Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

28 records were found.

São apresentados aspectos técnicos relativos à instalação do pomar de figueira-da-índia para produção de fruto. São referidos alguns aspectos da colheita e pós-colheita do fruto.
Isoenzymatic studies were performed in order to study the variability of Lupinus spp. populations from Beira Interior region, Portugal. Thirty accessions of Lupinus (L. luteus, L. albus, L. angustifolius and L. hispanicus) from Beira Interior region were studied. The zymograms were obtained by poliacrilamide gel electrophoresis (PAGE). Extracts were prepared from young leaf and cotyledons tissues. Four enzymes systems were studied: aspartate aminotransferase (AAT), esterase (EST), acid phosphatase (ACP) and malate desidrogenase (MDH). Isoenzyme polymorphisms were found for all the enzyme systems studied. The comparative analysis of AAT and MDH zymograms show interspecific variation and made it possible to identify the four species studied. Significant intraspecific variation was found in EST and ACP zymograms; however intrapopulational variation was also detected and the different populations could not be distinguished inside each species. The existance of a greater genetic proximity between L. luteus and L. hispanicus was detected.
Cowpea [Vigna unguiculata (L)Walp] is an important crop in many countries of tropical Africa, Asia and South America. In Portugal it is a non-fertilized and a non-irrigated crop normally used as a cover crop for summer fallow ground. Crop vegetation and non-harvested pods are an important protein supplement for sheep grazing, which are in delivery phase at this time.
Isoenzyrnatic studies were performed in order to study the varia¬bility of Lupinus spp. populations from Beira Interior region. Thirty accessions of Lupinus (L. luteus, L. albus, L. angustifoius and L. Hispanicus) from Beira interior region were studied. The zymograms were obtained, by poliacrilamide gel ele¬ctrophoresis (PAGE). Extracts were prepared from young leaf and cotyledons tissues. Four enzyme systems were studied: aspartate aminotransferase (AAT), esterase (EST), acid phos¬phatase (ACT) and malate desidrogenase (MDH). Isoenzyme polymorphisms were found for all the enzyme sys¬tems studied. The comparative analysis of AAT and MDH zymograms show imerspecific variation and made it possible to identify the four species studied. Significant intraspecific varia¬tion was found in EST and ACP zymograms; however intrapopu¬lational variation was also detected and the different popula¬tions could not be distinguished inside each species. The existance of a greater genetic proximity between L. luteus and L. hispanicus was detected.
No sentido de identificar três variedades de oliveira (Galega, Bical e Cordovil), da região de Castelo Branco, foram realizadas análises de electroforese de isoenzimas em gel de poliacrilamida. Foram estudados três sistemas enzimáticos - EST, ACP e PRX. Nas folhas foi detectada actividade para os sistemas PRX e EST, contudo o sistema PRX não apresenta bandas polimórficas. No pólen detectou-se actividade para os três sistemas, contudo, devido à baixa expressão de PRX e ACP, foram realizados estudos comparativos apenas para o sistema EST. Os zimogramas de EST da folha apresentam duas bandas polimórficas permitindo a definição de dois padrões isoenzimáticos. Os zimogramas do pólen apresentam quatro bandas polimórficas, sendo possível definir três padrões de bandas. Nas árvores estudadas não foi detectada variabilidade intravarietal. Os resultados obtidos com o sistema enzimático EST permitem a distinção das três variedades estudadas.
Conventionally morphological descriptors are routinely used for establishing the identity of varieties. This kind of descriptors has some disadvantages, namely most of them are quantitative, controlled by several pairs of genes, and their expression is infl uenced by environmental factors. Molecular markers have a potential to facilitate this procedure, increase the reliability of decisions, and substantially save the time and space needed for experiments. In this study we intended to identify 20 cultivars of fi eld pea (Pisum sativum L.), registered in the Community Catalog of Varieties, by microsatellites molecular markers. After DNA extraction, seven different loci were analyzed. PCR amplifi cations were conducted and the resulting fragments were separated on a 3.5% MS-8 agarose gel in TBE buffer. The gels were analyzed for the presence/absence of bands and a table with binary code was made. For each locus PIC value was calculated. The data were processed with the statistical software NTSYS-pc, using the SIMQUAL module and Jaccard similarity coeffi cient, followed by UPGMA cluster analysis. With the analysis of six polymorphic loci was possible to distinguish almost all of cultivars. The most informative loci were AD61 and AB53. The UPGMA dendrogram showed two main groups. The results showed a high potential and resolving power of SSR markers in distinct assessment. SSR markers might also be useful in germplasm management and genetic diversity studies. In the present research work, we have successfully employed high resolution agarose gel electrophoresis for genotyping with microsatellite markers in pea.
