares do Lugar das Perdizes. O espaço da Quinta apresenta-se bastante heterogéneo, no que diz respeito à sua morfologia, com um relevo ondulado. Apresenta um coberto vegetal diversificado com vegetação xerofítica natural e zonas de vegetação hidromórfica. O sistema hídrico é constituído por uma rede hidrográfica de regime não permanente.
O principal objectivo do estudo foi identificar os descritores da estrutura paisagística com maior influência na composição das comunidades de passeriformes nidificantes em quinze áreas amostra representativas dos diferentes padrões de uso agro-florestal na região envolvente de Évora. A inventariação das aves baseou-se na aplicação do método pontual sem limite de distância, tendo-se determinado como descritores comunitários a riqueza específica e o índice de Shannon-Wiener. A informação relativa ao uso do solo para cada uma das áreas de pormenor foi integrada no Sistema de Informação Geográfica ArcView, tendo a determinação da diversidade e heterogeneidade da paisagem em cada uma das áreas de pormenor sido realizada com recurso à aplicação do índice de diversidade de Shannon-Wiener e do índice de Simpson modificado. Procedeu-se posteriormente à análise das relações entre os descritores relativos à ocupação e estrutura de uso e os descritores das comunidades avifaunísticas, com recurso a um conjunto de técnicas de análise multivariada, designadamente a um método de classificação para a determinação de tipos estruturais de uso com interesse avifaunístico, agrupando as áreas de pormenor com base na ocorrência de passeriformes nidificantes. Esta técnica foi igualmente utilizada para agrupar as espécies de passeriformes. Recorreu-se igualmente a um método de ordenação directa, a Análise Canónica de Correspondências, para determinar as possíveis relações múltiplas entre as diferentes variáveis e medidas estruturais da paisagem e os dados referentes às comunidades orníticas. A análise realizada permitiu definir cinco agrupamentos de áreas de pormenor com uma composição faunística diferenciada. Estes agrupamentos foram caracterizados com base nos atributos estruturais da paisagem e em aspectos de dominância/codominância das diferentes classes de uso ocorrentes. Da análise dos resultados observa-se a existência de grupos ecologicamente coerentes, podendo-se estabelecer uma relação com os resultados obtidos com base na análise classificativa das áreas de pormenor. Constata-se, igualmente, a existência de um agrupamento constituído predominantemente por espécies características de habitats abertos ou com um coberto arbustivo muito esparso. Foi também possível identificar um conjunto de espécies fortemente associadas a estruturas de montado com valores de diversidade estrutural elevados.
Apresenta-se um estudo onde foram testados métodos de análise espacial de forma a caracterizar a evolução das estruturas ecológicas da paisagem e avaliar as alterações funcionais dessa paisagem. A avaliação da estrutura e funcionalidade da paisagem foi baseada essencialmente nas abordagens de vários autores relativas à quantificação de determinados parâmetros ao nível da Ecologia da Paisegem. Com base na análise diacrónica foi possível estabelecer uma comparação entre os resultados obtidos pelos vários métodos de avaliação dos impactes das alterações de uso e a evolução dos usos realmente verificado. Desta forma procurou-se concluir das relações de causalidade existente entre as modificações do uso e as alterações ambientais verificadas. Este estudo constituiu assim, uma tentativa de sistematização da aplicabilidade de índices e metodologias da Ecologia da Paisagem à análise de quadros de uso e das suas modificações.
The main objective of this study is to identify the vegetation/habitat measures having a greater influence on the presence of avian species in two types of agrossystems located in the South of Portugal. This approach for classifying habitat types allows a consistent development of wildlife management strategies. Four line transects were defined. Two were located near Évora (Santa Sofia and Valverde) and the other two in Apostiça (Lagoa do Golfo and Marco do Grilo). Several variables were measured to describe the vegetation as a habitat. The linear transect technique was used in the bird sampling. Multivariate statistics were used to analyse the relation between the presence/absence of avian communities and the different vegetation cover measures. These include vegetation vertical structure, percentage of vegetation cover types, and vegetation diversity measures. The relation between avian diversity and vegetation structure descriptors, as well as the vegetation diversity, was analysed using simple regression methods. Physiognomic gradients were identified based on structural variables. The bird communities seem to respond to the above mentioned structural differences. Moreover, the diversity of these communities is related to the percent cover of shrub and tree layers.
In this study we developed a decision support system based on multicriteria spatial analysis in order to select sites suitable to locate biomass plants. A set of environmental, economic and social criteria was defined, evaluated and weighted in the context of Saaty's analytic hierarchies. The best alternatives were obtained after applying Analytic Hierarchy Process (AHP). The model was applied to the central region of Portugal where forest and agriculture are the most representative land uses. Finally, sensitivity analysis of the set of factors and their associated weights was performed to test the robustness of the model. The proposed evaluation model provides a valuable reference for decision makers in establishing a standardized means of selecting the optimal location for new biomass plants.
The study of wildlife communities to assess the landscape value is crucial in Landscape Ecology in order to develop bidiversity management strategies in rural landscapes and to assist land managers with their decision making processes. This poster reports the results achieved assessing biodiversity using landscape structural indicators. The main objective was to identify the landscape measures having a greater influence on the presence of avian communities in agrosystems located around Évora (South of Portugal). Birds were sampled along transects representing the different land use patterns occurring within the study area. Land use types/vegetation cover were mapped within buffers around those transects. The landscape indicators applied to each buffer are Shannon & Weaver’s Diversity Index (H’) (1962) for habitats biodiversity, Modified Simpson’s Index (E) (Romme & Knigth, 1982) for habitats heterogeneity, and organization pattern (D1) (O’Neill et al. 1988). Avian diversity was also measured using the Simpson’s index. ArcView software was used to map the land cover features and to calculate the values for the selected indices. The relation between the avian communities present and its attributes with the different landscape measures was analysed with multivariate statistics tools.
A identificação das áreas onde ocorrem impactes significativos sobre a vegetação, resultantes do pisoteio, é importante no âmbito do planeamento dos eventos de Orientação Pedestre, de modo a evitar que a sua capacidade de carga seja ultrapassada. Em Novembro de 2006 foi efectuado um estudo com o objectivo de avaliar os impactes na flora e vegetação originados por um evento de Orientação Pedestre de nível nacional sobre a vegetação e sua capacidade de regeneração. Esta prova realizou-se na Serra de Santa Isabel, no concelho de Terras do Bouro. Foram seleccionadas vinte e quatro áreas de amostragem considerando a representatividade da vegetação, as áreas de maior passagem de atletas e a vulnerabilidade e valor florístico. Todas as áreas foram caracterizadas e avaliadas, antes, imediatamente após e seis meses após o evento. Procedeu-se a uma caracterização da vegetação arbustiva e herbácea, com registo das espécies ocorrentes e respectivas classes de abundância/dominância. Os efeitos sobre a flora e vegetação assumiram uma magnitude e significado reduzidos, verificando-se uma recuperação das condições anteriores à prova. Porém, foram identificadas situações particulares de maior vulnerabilidade, associadas à presença de formações com menor capacidade de regeneração e a áreas com declive acentuado.
A Orientação inclui toda a actividade em que se recorre à utilização de um mapa para se optar sobre o melhor trajecto a realizar entre dois locais. Enquanto modalidade de Desporto de Natureza, o praticante tenta realizar no menor tempo possível um percurso, previamente definido e marcado num mapa, tendo que visitar, pela ordem definida no mapa, um conjunto de postos de controlo colocados no terreno. A identificação das áreas onde ocorrem impactes significativos sobre a vegetação, resultantes do pisoteio, é importante no âmbito do planeamento dos eventos de Orientação Pedestre, de modo a evitar que a sua capacidade de carga seja ultrapassada. Em Novembro de 2006 foi efectuado um estudo com o objectivo de avaliar os impactes na flora e vegetação originados por um evento de Orientação Pedestre de nível nacional sobre a vegetação e sua capacidade de regeneração. Esta prova realizou-se na Serra de Santa Isabel, no concelho de Terras do Bouro. Foram seleccionadas vinte e quatro áreas de amostragem considerando a representatividade da vegetação, as áreas de maior passagem de atletas e a vulnerabilidade e valor florístico. Todas as áreas foram caracterizadas e avaliadas, antes, imediatamente após e dez meses após o evento. Procedeu-se a uma caracterização da vegetação arbustiva e herbácea, com registo das espécies ocorrentes e respectivas classes de abundância/dominância. A observação dos efeitos induzidos pela passagem dos praticantes sobre a vegetação foi efectuada in loco e registada em suporte fotográfico e, em ficha de observação. Foi igualmente registada a área correspondente afectada. Os efeitos sobre a flora e vegetação assumiram uma magnitude e significado reduzidos, verificando-se uma recuperação das condições anteriores à prova. Porém, foram identificadas situações particulares de maior vulnerabilidade, associadas à presença de formações com menor capacidade de regeneração e a áreas com declive acentuado.
O guia de boas práticas ambientais em Orientação visa contribuir para uma prática mais equilibrada e sustentável da orientação. É fundamental perceber que o impacte da orientação no Ambiente poderá ter duas facetas, por um lado a degradação da sua qualidade, através dos resíduos que são deixados inadvertidamente nas áreas onde se realizam as provas, por outro lado na destruição de vegetação e perturbação de espécies de animais. Ambas as categorias de impactes podem ser minimizadas desde que se cumpram um conjunto de regras de Boas Práticas Ambientais.
Na sociedade atual os hábitos de desporto e lazer viram-se cada vez mais para a utilização do meio natural para a sua prática, como é o caso da Orientação. O impacte da orientação no ambiente tem duas facetas, por um lado a degradação da sua qualidade, através dos resíduos que são deixados inadvertidamente nas áreas onde se realizam as provas, por outro lado na destruição de vegetação e perturbação de espécies de animais. Ambas as categorias de impactes podem ser minimizadas desde que se cumpram um conjunto de regras de boas práticas ambientais. O estudo em causa teve como objectivos a avaliação do impacte do Grande Prémio de Orientação de Terras do Bouro sobre a flora e vegetação da serra de Santa Isabel, e da sua capacidade de regeneração subsequente ao evento. Este evento realizou-se nos dias 11 e 12 de Novembro de 2006, e consistiu numa prova da Taça de Portugal de Orientação Pedestre. A primeira etapa correspondeu a uma prova de distância média e a segunda etapa a uma prova de distância longa. Com este trabalho pretende-se contribuir para um melhor conhecimento dos impactes originados pela realização de provas de orientação sobre a vegetação, de forma a fornecer informação que possibilite uma melhor gestão ambiental deste tipo de eventos desportivos.
A Orientação inclui toda a actividade em que se recorre à utilização de um mapa para se optar sobre o melhor trajecto a realizar entre dois locais. Enquanto modalidade de Desporto de Natureza, o praticante tenta realizar no menor tempo possível um percurso, previamente definido e marcado num mapa, tendo que visitar, pela ordem definida no mapa, um conjunto de postos de controlo colocados no terreno. A identificação das áreas onde ocorrem impactes significativos sobre a vegetação, resultantes do pisoteio, é importante no âmbito do planeamento dos eventos de Orientação Pedestre, de modo a evitar que a sua capacidade de carga seja ultrapassada. Em Novembro de 2006 foi efectuado um estudo com o objectivo de avaliar os impactes na flora e vegetação originados por um evento de Orientação Pedestre de nível nacional sobre a vegetação e sua capacidade de regeneração. Esta prova realizou-se na Serra de Santa Isabel, no concelho de Terras do Bouro. Foram seleccionadas vinte e quatro áreas de amostragem considerando a representatividade da vegetação, as áreas de maior passagem de atletas e a vulnerabilidade e valor florístico. Todas as áreas foram caracterizadas e avaliadas, antes, imediatamente após e dez meses após o evento. Procedeu-se a uma caracterização da vegetação arbustiva e herbácea, com registo das espécies ocorrentes e respectivas classes de abundância/dominância. A observação dos efeitos induzidos pela passagem dos praticantes sobre a vegetação foi efectuada in loco e registada em suporte fotográfico e em ficha de observação. Foi igualmente registada a área correspondente afectada. Os efeitos sobre a flora e vegetação assumiram uma magnitude e significado reduzidos, verificando-se uma recuperação das condições anteriores à prova. Porém, foram identificadas situações particulares de maior vulnerabilidade, associadas à presença de formações com menor capacidade de regeneração e a áreas com declive acentuado.
Na sociedade atual os hábitos de desporto e lazer viram-se cada vez mais para a utilização do meio natural para a sua prática, como é o caso da Orientação. O impacte da orientação no ambiente tem duas facetas, por um lado a degradação da sua qualidade, através dos resíduos que são deixados inadvertidamente nas áreas onde se realizam as provas, por outro lado na destruição de vegetação e perturbação de espécies de animais. Ambas as categorias de impactes podem ser minimizadas desde que se cumpram um conjunto de regras de boas práticas ambientais. O estudo em causa teve como objectivos a avaliação do impacte do Grande Prémio de Orientação de Terras do Bouro sobre a flora e vegetação da serra de Santa Isabel, e da sua capacidade de regeneração subsequente ao evento. Este evento realizou-se nos dias 11 e 12 de Novembro de 2006, e consistiu numa prova da Taça de Portugal de Orientação Pedestre. A primeira etapa correspondeu a uma prova de distância média e a segunda etapa a uma prova de distância longa. Com este trabalho pretende-se contribuir para um melhor conhecimento dos impactes originados pela realização de provas de orientação sobre a vegetação, de forma a fornecer informação que possibilite uma melhor gestão ambiental deste tipo de eventos desportivos.
O objectivo deste trabalho consistiu em testar diferentes escalas de abordagem com o intuito de verificar qual a que permite obter melhores correlações entre a composição das comunidades de aves nidificantes e a estrutura de uso.
Com este trabalho pretendeu-se verificar a influência das políticas agro-florestais na transformação da ocupação do solo do concelho de Constância, considerando os anos de 1970, 1983 e 1990, bem como avaliar a adequabilidade da ocupação do território às suas potencialidades numa óptica de sustentabilidade.
A Orientação inclui toda a actividade em que se recorre à utilização de um mapa para se optar sobre o melhor trajecto a realizar entre dois locais. Enquanto modalidade de Desporto de Natureza, o praticante tenta realizar no menor tempo possível um percurso, previamente definido e marcado num mapa, tendo que visitar, pela ordem definida no mapa, um conjunto de postos de controlo colocados no terreno. A identificação das áreas onde ocorrem impactes significativos sobre a vegetação, resultantes do pisoteio, é importante no âmbito do planeamento dos eventos de Orientação Pedestre, de modo a evitar que a sua capacidade de carga seja ultrapassada. Em Novembro de 2006 foi efectuado um estudo com o objectivo de avaliar os impactes originados por um evento de Orientação Pedestre de nível nacional sobre a vegetação e sua capacidade de regeneração. Esta prova realizou-se na Serra de Santa Isabel, no concelho de Terras do Bouro (Portugal). Foram seleccionadas vinte e quatro áreas de amostragem, considerando a representatividade da vegetação, as áreas de maior passagem de atletas e a vulnerabilidade e valor florístico. Todas as áreas foram caracterizadas e avaliadas, antes, imediatamente após e dez meses após o evento. Procedeu-se a uma caracterização da vegetação arbustiva e herbácea, com registo das espécies ocorrentes e respectivas classes de abundância/dominância. A observação dos efeitos induzidos pela passagem dos praticantes sobre a vegetação foi efectuada in loco e registada em suporte fotográfico e em ficha de observação. Foi igualmente registada a área correspondente afectada. Os efeitos sobre a flora e vegetação assumiram uma magnitude e significado reduzidos, verificando-se uma recuperação das condições anteriores à prova. Porém, foram identificadas situações particulares de maior vulnerabilidade, associadas à presença de formações com menor capacidade de regeneração e a áreas com declive acentuado.
The concept of landscape units in general refer to coherent spatial areas that are characterized by a certain degree of homogeneity concerning certain properties like natural conditions (geology, geomorphology, soils and climate) and land use. A more analytical approach, with no preconceived geometrical objects, is the simple overlay of different thematic maps, in order to define features. Parallel characterization methods like the Matrix, Patch, and Corridor framework, although very useful in the description of the functional role of the geographical entities, are unable to differentiate the nature of the factors determining those entities. By the other hand, landscape metrics, defined as algorithms that quantify specific spatial characteristics of patches, classes of patches, or entire landscape mosaics, could be useful to define landscape units that have a common set of geometrical properties, referring to coherent spatial areas that are characterized by a certain degree of homogeneity concerning those properties. Some authors conceived a landscape unit as a combination of the stable environmental factors (e.g., geology) with the circumstantial factors (land cover). The variables such as the property structure and human settlement are reflected largely in land use geometry. In this study, the Centro region of Portugal was divided in 10 km x 10 km UTM grids. A set of landscape metrics was calculated for each grid representing the land use (COS’2007 - level 3). A cluster analysis was performed in order to define groups of grids that have the same geometrical proprieties. The validation of the results obtained with previously defined landscape units and potential vegetation mapping confirm the reliability of the present methodology.
Estabelecidas as bases da política de ordenamento do território e de urbanismo pela Lei n.º 48/98, de 11 de Agosto, procedeu-se à concretização do programa de acção legislativa complementar através do Decreto-Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, definindo-se o regime de coordenação dos âmbitos nacional, regional e municipal do sistema de gestão territorial, o regime geral de uso do solo e o regime de elaboração, aprovação, execução e avaliação dos instrumentos de gestão territorial.
Para a determinação do risco de erosão hídrica foi utilizada a metodologia RUSLE - Equação Universal de Perda de Solo Revista, que permitiu prever a perda de solo e identificar quais as zonas do concelho em estudo com maior potencial erosivo. Este modelo envolve dados de precipitação anual média, de topografia, dos tipos de solos e também de ocupação do solo. Em ambos os casos, a resolução utilizada foi de 80 m, visto que para além de serem utilizados ficheiros à escala de 1:25000, a informação base disponibilizada, principalmente pela Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, encontrava-se com esta dimensão de célula. A aplicação da metodologia CRIF permitiu identificar que a freguesia que apresenta risco de incêndio mais elevado é Pessegueiro, pois possui uma grande área de florestas e áreas agrícolas heterogéneas. Em relação à metodologia RUSLE, esta levou a concluir que o declive é o fator determinante na perda de solo por erosão hídrica.
A zona histórica da Vila de Oleiros possui edifícios que retratam os seus valores culturais, históricos e arquitetónicos, devendo ser preservados e protegidos dos diversos perigos a que se encontram sujeitos. Tendo em conta as suas características peculiares e os materiais usados na maior parte dos edifícios, o risco de incêndio é uma das ameaças mais preocupantes nestes locais. No presente trabalho, é realizada uma análise de risco de incêndio urbano a um conjunto de edifícios da referida zona histórica, no sentido de aferir o seu atual estado, e ainda analisar o risco que poderá advir para o aglomerado urbano em causa, resultante da ocorrência de um incêndio florestal na sua envolvente.