Comunicação apresentada no Seminário "Cereais e Leguminosas: Novas Perspectivas para a Beira Interior", que se realizou em 29 de Junho, em Castelo Branco, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Evaluation of proteaginous Pisum sativum L. cultivars in the region of Castelo Branco Carlos M. G. Reis(1)* and Paulo Rodrigues(1) 1 Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Castelo Branco. *creis@ipcb.pt The pea crop (Pisum sativum L.) is a convenient source of plant protein for animal feeding, an area where there is a production deficit in European Union. After obtaining new cultivars through plant breeding it is important to evaluate their agronomic performance in different regions. This study aimed to evaluate the agronomic performance of 20 cultivars of proteaginous Pisum sativum L., listed in the Community Catalogue of varieties of agricultural plant species, in the region of Castelo Branco, Portugal. A field trial was implanted in Escola Superior Agrária de Castelo Branco. Sowing took place on November 2009 in plots with 12.0 m2 in a randomized complete block design with four replications. A density of 110 plants per m2 was used. Some parameters related to plant growth and yield were studied, such as seed yield (kg/ha), seed moisture content (%), weight of 1000 seeds (g), number of days to flowering, number of days to harvest, lodged plants (%), dehiscence (%), plant height (cm), dry matter weight, biological weight, number of plants per m2, number of seeds per m2, height of first pod (cm), number of pods per plant, number of seeds per pod and seed number per plant. The seed protein content was also studied but only for the 10 highest yielding cultivars. The statistical analysis was performed using PASW Statistics 18 software. Analysis of variance (ANOVA) for significance level p=0.05 and the mean comparison by Duncan test application were conducted. For some yield components we calculated the Pearson correlation coefficient. The cultivars studied showed significant differences in all quantitative traits studied. With regard seed yield, there were values greater than 6,000 kg/ha for 10 cultivars (Cartouche, Enduro, Arthur, Audit, Corrent, Alhambra, Cherokee, Isard, Livia and Gregor) and 16 cultivars showed productions above 4,000 kg/ha. However, these results cannot be dissociated from the precipitation values recorded, well above the normal for the region. Among the best cultivars, Enduro and Cartouche are those with the lowest percentage of lodged plants. The cultivars Arthur, Corrent, Cherokee, Livia, Pixel, Ideal, Guifilo, Guifredo, Lumina and Grisel, showed a strong tendency to lodging. In general there is a positive correlation between seed yield and other quantitative variables, except the weight of 1000 seeds. The positive correlations were highest to the number of seeds per m2 (0.847), biological weight (0.787) and harvest index (0.857). The seed protein content was similar for the cultivars studied. Although the results of seed yield are very interesting, it is necessary to conduct additional trials to evaluate the agronomic performance of pea cultivars in order to obtain more consistent results. However, the results allow us to elect a group of cultivars with high seed yield and apparently good adaptability to the region of Castelo Branco.
A ervilha proteaginosa (Pisum sativum L.) é uma leguminosa com interesse na produção de proteína vegetal para a indústria de rações para animais, área em que a EU é deficitária. O presente estudo teve por objectivo avaliar o comportamento agronómico de 20 cultivares, inscritas no catálogo comunitário de variedades de espécies agrícolas, na região de Castelo Branco. São apresentados resultados relativos à campanha 2009-2010. As cultivares estudadas apresentam diferenças significativas em todos os caracteres quantitativos estudados. No que se refere à produção, registaram-se valores superiores a 6.000 kg/ha para 10 das cultivares estudadas (Cartouche, Enduro, Arthur, Audit, Corrent, Alhambra, Cherokee, Isard, Livia e Gregor) e 16 apresentam produções acima dos 4.000 kg/ha. No entanto, os bons resultados obtidos não podem ser dissociados das condições meteorológicas ocorridas, tendo-se registado valores de precipitação bastante superiores ao habitual para a região. Fica patente a necessidade de efectuar ensaios adicionais de estudo do comportamento agronómico de cultivares de ervilha proteaginosa de forma a obter resultados mais consistentes. Os resultados permitem contudo eleger um grupo de cultivares com boas produções e adequadas à região.