É consensual que a escolha dos usos mais adequados às aptidões edafoclimáticas, complementada com critérios socioeconómicos, promove uma utilização sustentável dos espaços rurais. Existem, no entanto, diferentes metodologias utilizadas para a definição da capacidade e potencialidade do solo para a implementação de usos agroflorestais ou para a manutenção de ecossistemas naturais e seminaturais, nomeadamente culturas agrícolas, povoamentos florestais, territórios agro-silvo-pastoris e áreas prioritárias para a conservação da natureza. Muitas dessas metodologias recorrem a sistemas de apoio à decisão, baseados na análise espacial multicritério. Neste estudo pretendeu-se determinar os diferentes níveis de aptidão para a utilização de culturas agrícolas, povoamentos florestais e sistemas agrosilvopastoris no território da Beira Baixa. Para o efeito recorreu-se a um conjunto de variáveis climáticas, edáficas e topográficas, tendo como base um modelo digital do terreno, cartografia de solos e cartografia fitossociológica e biogeográfica. A avaliação da aptidão foi efetuada com recurso ao método de análise espacial multicritério Analytic Hierarchy Process (AHP) em ambiente SIG.
Documento apresentado no 13.º Congresso da APDR que decorreu de 5 a 7 de Julho de 2007 na Universidade dos Açores, em Angra do Heroísmo - Ilha Terceira.
Trabalho apresentado no X Encontro de Utilizadores de Informação Geográfica que decorreu em Lisboa, no Tagus Park de 14 a 16 de Maio de 2008.
Fifteen strawberry tree natural populations in different ecological conditions were sampled, ca. 30 trees per stand. Our aims were to investigate the genetic structure the species, and to disclose the historical demographic processes shaping the genetic structure. The obtained information will be used in the species improvement and in the design and management of conservation programs. Fifteen haplotypes were obtained after screening the individuals with four chloroplast microsatellites. Four clusters were identified using BAPS analysis. A “northern”, a “central”, a “southern”, and a four cluster with a single population. The hierarchical AMOVA showed a stronger differentiation among clusters than among populations within clusters. The relatively low among populations within clusters differentiation could be explained by the common postglacial history of nearby populations, which might also be connected through bird-mediated seed flow. The species was also ecologically characterized in the Centre region, using bioclimatology, lithology, topography, soil type, vegetation and wildfires records. The data processed was the digital terrain model (DTM), mapping soils, burnt areas perimeters and phytosociological and biogeographical maps. Climatological data was used to calculate bioclimatic indices. Exploratory multivariate statistical analysis with the gathered data was performed: a principal component analysis (PCA) and hierarchical cluster analysis (HCA). Finally, the Habitat Suitability for the species was calculated using the Analytic Hierarchy Process (AHP).
The main objective of this study is to identify the structure/landscape measures having a greater influence on the presence of avian species in two types of agrossystems located in the South of Portugal. Four line transects were defined. Two were located in holm oak and cork oak “Montado" near Évora and the other in a pineyard located in the Setúbal Peninsula (Apostiça). Several variables were measured to describe the vegetation as a habitat. The linear transect technique was used in the bird sampling. Multivariate statistics were used to analyse the relation between the presence/absence of avian communities and the different vegetation cover measures. These include vegetation vertical structure and percentage of vegetation cover types. The relation between avian diversity and vegetation structure descriptors, as well as the vegetation diversity, was analysed using simple regression methods. The bird communities seem to respond to the above mentioned structural differences. Moreover, the diversity of these communities is related to the percent cover of shrub and tree layers.
É consensual que a escolha dos usos mais adequados às aptidões edafo-climáticas, complementada com critérios socioeconómicos, promove uma utilização sustentável dos espaços rurais. Existem, no entanto, diferentes metodologias utilizadas para a definição da capacidade e potencialidade do solo para a implementação de usos agro-florestais ou manutenção de ecossistemas naturais e seminaturais, nomeadamente culturas agrícolas, povoamentos florestais, territórios agro-silvo-pastoris, áreas prioritárias para a conservação da natureza. Muitas dessas metodologias recorrem a sistemas de apoio à decisão, baseados na análise espacial multicritério. Neste estudo pretendeu-se determinar os diferentes níveis de aptidão para a utilização agro-florestal do município de Idanha-a-Nova, para o efeito recorreu-se a um conjunto de variáveis edáficas e topográficas. Foram igualmente incorporadas as condicionantes legais e a ocupação do solo. A avaliação da aptidão foi efetuada com recurso ao método de análise espacial multicritério Analytic Hierarchy Process (AHP). O resultado obtido com esta metodologia, confrontado com a matriz de uso existente, permite identificar as áreas onde a ocupação e gestão está de acordo com a aptidão do espaço, bem como as áreas onde o uso deverá ser alvo de uma reconversão ou apenas a uma alteração de modo de gestão.
It is generally agreed that the choice of the most suitable uses based in soil and climatic factors, complemented with socio-economic criteria, promotes sustainable use of rural land. There are, however, different methodologies for defining the soil suitability to agroforestal systems or natural and seminatural ecosystems, including agricultural uses, forest plantations, agro-forestry areas and priority areas for nature conservation. Many of these methods rely on decision support systems based on multicriteria spatial analysis. In this study we intended to determine the different levels of suitability for agro-forestry use in a subregion located in the center of Portugal, near the border with Spain. To the effect we used a set of soil and topographic variables. The legal constraints and land cover were also included. The suitability evaluation was performed using the Analytic Hierarchy Process (AHP). A spatial analysis was also performed in order to confront the land use matrix with the soil potentiality. This analysis allows to identify areas where the use and management it is in accordance with their suitability, as well as areas where the use must be subject to a conversion or at least to a change of management mode.
A seleção dos usos dos solo mais adequados às aptidões edafoclimáticas, é complementada com critérios socioeconómicos, que promovem uma utilização sustentável dos espaços rurais. Para a definição da capacidade e potencialidade do solo, existem diferentes metodologias, com o propósito de se adequar aos usos agroflorestais ou ainda para a manutenção de ecossistemas naturais e seminaturais, nomeadamente no que concerne as culturas agrícolas, povoamentos florestais, territórios agro-silvo-pastoris e áreas prioritárias para a conservação da natureza. A maioria dessas metodologias recorrem a sistemas de apoio à decisão, baseados na análise espacial multicritério. Neste estudo pretendeu-se determinar os diferentes níveis de aptidão para a utilização de culturas agrícolas, povoamentos florestais e sistemas agro-silvo-pastoris no território da Beira Baixa. Para o efeito recorreu-se a um conjunto de variáveis topográficas, edáficas e climáticas, tendo como base um modelo digital do terreno, cartografia de solos e cartografia fitossociológica e biogeográfica. A avaliação da aptidão foi efetuada com recurso ao método de análise espacial multicritério Analytic Hierarchy Process (AHP) em ambiente SIG.
A crescente procura de territórios rurais para fins turístico-recreativos, com especial incidência nas áreas de valor paisagístico mais elevado, requer a necessidade de compatibilizar a fruição dessas áreas com a preservação e conservação dos valores naturais. Surge, assim, a necessidade de desenvolver uma metodologia de gestão do território apoiada em ferramentas de análise espacial multicritério. Para a determinação das áreas com potencial para a prática das atividades de recreio ativo, recorreu-se à pesquisa de informação, biofísica e socioeconómica, que permitiu a caracterização do território e da sua utilização por parte dos diferentes stakeholders. Por outro lado, foi analisada informação sobre as especificidades das diferentes modalidades de recreio ativo com o objetivo de identificar as condicionantes e potencialidades para a sua prática. A identificação das áreas com aptidão para o recreio, bem como das condicionantes, foi efetuada com base na integração de um conjunto de fatores com recurso ao programa ArcGIS. Os fatores foram classificados em três níveis de aptidão, calculados mediante a aplicação de um método de análise espacial multicritério - o Processo Analítico Hierárquico (AHP). Como resultado obteve-se um modelo de utilização turístico-recreativo do território em estudo numa perspetiva de apoio à sua gestão sustentável.
It is generally agreed that the choice of the most suitable uses based in soil and climatic factors, complemented with socio-economic criteria, promotes sustainable use of rural land. There are, however, different methodologies for defining the soil suitability to agroforestal systems or natural and seminatural ecosystems, including agricultural uses, forest plantations, agro-forestry areas and priority areas for nature conservation. Many of these methods rely on decision support systems based on multicriteria spatial analysis. In this study we intended to determine the different levels of suitability for agro-forestry use in a subregion located in the center of Portugal, near the border with Spain. To the effect we used a set of soil and topographic variables. The legal constraints and land cover were also included. The suitability evaluation was performed using the Analytic Hierarchy Process (AHP). A spatial analysis was also performed in order to confront the land use matrix with the soil potentiality. This analysis allows to identify areas where the use and management it is in accordance with their suitability, as well as areas where the use must be subject to a conversion or at least to a change of management mode.
No Projecto POCI/AGR/59180/2004, concluído em 2009 (cf. Lobo-Ferreira et al., 2009), apresenta-se uma metodologia para avaliação quantitativa dos impactos dos fogos florestais na quantidade e qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Nesta metodologia procura-se avaliar as alterações que possam ter ocorrido após o fogo: (A) em volumes de recarga, (B) volumes de escoamento superficial, (C) qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Esta metodologia considera: (1) tipo e densidade de coberto vegetal à data do incêndio; (2) tipos de poluentes que podem ser libertados pelas diferentes comunidades vegetais afectadas pelo fogo; (3) extensão e volume do aquífero e sua porosidade eficaz, para aferir dos volumes de reservas de água; (4) recarga média anual; (5) tempo de permanência das águas no sistema subterrâneo. Para a avaliação do tipo e densidade de coberto vegetal e consequente biomassa combustível à data do incêndio usou-se a inventariação fitossociológica, cartografia da vegetação, análise estatística multivariada e estimativa da biomassa florestal ardida, realizada pela Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Os tipos e cargas poluentes libertados calcularam-se com base nos valores de biomassa ardida e estudos (realizados por INETI – Departamento de Engenharia Energética e Controlo Ambiental) de cinzas de ensaios de combustão de espécies florestais e arbustivas representativas do coberto vegetal ardido, e ensaios de lixiviação de solos e cinzas. A avaliação das variações na recarga baseou-se na informação recolhida nos estudos quantitativos realizados na bacia de Manteigas, associada a modelos hidrológicos conceptuais e cenários de variação de escoamento e evapotranspiração quando a informação não era suficiente para colmatar as lacunas de conhecimento. Com base na biomassa ardida, características composicionais das suas cinzas e potenciais de lixiviação, calculou-se a quantidade e tipo de poluentes em fase sólida e dissolvida passíveis de entrar nas águas superficiais e subterrânea. As características hidráulicas dos meios geológicos afectados deram os volumes de armazenamento e as prováveis velocidades de circulação nestes materiais, o que serviu para prever espaços temporais de contaminação da área. Da avaliação dos volumes de carga poluente calculados e dos dados de campo de decaimento destas cargas poluentes nas águas superficiais e subterrâneas em zonas de coberto vegetal similar estabeleceram-se cenários possíveis do tempo de desaparição do poluente na área ardida. Nesta comunicação realçam-se os aspectos relacionados com a caracterização e análise do coberto vegetal lenhoso e o seu contributo para a produção de cinzas resultantes de incêndios florestais.
Procedeu-se à inventariação de informação relativa aos solos e vegetação nas áreas de estudo, correspondentes às bacias hidrográficas do Caratão, Carvoeiro e Quebradas. De acordo com a informação recolhida procedeu-se a uma análise estatística e respectiva representação espacial das variáveis em estudo. A análise estatística multivariada, juntamente com os sistemas de informação geográfica, constituem uma poderosa combinação de instrumentos que permitem analisar padrões regionais de distribuição das comunidades florísticas. Na presente análise estas técnicas foram aplicadas com o intuito de: a. Compreender a importância das variáveis ambientais para as comunidades vegetais nas áreas em apreço; b. Quantificar as preferências de habitat por parte das mesmas espécies; c. Classificar os inventários realizados com base em critérios de dominância e de semelhança na composição florística. Para cada uma das bacias hidrográficas, e para efeitos de amostragem, foi definida uma grelha de pontos para as três primeiras bacias com uma equidistância de 160 m (Figura 1). Foram consideradas parcelas de amostragem com uma área de 200 m2 centradas nesses pontos. Esta rede de amostragem foi considerada a mais adequada para realizar uma análise ecológica das áreas em apreço. Procedeu-se igualmente à recolha material vegetal para incineração e determinação do teor de humidade, bem como à recolha de amostras de solo por inventário fitossociológico. O inventário das espécies arbóreas e arbustivas e respectiva caracterização dendrométrica permitiu estimar, através de modelos de previsão do crescimento das espécies, a biomassa disponível.
O concelho do Fundão é fortemente marcado pela da Serra Gardunha. A sua importância regional a nível climático e hídrico é notória e o património natural e histórico que encerra, bem como o valor das actividades económicas que se desenvolvem nas suas encostas, particularmente as agro-florestais, fazem desta formação montanhosa um dos recursos concelhios da maior importância. O território da Serra inclui terrenos de titularidade, vocação e aproveitamentos diversos. Mantendo alguns dos usos uma certa vitalidade que infelizmente não se reflecte a nível demográfico. Os distintos aproveitamentos que actualmente se fazem da serra não estão articulados nem submetidos a nenhum sistema integrado de gestão territorial, pelo que se torna urgente promover a articulação dos modelos de gestão de usos existentes com as necessidades suscitadas pelos usos emergentes deste território. Uma das vias a privilegiar será a implantação de processos de gestão do território que incluam, se necessário, a criação de uma estrutura institucional integradora, que permita atingir múltiplos objectivos de produção de bens e serviços e de desenvolvimento local, com base na participação e expectativas dos agentes e populações envolvidas. No âmbito da Acção 8 – Dinamização do Desenvolvimento Agro-florestal e Rural, inserida na Medida AGRIS, a Câmara Municipal do Fundão, a Direcção Regional de Agricultura da Beira Interior e a Escola Superior Agrária de Castelo Branco constituíram uma parceria, no sentido de unirem esforços para o desenvolvimento do projecto “Dinamização da Gestão dos Baldios da Serra da Gardunha”.
Este estudo pretende identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior Sul e a estrutura da paisagem desse território. Com base na ocupação do solo foi calculado, através da extensão Patch Analyst do programa ArcGIS 9.3.1, um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem. A informação da rugosidade do terreno foi calculada a partir do Modelo Digital do Terreno através da extensão Land Facet Corridor Tools do programa ArcGIS 9.3.1. Os dados resultantes, juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente estudados através de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados mostram que a Beira Interior Sul apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito às comunidades de passeriformes nidificantes, embora os resultados obtidos não sejam idênticos para toda a sub-região. Este facto pode ser explicado por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector oeste mais homogéneo, com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector este com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, mostram ainda que as tipologias de ocupação do solo têm maior influência na distribuição da avifauna, ao explicar 37% da variação total, do que a estrutura, cujo resultado foi de 16%. O índice de rugosidade da superfície do terreno, melhorou a explicação da variação total em 5%.
Desenvolvimento de uma metodologia de análise espacial com recurso à análise espacial multicritério (Processo Analítico Hierárquico - AHP), tendo por base variáveis biofísicas e condicionantes legais que possibilitem definir a compartimentação e organização espacial da área a gerir, na perspetiva da multifuncionalidade dos espaços florestais, contemplando: a função de produção; a função de proteção; a função de conservação de habitats, fauna e da flora e de geomonumentos; a função de silvopastorícia, caça e pesca nas águas interiores; e a função de recreio, enquadramento e estética da paisagem.
Este estudo pretende identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior Sul e a estrutura da paisagem desse território. Com base na ocupação do solo foi calculado, através da extensão Patch Analyst do programa ArcGIS 9.3.1, um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem. A informação da rugosidade do terreno foi calculada a partir do Modelo Digital do Terreno através da extensão Land Facet Corridor Tools do programa ArcGIS 9.3.1. Os dados resultantes, juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente estudados através de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados mostram que a Beira Interior Sul apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito às comunidades de passeriformes nidificantes, embora os resultados obtidos não sejam idênticos para toda a sub-região. Este facto pode ser explicado por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector oeste mais homogéneo, com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector este com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, mostram ainda que as tipologias de ocupação do solo têm maior influência na distribuição da avifauna, ao explicar 37% da variação total, do que a estrutura, cujo resultado foi de 16%. O índice de rugosidade da superfície do terreno, melhorou a explicação da variação total em 5%.
Desenvolvimento de uma metodologia de análise espacial com recurso à análise espacial multicritério (Processo Analítico Hierárquico - AHP), tendo por base variáveis biofísicas e condicionantes legais que possibilitem definir a compartimentação e organização espacial da área a gerir, na perspetiva da multifuncionalidade dos espaços florestais, contemplando: a função de produção; a função de proteção; a função de conservação de habitats, fauna e da flora e de geomonumentos; a função de silvopastorícia, caça e pesca nas águas interiores; e a função de recreio, enquadramento e estética da paisagem.
Texto publicado no livro "Key Concepts in Landscape Ecology", editado por: J.W. Dover e R.G.H. Bunce (IALE-UK), correspondente aos Proceedings do Congresso Europeu da IALE em 1998.
É consensual que a escolha dos usos mais adequados às aptidões edafo-climáticas, complementada com critérios socioeconómicos, promove uma utilização sustentável dos espaços rurais. Existem diferentes metodologias que permitem determinar a aptidão do solo para usos agroflorestais ou para a manutenção de ecossistemas seminaturais, nomeadamente culturas agrícolas, povoamentos florestais, territórios agro-silvo-pastoris e áreas críticas em termos de riscos de erosão hídrica ou outro risco natural. Neste estudo pretendeu-se determinar os diferentes níveis de aptidão de uso agroflorestal para uma região do Centro Interior de Portugal. Para o efeito recorreu-se a um conjunto de variáveis edáficas e topográficas, tendo como base um modelo digital do terreno, cartografia de solos e cartografia biogeográfica. A avaliação da aptidão foi efetuada com recurso ao método de análise multicritério Analytical Hierachy Process (AHP).
O presente trabalho tem como objectivo identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior Sul e a composição e estrutura da paisagem desse território. Procurou-se, igualmente, verificar a importância da rugosidade do terreno na distribuição destas comunidades. Foi igualmente objectivo do estudo identificar um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem, bem como as tipologias fisionómicas de habitat passíveis de determinar a distribuição das comunidades de passeriformes nidificantes. A informação referente à ocupação de solo foi processada no programa ArcGIS 9.3.1, com recurso à extensão Patch Analyst. A informação relativa à rugosidade do terreno foi analisada na extensão Land Facet Corridor Tools. Os dados resultantes, juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente estudados através de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados do estudo mostram que a Beira Interior Sul apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito às comunidades de passeriformes nidificantes, embora os resultados obtidos não sejam idênticos para toda a sub-região. O valor de 11,7, correspondente à riqueza específica média é razoável, mas apresenta um desvio padrão de 5,2, que expressa essa realidade. Este facto pode ser explicado por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector oeste mais homogéneo, com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector este com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, mostram ainda que as tipologias de ocupação do solo têm maior influência na distribuição da avifauna, ao explicar 37% da variação total, do que a estrutura, cujo resultado foi de 16%. Para o estudo da estrutura deste território fica também demonstrada a importância de incluir índices de rugosidade, porque esta opção permitiu melhorar a explicação da variação total em 5%. A análise classificativa permitiu a identificação de tipologias fisionómicas importantes em que predominam os estratos arbóreo e arbustivo, cujos resultados estão em conformidade com os grémios de alimentação e nidificação identificados para as aves estudadas.
O presente documento constitui a primeira fase do processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), o Relatório de Factores Críticos para a Decisão (FCD) da AAE da proposta de Revisão do Plano Director Municipal (PDM) de Oleiros. Segundo a alínea a) do n.º 1 do art. 3ª do D.L. n.º 232/2007 de 15 de Junho, que transpôs para a ordem jurídica interna as Directivas nºs 2001/42/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho, e 2003/35/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Maio, estão sujeitos a avaliação ambiental “os planos e programas para os sectores da agricultura, floresta, pescas, energia, indústria, transportes, gestão de resíduos, gestão das águas, telecomunicações, turismo, ordenamento urbano e rural ou utilização dos solos...”, onde se incluem os Planos Municipais de Ordenamento do Território (PMOTs) e respectivas revisões. É neste âmbito que se realiza a presente AAE. Para a sua elaboração foram seguidas as orientações do “Guia de Boas Práticas para a Avaliação Ambiental Estratégica – Orientações Metodológicas” da Agência Portuguesa do Ambiente (2007). De acordo com o referido Guia, no Relatório Ambiental serão identificadas as potencialidades do PMOT que possam contribuir para uma melhoria das condições ambientais e de sustentabilidade e pela identificação e prevenção de acções que possam causar impactes negativos. Esta primeira fase corresponde ao estabelecimento dos Factores Críticos para a Decisão e definição do contexto para Avaliação Ambiental Estratégica. O Relatório de Factores Críticos para a Decisão destina-se a estabelecer o alcance e o nível de pormenorização da informação a incluir no relatório final. Não é objectivo deste relatório realizar qualquer avaliação ambiental, mas sim identificar os factores críticos para a decisão, que permitirão avaliar, numa segunda fase, a sustentabilidade da proposta de Revisão do PDM de Oleiros.
Este documento constitui a primeira fase do processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), o Relatório de Factores Críticos para a Decisão (FCD) da AAE da proposta de Alteração do Plano de Pormenor (PP) da Zona Industrial de Açude Pinto. Segundo a alínea a) do n.º 1 do art. 3ª do D.L. n.º 232/2007 de 15 de Junho, que transpôs para a ordem jurídica interna as Directivas nºs 2001/42/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho, e 2003/35/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Maio, estão sujeitos a avaliação ambiental “os planos e programas para os sectores da agricultura, floresta, pescas, energia, indústria, transportes, gestão de resíduos, gestão das águas, telecomunicações, turismo, ordenamento urbano e rural ou utilização dos solos...”, onde se incluem os Planos Municipais de Ordenamento do Território (PMOTs) e respectivas revisões. É neste âmbito que se realiza a presente AAE. Para a sua elaboração foram seguidas as orientações do “Guia de Boas Práticas para a Avaliação Ambiental Estratégica – Orientações Metodológicas” da Agência Portuguesa do Ambiente (2007). De acordo com o referido Guia, no Relatório Ambiental serão identificadas as potencialidades do PMOT que possam contribuir para uma melhoria das condições ambientais e de sustentabilidade e pela identificação e prevenção de acções que possam causar impactes negativos. Esta primeira fase corresponde ao estabelecimento dos Factores Críticos para a Decisão e definição do contexto para Avaliação Ambiental Estratégica. O Relatório de Factores Críticos para a Decisão destina-se a estabelecer o alcance e o nível de pormenorização da informação a incluir no relatório final. Não é objectivo deste relatório realizar qualquer avaliação ambiental, mas sim identificar os factores críticos para a decisão, que permitirão avaliar, numa segunda fase, a sustentabilidade da proposta de Alteração do PP da Zona Industrial de Açude Pinto.
Este documento constitui a primeira fase do processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), o Relatório de Factores Críticos para a Decisão (FCD) da AAE da proposta de Revisão do Plano Director Municipal (PDM) de Vila de Rei. Segundo a alínea a) do n.º 1 do art.º 3.ª do D.L. n.º 232/2007 de 15 de Junho, que transpôs para a ordem jurídica interna as Directivas n.º 2001/42/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho, e n.º 2003/35/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Maio, estão sujeitos a avaliação ambiental “os planos e programas para os sectores da agricultura, floresta, pescas, energia, indústria, transportes, gestão de resíduos, gestão das águas, telecomunicações, turismo, ordenamento urbano e rural ou utilização dos solos...”, onde se incluem os Planos Municipais de Ordenamento do Território (PMOT) e respectivas revisões. É neste âmbito que se realiza a presente AAE. Para a sua elaboração foram seguidas as orientações do “Guia de Boas Práticas para a Avaliação Ambiental Estratégica – Orientações Metodológicas” da Agência Portuguesa do Ambiente (2007). De acordo com o referido Guia, no Relatório Ambiental serão identificadas as potencialidades do PMOT que possam contribuir para uma melhoria das condições ambientais e de sustentabilidade e pela identificação e prevenção de acções que possam causar impactes negativos. Esta primeira fase corresponde ao estabelecimento dos Factores Críticos para a Decisão e definição do contexto para Avaliação Ambiental Estratégica. O Relatório de Factores Críticos para a Decisão destina-se a estabelecer o alcance e o nível de pormenorização da informação a incluir no relatório final. Não é objectivo deste relatório realizar qualquer avaliação ambiental, mas sim identificar os factores críticos para a decisão, que permitirão avaliar, numa segunda fase, a sustentabilidade da proposta de Revisão do PDM de Vila de Rei.
A multidisciplinary, long term project aimed at developing and testing assessment and evaluation tools for the ecological management of the landscape is being developed in the University of Évora (Portugal). The main project is divided in three sub-projects (Characterization of the conservation value of the SE Alentejo Region; Identification of the main ecological processes and functions in Évora; and Analysis of the significance of ecological characterization methods in Apostiça). The main objectives to be achieved are to describe the ecological potential of the landscape, and determine the land-use practices and land-use intensities necessary to ensure the maintenance and promotion of the conservation value of landscape, in order to assess the ecological value of a land-use structure and also evaluate the sustainability of alternative land-use patterns. As preliminary conclusions we could say that the evaluation of the stability of a landscape by comparing the degree of correspondence of the nature of both levels of characterization - land-use distribution and homogeneous landscape units - is of particular importance in the evaluation of the fragmentation degree of that landscape, and the real disturbance determined by proposed land-use changes.
This work focuses on developed a decision support system based on multicriteria spatial analysis to assess the potential for generation of biomass residues from forestry sources in a region of Portugal (Beira Baixa). A set of environmental, economic and social criteria was defined, evaluated and weighted in the context of Saaty's analytic hierarchies. The best alternatives were obtained after applying Analytic Hierarchy Process (AHP). The model was applied to the central region of Portugal where forest and agriculture are the most representative land uses. Finally, sensitivity analysis of the set of factors and their associated weights was performed to test the robustness of the model. The proposed evaluation model provides a valuable reference for decision makers in establishing a standardized means of selecting the optimal location for new biomass plants.
The understanding of the relationship between communities and the landscape mosaic, shaped by the different land uses, is important for an integrated management of the habitats. The landscape indexes might be a useful tool for landscape analysis as well as a landscape describer. The scope of this work is to check the reliability of some landscape indexes by using a multi scale approach, verifying how the nesting passeriformes birds communities are related with the landscape structure of the montado . Data was obtained from bird and vegetation census and form a spatial analysis applied on a land use map. Multivariate statistics analysis were performed and interpreted accordingly with the species ecological requirements in order to detect the more reliable scale for landscape indexes.
The development of a landscape ecological assessment and evaluation method applicable to the planning and management processes, and the impact assessment is the aim of this paper. A large scale characterization and evaluation methodology is tested in a 365 square Km area where an intensive ecological characterization was performed. This methodology is referred to two spatial referentials: land use distribution and homogeneous landscape units, which are described in terms of their spatial distribution and attributes, their matrix, patch, or corridor character, its permeability, connectivity and complementarity. A combination of both spatial referentials allows the application of algorithms evaluating different ecological values (conservation value, productivity, heritage value, functional value). The methodology is particularly suited to be used in the assessment of ecological impacts of land use changes and the construction of local and linear infrastructures.
Realizou-se o estudo de dois transectos de 2 km localizados numa área a Oeste de Évora, em áreas de montados de sobro e azinho. Em cada transecto efectuaram-se 6 visitas, correspondendo a um total de 24 censos. Os dados foram coligidos entre 17 de Abril e 19 de Junho de 1999. Os censos foram realizados segundo o método dos transectos lineares com distância variável. Calculou-se o IKA médio para cada espécie. A riqueza específica de aves obtida para o período de estudo foi de 48 espécies, 36 das quais são passeriformes.
Foram apresentados os estudos desenvolvidos no âmbito do projeto “Avaliação do impacte de fogos florestais nos recursos hídricos subterrâneos” (POCI/AGR/59180/2004), designadamente: (1) caracterização e análise do coberto vegetal lenhoso e o seu contributo para a produção de cinzas resultantes de incêndios florestais; (2) estudos relativos à caracterização dos solos, águas e cinzas da combustão de matéria vegetal das áreas estudadas, da biomassa e o potencial de transferência de espécies químicas a partir das cinzas, tanto para os solos como para as águas; (3) estudos relativos à afectação dos fogos na componente qualitativa do ciclo hidrológico; (4) aplicação dos conhecimentos adquiridos a um caso de estudo: a bacia do rio Zêzere; (5) considerações relativas às estratégias de prevenção e mitigação dos impactos dos fogos sobre os solos e recursos hídricos.
O objectivo principal deste trabalho centra-se em avaliar os impactes ambientais de dois sistemas de produção agrícola na cultura do milho – Sementeira Directa (SD) e Modo de Produção Biológico (MPB) - na região do Baixo Mondego, Portugal. Durante o estudo, um programa de computador AMBITEC-AGRO - sistema da avaliação do impacto ambiental da tecnologia agropecuária foi utilizado após a adaptação do mesmo à realidade Portuguesa. Um inquérito foi preparado e apresentado aos produtores que aplicavam a(s) tecnologia(s) afim de obter informações sobre o impacte das mesmas quer na parcela ou na região. Os resultados foram recolhidos e inseridos posteriormente no programa afim de proceder à avaliação dos impactes ambientais. Os resultados principais mostram que ambos os sistemas de produção indicam um impacte positivo, com +2.22 para a SD e +2.07 para MPB numa escala de -15 a +15. O software utilizado para avaliação do impacte é de fácil aplicação e pode ser extremamente útil na eco-certificação futura das explorações agrícolas, fornecendo uma ferramenta para avaliar a sua sustentabilidade.
A Estrutura Ecológica (EE) é uma figura de ordenamento do território integrada na legislação portuguesa pelo Decreto-Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro; no entanto foi sempre muito vaga no seu conceito, com uma definição pouco clara que deu origem a diversas interpretações. Esta estrutura visa a sustentabilidade ecológica da paisagem e tem que ser delimitada a todas as escalas do planeamento. À escala local, a Estrutura Ecológica Municipal (EEM) representa uma figura de planeamento ambiental integrada no Plano Diretor Municipal (PDM), cuja implantação se revela fundamental para a concretização dos pressupostos de desenvolvimento sustentável e para a melhoria da qualidade de vida das populações. O PDM deve seguir as indicações dos Instrumentos de Gestão Territorial (IGT) supra-municipais e, por conseguinte, a EEM deve transpor para a escala local todas as orientações de ordem ambiental e ecológicas contidas nos planos de ordem superior. Assim, este estudo tem como objetivo desenvolver uma metodologia de análise espacial para definição da Estrutura Ecológica Municipal de Nisa, tendo como objetivos específicos: delimitar a EEM em articulação com a Estrutura Regional de Proteção e Valorização Ambiental (ERPVA) identificada no Plano Regional de Ordenamento do Território do Alentejo (PROT Alentejo); e definir graus de valorização/proteção dos valores naturais e semi-naturais integrados na EEM, seguindo as orientações do Plano Sectorial da Rede Natura 2000 (PSRN 2000). Através de métodos e modelos de análise espacial integrados em Sistemas de Informação Geográfica (SIG), identificam-se e analisam-se as componentes físicas e biológicas dos ecossistemas presentes no território municipal. Depois de concluída a interpretação do território, e com base nesta, delimita-se a EEM de Nisa e são atribuídos graus de proteção aos valores naturais e semi-naturais em presença, numa perspetiva de preservar as zonas mais sensíveis da paisagem, que contribuem para a promoção da biodiversidade e para a valorização ambiental. A EEM de Nisa resulta na constituição de quatro áreas nucleares que emergem das zonas de maior concentração de valores naturais e semi-naturais e na delineação de corredores ecológicos que fazem a ligação entre essas áreas. Reúne as principais linhas de água e zonas adjacentes; os habitats da Rede Natura 2000 e as áreas de vegetação natural e semi-natural propícias à ocorrência e desenvolvimento das espécies de fauna e flora locais; as áreas com solos de valor ecológico elevado e muito elevado; e a área correspondente ao Monumento Natural das Portas de Ródão. O desenvolvimento do estudo permitiu ainda reconhecer a necessidade de enquadramento e revisão do tema na legislação portuguesa, de modo a evitar divergências na aplicação do conceito e na delimitação da EE nas várias escalas de planeamento. No que respeita à escala local, conclui-se que, sendo a paisagem o objeto primordial a ser ordenado, não poderá existir uma metodologia única, aplicável a todos os municípios para obtenção da EEM, quando estes possuem paisagens com características distintas entre si. No entanto, municípios adjacentes, com características idênticas, devem partilhar a metodologia de delimitação da EEM.
Apresentam-se os principais resultados no âmbito do projecto OTALEX C, designadamente a cartografia referente a vários indicadores ambientais e territoriais para as regiões Alentejo, Extremadura e Centro.
O projeto OTALEX C, cofinanciado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha Portugal (POCTEP), vem na sequência de uma série de projetos de cooperação transfronteiriça cujo objetivo principal tem sido a permuta de informação sobre estes territórios numa perspetiva de planeamento e gestão territorial concertados entre as administrações locais, regionais e nacionais dos dois países. Neste contexto criou-se em 2007 a primeira Infraestrutura de Dados Espaciais transfronteiriça entre Portugal e Espanha, a IDE-OTALEX (www.ideotalex.eu), que constituiu o Observatório Territorial e Ambiental Alentejo e Extremadura, ao qual em 2011 se incorporou a região Centro de Portugal. Um dos trabalhos de base para a constituição da IDEOTALEX e para a criação de um sistema de indicadores para a monitorização do desenvolvimento nessa vasta área, que no total das três regiões abrange cerca de 92500 km2, foi o desenvolvimento de uma metodologia que permitisse a harmonização dos dados entre as diversas regiões e que ao mesmo tempo estivesse de acordo com a Diretiva INSPIRE. Esta metodologia assentou em dois pilares fundamentais: harmonização das bases cartográficas (sistemas de referência, escalas espacial e temporal) e harmonização de indicadores (definição semântica, caracterização de indicadores, expressão espacial, atualização).
O relatório apresenta os principais resultados obtidos pela equipa do IPCB integrada no projeto POCI/AGR/59180/2004. As tarefas desenvolvidas incluíram: (1) a inventariação de informação relativa aos solos e vegetação nas áreas em estudo, correspondentes às bacias hidrográficas do Caratão, Carvoeiro e Quebradas (município de Mação); (2)a análise estatística da informação coligida; e (3) a respetiva representação espacial das variáveis em estudo.
As áreas com risco de erosão hídrica do solo são as que, devido às combinações das características da topografia, do solo, do coberto vegetal, estão potencialmente sujeitas a uma taxa perda de solo, por acção conjunta da chuva e do escoamento superficial, que excede a taxa de formação do solo. A erosão hídrica e o escoamento superficial são processos complexos e dependem de uma multiplicidade de factores que variam no tempo e no espaço. As áreas com elevado risco de erosão hídrica do solo constituem uma tipologia que integra a da Reserva Ecológica Nacional (REN). O objectivo do estudo foi delimitar as áreas com risco de erosão hídrica do solo com vista à sua integração na REN do Município de Mêda. A metodologia deste estudo baseia-se na aplicação do modelo da Equação Universal de Perda de Solo (EUPS) e na modelação espacial da erosão hídrica através de Sistemas de Informação Geográfica (SIG). A EUPS tem em consideração os seguintes factores: topográfico, erodibilidade do solo, erosividade da precipitação, cobertura do solo e respectivas práticas culturais. Os processos de modelação geográfica foram desenvolvidos sobre os seguintes dados geográficos: altimetria e hidrografia da Carta Militar de Portugal (Instituto Geográfico do Exército), manchas de solos da Carta de Solos do Nordeste Transmontano (Universidade de Trás os Montes e Alto Douro), ocupação de solo (Instituto Geográfico Português) e estações meteorológicas (Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos). Os SIG permitiram a integração e sobreposição dos diferentes níveis de informação de forma a calcular através de álgebra de mapas o mapa de erosão hídrica do solo. Na REN foram integradas as zonas que apresentam um risco elevado de erosão. As áreas de elevado risco de erosão hídrica do solo ocupam 7934 ha e representam 28% da superfície do município.
Este estudo tem como objectivo identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam em diferentes sub-regiões da zona interior centro de Portugal (Beira Interior Sul, Beira Interior Norte, Pinhal Interior Sul, Pinhal Interior Norte e Cova da Beira) e a composição e estrutura da paisagem desse território. Foram identificadas um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem, bem como as tipologias fisionómicas de habitat passíveis de influenciar a distribuição das comunidades de passeriformes nidificantes. A informação geográfica relativa à ocupação do solo foi processada através do programa ArcGIS 9.3.1, com recurso à extensão Patch Analyst. A rugosidade do terreno foi calculada com base na altitude obtida a partir do Modelo Digital do Terreno (MDT), através da extensão Land Facet Corridor Tools. Os dados resultantes foram cruzados com a informação recolhida do Atlas das Aves Nidificantes em Portugal (Equipa Atlas, 2008), através de Análise Canónica de Correspondências (ACC). Os resultados deste estudo mostram que as sub-regiões do interior centro apresentam locais com uma riqueza específica elevada, com mais de 40 espécies de passeriformes a nidificarem numa quadrícula de território, embora se verifique a existência de zonas com menos de 6 espécies. Estes valores muito distintos podem ser explicados por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, mostram ainda que as tipologias de ocupação do solo com maior influência positiva na riqueza da avifauna, neste território, são as pastagens e as culturas temporárias. As quadrículas onde predominam florestas de resinosas são as que apresentam valores de riqueza específica mais baixos. Da análise da estrutura destes territórios fica também demonstrada a importância de incluir índices de rugosidade do terreno, porque esta opção permitiu melhorar a explicação da variação total.
Em Portugal Continental o uso dominante do solo é florestal (36% em 2010) no entanto, a área florestal durante o período entre 1995-2010 tem vindo a diminuir, sendo que os incêndios florestais têm tido um papel determinante. Os objetivos deste estudo foram analisar as mudanças na ocupação do solo ocorridas no período de 1990-2007 na freguesia de Sarnadas de S. Simão e calcular um conjunto de métricas da paisagem para a ocupação do solo em 1990 e em 2007 de forma a avaliar as consequências dos incêndios ao nível da paisagem. Para o efeito utilizaram-se as cartas de ocupação do solo COS’90 e COS’07 de nível 2. A legenda da COS’90 foi harmonizada com a da COS’07 e esta última foi atualizada e detalhada por fotointerpretação para o nível 5. Verificou-se que a classe “Florestas, meios naturais e seminaturais” foi onde ocorreram a maioria das mudanças, em especial com a redução da área de “Florestas de pinheiro bravo” e o aumento da área de “Florestas abertas de pinheiro bravo”. Das métricas calculadas verificou-se que o número de manchas aumentou mas o seu tamanho diminuiu, a densidade de fronteira das manchas também aumentou e o índice médio de forma diminuiu. O valor do índice de diversidade de Shannon aumentou. Por fim, confirmou-se que 81% das áreas onde se registaram alterações coincidiram com as áreas que foram ardidas. Dos resultados obtidos poder-se-á afirmar que o efeito dos incêndios pode ser encarado como uma oportunidade para promover mosaicos de espécies, como sugerido no Plano Diretor Municipal, promovendo o aumento da biodiversidade da paisagem e mitigando o perigo de incêndio.
Na área das freguesias de Valhelhas e Vale de Amoreira, respectivamente pertencentes aos concelhos da Guarda e Manteigas, ambos do distrito da Guarda, existe um grande potencial florestal, estando cerca de 40% desta área abrangida pelo Perímetro Florestal de Valhelhas e 67% pela área do Parque Natural da Serra da Estrela. Este estudo teve como principal objectivo, a cartografia preditiva das comunidades da vegetação natural florestal potencial, com recurso à utilização de um Sistema de Informação Geográfica (SIG), com base no levantamento de campo e nas descrições das respectivas Séries de Vegetação. Foi executada a elaboração da Carta preditiva da Vegetação Natural Florestal Potencial (VNFP), na área de estudo, de acordo com o modelo de vegetação conhecido e descrito para Portugal Continental, fazendo uma relação unívoca, entre as condições ecológicas para a ocorrência das Séries de Vegetação identificadas, constantes das respectivas descrições e a informação geográfica disponível sobre as características de bioclima, litologia e solos, num contexto biogeográfico. Com base no cruzamento de toda esta informação e apesar de alguma dificuldade na precisão dos dados disponíveis, foi possível estabelecer a relação entre a combinação das variáveis referidas e as Séries de Vegetação consideradas como o conjunto de etapas de sucessão de comunidades de vegetação. A carta preditiva da VNFP foi validada com base no conhecimento nas séries de vegetação existentes no território e verificou-se, que a aplicação do modelo apresentou resultados interpretáveis, dentro do conceito de nicho ecológico. A espacialização da VNPF serve de apoio à decisão no âmbito do processo de ordenamento do espaço florestal da área estudada. Este modelo constitui, ainda, uma importante ferramenta de suporte ao planeamento e gestão florestal de âmbito mais geral, designadamente ao nível municipal e regional.
Asphodelus bento-rainhae P. Silva is a plant species belonging to the order of Liliales. This endemic plant occurs in central Portugal in an area of only 700 hectare on the northern slopes of the Serra da Gardunha (Fundão, Portugal). It is mainly present in north to northeast facing slopes and found in deep soils and open areas, where it is found at higher densities. It occurs along the edges of oak (Quercus robur and Quercus pyrenaica) and chestnut (Castanea sativa) forests, often reaching the herbaceous edges of these woods. Sometimes, it survives in pine forests of Pinus pinaster, mixed woods and slopes or roadsides and in lower abundances in scrubby vegetation. This species survival is threatened by forest fires and the conversion of woodland into cherry orchards, and the fruit growers’ extensive use of herbicides. The tree plantations, as well as urban sprawl, have decreased the extent and quality of its habitat. It is also confronted with invasive plants, such as Acacia dealbata. The mapping of the A. bento-rainhae habitat suitability index results on the integration of a set of biophysical factors using the ArcGIS 10.3 software, based on the Sectorial Plan for Natura 2000 Network and other literature concerning the species ecology. The data used included bioclimatic, soil and topographic variables, based on a digital terrain model (DTM). All the geographic themes (criteria) were classified into three suitability levels: unfavorable, less favorable and favorable. Based on the resulting reclassified themes, the Habitat Suitability Index (HSI) for A. bento-rainhae P. Silva was calculated using the Analytic Hierarchy Process (AHP). The fundamental concept of AHP lies in proceeding from a pairwise comparison of criteria to evaluate the weights that assign relative importance to these criteria. In the end, a map algebra was performed in order to obtain the final theme representing the habitat suitability for A. bento-rainhae. The results regarding the actual species distribution, obtained in the aim of fied work performed in the LIFE-Nature project “Asphodelus bento-rainhae - Measures to manage and preserve it" show a high correlation with the suitability values.
O presente documento constitui o Relatório Ambiental da proposta de Revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) de Oleiros e foi elaborado de acordo com o disposto no Decreto-Lei n.º 316/2007, de 19 de Setembro e no Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de Junho. Segundo a alínea a) do n.º 1 do art. 3.ª do D.L. n.º 232/2007 de 15 de Junho, que transpôs para a ordem jurídica interna as Directivas n.os 2001/42/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Junho, e 2003/35/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Maio, estão sujeitos a avaliação ambiental “os planos e programas para os sectores da agricultura, floresta, pescas, energia, indústria, transportes, gestão de resíduos, gestão das águas, telecomunicações, turismo, ordenamento urbano e rural ou utilização dos solos...”, onde se incluem os Planos Municipais de Ordenamento do Território (PMOT) e respetivas revisões. É neste âmbito que se realiza a presente Avaliação Ambiental Estratégica. Para a sua elaboração foram seguidas as orientações do “Guia de Boas Práticas para a Avaliação Ambiental Estratégica – Orientações Metodológicas” da Agência Portuguesa do Ambiente (2007). De acordo com o referido Guia, no Relatório Ambiental serão identificadas as potencialidades do PMOT que possam contribuir para uma melhoria das condições ambientais e de sustentabilidade e pela identificação e prevenção de ações que possam causar impactes negativos.
Asphodelus bento-rainhae P. Silva is a plant species belonging to the order of Liliales. This endemic plant occurs in central Portugal in an area of only 700 hectare on the northern slopes of the Serra da Gardunha (Fundão, Portugal). It is mainly present in north to northeast facing slopes and found in deep soils and open areas, where it is found at higher densities. It occurs along the edges of oak (Quercus robur and Quercus pyrenaica) and chestnut (Castanea sativa) forests, often reaching the herbaceous edges of these woods. Sometimes, it survives in pine forests of Pinus pinaster, mixed woods and slopes or roadsides and in lower abundances in scrubby vegetation. This species survival is threatened by forest fires and the conversion of woodland into cherry orchards, and the fruit growers’ extensive use of herbicides. The tree plantations, as well as urban sprawl, have decreased the extent and quality of its habitat. It is also confronted with invasive plants, such as Acacia dealbata. The mapping of the A. bento-rainhae habitat suitability index results on the integration of a set of biophysical factors using the ArcGIS 10.3 software, based on the Sectorial Plan for Natura 2000 Network and other literature concerning the species ecology. The data used included bioclimatic, soil and topographic variables, based on a digital terrain model (DTM). All the geographic themes (criteria) were classified into three suitability levels: unfavorable, less favorable and favorable. Based on the resulting reclassified themes, the habitat suitability index (HSI) for A. bento-rainhae P. Silva was calculated using the Analytic Hierarchy Process (AHP). The fundamental concept of AHP lies in proceeding from a pairwise comparison of criteria to evaluate the weights that assign relative importance to these criteria. In the end, a map algebra was performed in order to obtain the final theme representing the habitat suitability for A. bento-rainhae. The results regarding the actual species distribution, obtained in the aim of fied work performed in the LIFE-Nature project “Asphodelus bento-rainhae - Measures to manage and preserve it" show a high correlation with the values of HSI.
Apesar do conceito “Agenda 21” ter sido apresentado, pela primeira vez, em 1992, no decurso da Cimeira da Terra, no Rio de Janeiro, só agora está a ser posto em prática, em Portugal, constituindo um novo instrumento de base territorial, de apoio ao Desenvolvimento Sustentável. Partindo deste conceito e explorando os seus pressupostos teóricos, a comunicação centrase no caso estudo da elaboração da Agenda 21 para o concelho de Castelo Branco. Este concelho caracterizase por uma acentuada dicotomia urbano/rural, em que em paralelo à freguesia urbana, sobrevive todo um vasto território de baixa densidade com algum património natural importante, como é o caso do Parque Natural do Tejo Internacional. A elaboração do diagnóstico conduziu a uma análise SWOT cujos resultados foram discutidos em sessões de proximidade com a presença dos actores locais. Foram igualmente elaboradas matrizes de impactes que permitiram identificar os efeitos das actividades humanas sobre os indicadores de sustentabilidade. Paralelamente foi lançado um inquérito à população com o objectivo de auscultar a visão dos albicastrenses sobre a sua cidade. Com base nos elementos recolhidos construiuse uma visão estratégica que se consubstanciou num conjunto de acções que visam promover a sustentabilidade do concelho e que se articulam em torno de três eixos – Território, Conhecimento e Competitividade.
Comunicação apresentada no VI Coloquio Ibérico de Estudios Rurales que decorreu de 23 a 24 de Fevereiro, em Huelva (Espanha).
O projeto OTALEX C, cofinanciado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha Portugal (POCTEP), vem na sequência de uma série de projetos de cooperação transfronteiriça cujo objetivo principal tem sido a permuta de informação sobre estes territórios numa perspetiva de planeamento e gestão territorial concertados entre as administrações locais, regionais e nacionais dos dois países. Neste contexto, em 2007 criou-se a primeira Infraestrutura de Dados Espaciais transfronteiriça entre Portugal e Espanha, a IDE-OTALEX (www.ideotalex.eu), que constituiu o Observatório Territorial e Ambiental Alentejo e Extremadura, ao qual se incorporou, em 2011, a região Centro de Portugal. Neste projeto foram desenvolvidos 61 indicadores, distribuídos por quatro vetores (territorial, ambiental, social e económico), a partir de distintas fontes de informação, que vão servir de base ao vetor de sustentabilidade. No presente estudo consideraram-se os 77 municípios integrados na área de jurisdição da CCDR Centro. Nesta região verificam-se assimetrias correspondentes a diferentes níveis de desenvolvimento económico e social. Deste modo existe a necessidade de identificar áreas homogéneas que, face às suas características de desenvolvimento, sejam passíveis de medidas idênticas de planeamento territorial. Os diferentes municípios da região Centro foram agregados com recurso a uma metodologia de análise de clusters, no sentido de encontrar uma homogeneidade socioeconómica. Para tal, selecionou-se um conjunto de indicadores desenvolvidos no âmbito do projeto OTALEX C. Os resultados obtidos permitiram classificar os municípios em diferentes graus de desenvolvimento.
O trabalho tem como objectivo identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior  Sul e  a estrutura da paisagem. Identificou‐se um conjunto  de  métricas  espaciais  que  caracterizem  a  estrutura  da  paisagem,  bem  como  as tipologias fisionómicas  de habitat passíveis de influenciar a distribuição das comunidades de passeriformes  nidificantes.  A  informação referente  à  ocupação  de solo  foi  processada  no  programa  ArcGIS  9.3.1,  com  recurso  à  extensão  Patch  Analyst.  Os  dados  resultantes,juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente analisadosatravés de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados deste estudo  mostram que a Beira Interior Sul apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito  às  comunidades  de  passeriformes  nidificantes,embora os resultados obtidos não sejam  idênticos para toda a sub-região. Os resultados da ACC,  mostram  que  as  tipologias  fisionómicas  de  habitat  têm  uma  grande  influência  na distribuição das comunidades avifaunísticas. A análise classificativa permitiu complementar a análise ACC, permitindo identificar tipologias fisionómicas importantes, em que predominam os estratos arbóreo e arbustivo, cujos  resultados estão em conformidade com os grémios de alimentação e nidificação  identificados  para as espécies estudadas.
O estudo teve como objectivo identificar a relação existente entre as comunidades de aves que nidificam na sub-região Beira Interior Sul (BIS) e a estrutura e composição da paisagem desse território. Procurou-se, igualmente, verificar a importância da rugosidade do terreno na distribuição destas comunidades. Foi também objectivo deste estudo identificar um conjunto de métricas espaciais que caracterizem a estrutura da paisagem, bem como as tipologias fisionómicas de habitat passíveis de determinar a distribuição das comunidades de passeriformes nidificantes. A informação referente à ocupação do solo foi processada no programa ArcGIS 9.3.1, com recurso à extensão Patch Analyst. A informação relativa à rugosidade do terreno foi analisada através extensão da Land Facet Corridor Tools. Os dados resultantes, juntamente com a informação referente às aves nidificantes, foram posteriormente analisados através de Análise Canónica de Correspondências (ACC) e de Análise Classificativa (AC). Os resultados mostram que a BIS apresenta locais com uma riqueza específica significativa no que diz respeito às comunidades de passeriformes nidificantes, embora os resultados obtidos não sejam idênticos para toda a sub-região. O valor de 11,7, correspondente à riqueza específica média é razoável, mas apresenta um desvio padrão de 5,2, que expressa essa realidade. Este facto pode ser explicado por diversos factores como o zonamento do território, em que se distingue um sector oeste mais homogéneo, com clara dominância florestal e menor disponibilidade de nichos ecológicos, de um sector este com maior heterogeneidade e proporcionalidade de ocupações do solo, permitindo a existência de mais nichos ecológicos para as diferentes espécies de aves. Os resultados da ACC, embora mostrem a importância da estrutura da paisagem na distribuição dos passeriformes nidificantes, ao explicar 16% da variação total, demonstraram que na BIS, a ocupação do solo é um factor mais relevante, na medida em que explica 37% da variação total. Foi também demonstrada a importância de incluir índices de rugosidade da superfície do terreno, porque esta opção permitiu melhorar a explicação da variação total da estrutura da paisagem em 5%. A análise classificativa permitiu a identificação de tipologias fisionómicas importantes em que predominam os estratos arbóreo e arbustivo, cujos resultados estão em conformidade com os grémios de alimentação e nidificação identificados para as aves estudadas.
Em Portugal Continental o uso dominante do solo é florestal (36% em 2010) no entanto, a área florestal durante o período entre 1995-2010 tem vindo a diminuir, sendo que os incêndios florestais têm tido um papel determinante. Os objetivos deste estudo foram analisar as mudanças na ocupação do solo ocorridas no período de 1990-2007 na freguesia de Sarnadas de S. Simão e calcular um conjunto de métricas da paisagem para a ocupação do solo em 1990 e em 2007 de forma a avaliar as consequências dos incêndios ao nível da paisagem. Para o efeito utilizaram-se as cartas de ocupação do solo COS’90 e COS’07 de nível 2. A legenda da COS’90 foi harmonizada com a da COS’07 e esta última foi atualizada e detalhada por fotointerpretação para o nível 5. Verificou-se que a classe “Florestas, meios naturais e seminaturais” foi onde ocorreram a maioria das mudanças,em especial com a redução da área de “Florestas de pinheiro bravo” e o aumento da área de “Florestas abertas de pinheiro bravo”. Das métricas calculadas verificou-se que o número de manchas aumentou mas o seu tamanho diminuiu, a densidade de fronteira das manchas também aumentou e o índice médio de forma diminuiu. O valor do índice de diversidade de Shannon aumentou. Por fim, confirmou-se que 81% das áreas onde se registaram alterações coincidiram com as áreas que foram ardidas. Dos resultados obtidos poder-se-á afirmar que o efeito dos incêndios pode ser encarado como uma oportunidade para promover mosaicos de espécies, como sugerido no Plano Diretor Municipal, promovendo o aumento da biodiversidade da paisagem e mitigando o perigo de incêndio.
A Infraestrutura de Dados Espaciais transfronteiriça entre Portugal e Espanha (IDE-OTALEX), associada ao projeto OTALEX C, que constitui o Observatório Territorial e Ambiental Alentejo-Extremadura-Centro, tem desenvolvido uma série de indicadores, distribuídos por quatro vetores (territorial, ambiental, social e económico), que servem de base ao vetor de sustentabilidade. No estudo apresentado consideraram-se os 77 municípios integrados na área de jurisdição da CCDR Centro. Nesta região verificam-se assimetrias correspondentes a diferentes níveis de desenvolvimento económico e social. Deste modo houve a necessidade de identificar áreas homogéneas que, face às suas características de desenvolvimento, sejam passíveis de medidas idênticas de planeamento territorial. Com o objetivo de efetuar o agrupamento dos municípios em níveis similares de desenvolvimento socioeconómico, aplicou-se a análise de clusters às variáveis socioeconómicas de cada município. Procedeu-se, ainda, à realização de análises de autocorrelação espacial aplicadas aos temas vetoriais, com o objetivo de agrupar os municípios com base na proximidade dos valores.
No âmbito do projecto POCI/AGR/59180/2004 procedeu-se a uma caracterização da composição das comunidades vegetais a uma escala pormenorizada, com especial incidência no estudo das espécies arbóreas e arbustivas, de modo a contribuir para a elaboração de uma metodologia de análise espacial para integração de diferentes variáveis com influência na quantidade e qualidade dos recursos hídricos.
Development of a spatial analysis methodology using Spatial Multicriteria Analysis (Analytic Hierarchy Process - AHP), based in biophysical data and legal constraints that could be useful to land use planning, in a perspective of forest areas multifunctionality.