A figueira-da-índia [Opuntia ficus-indica (L.) Miller] é uma espécie da família Cactaceae, com centro de origem e domesticação no México. Possui características morfofisiológicas particulares que permitem uma elevada eficiência de utilização da água. Esta espécie representa uma cultura alternativa para as regiões do interior de Portugal onde se prevê que as alterações climáticas possam vir a ter maior impacto. Neste estudo pretendeu-se avaliar o desempenho de ecótipos portugueses de O. ficus-indica quanto à produção de fruto. Em Maio de 2012 foram plantados, na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, num solo de baixa aptidão agrícola, cladódios de dezasseis ecótipos portugueses de O. ficus-indica e duas cultivares italianas, “Gialla” e “Bianca”. O delineamento experimental consistiu em blocos casualizados completos com três repetições. O compasso foi de 2,5 x 1,5 m, com 15 plantas por população e um cladódio (planta) por cova. Antes da plantação foi realizada a fertilização com um adubo ternário, fornecendo 40 kg/ha de cada macronutriente (N, P e K). Nos dois primeiros anos o ensaio foi conduzido em sequeiro e no terceiro ano foram fornecidos, aproximadamente, 70 mm de água. Foi realizado o controlo mecânico de infestantes sem mobilização do solo. As populações foram avaliadas ao terceiro ano com a quantificação da produção em peso (kg) e número de frutos por planta e de frutos por classes de peso. Relativamente aos parâmetros avaliados, verificou-se a existência de diferenças significativas entre as populações estudadas. As cultivares “Gialla” e “Bianca” foram as mais produtivas destacando-se nitidamente dos ecótipos portugueses, o que reflete a sua origem como material vegetal melhorado. Entre as dezasseis populações portuguesas de O. ficus-indica, foram selecionadas cinco com interesse para produção de fruto que poderão constituir material de partida para iniciar um programa de melhoramento da espécie.
A figueira-da-índia [Opuntia ficus-indica (L.) Miller] é uma espécie da família Cactaceae, com centro de origem e domesticação no México. Possui características morfofisiológicas particulares que permitem uma elevada eficiência de utilização da água. Esta espécie representa uma cultura alternativa para as regiões do interior de Portugal onde se prevê que as alterações climáticas possam vir a ter maior impacto. Neste estudo pretendeu-se avaliar o desempenho de ecótipos portugueses de O. ficus-indica quanto à produção de fruto. Em Maio de 2012 foram plantados, na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, num solo de baixa aptidão agrícola, cladódios de dezasseis ecótipos portugueses de O. ficus-indica e duas cultivares italianas, “Gialla” e “Bianca”. O delineamento experimental consistiu em blocos casualizados completos com três repetições. O compasso foi de 2,5 x 1,5 m, com 15 plantas por população e um cladódio (planta) por cova. Antes da plantação foi realizada a fertilização com um adubo ternário, fornecendo 40 kg/ha de cada macronutriente (N, P e K). Nos dois primeiros anos o ensaio foi conduzido em sequeiro e no terceiro ano foram fornecidos, aproximadamente, 70 mm de água. Foi realizado o controlo mecânico de infestantes sem mobilização do solo. As populações foram avaliadas ao terceiro ano com a quantificação da produção em peso (kg) e número de frutos por planta e de frutos por classes de peso. Relativamente aos parâmetros avaliados, verificou-se a existência de diferenças significativas entre as populações estudadas. As cultivares “Gialla” e “Bianca” foram as mais produtivas destacando-se nitidamente dos ecótipos portugueses, o que reflete a sua origem como material vegetal melhorado. Entre as dezasseis populações portuguesas de O. ficus-indica, foram selecionadas cinco com interesse para produção de fruto que poderão constituir material de partida para iniciar um programa de melhoramento da espécie.
Avaliação de ecótipos de figueira-da-índia [Opuntia ficus-indica L. (Miller)] para produção de fruto
Abstract: Conventionally morphological descriptors are routinely used for establishing the identity of varieties. This kind of descriptors has some disadvantages, namely most of them are quantitative, controlled by several pairs of genes, and their expression is influenced by environmental factors. Molecular markers have a potential to facilitate this procedure, increase the reliability of decisions, and substantially save the time and space needed for experiments. In this study we intended to identify 20 cultivars of proteaginous pea (Pisum sativum L.), registered in the Community Catalog of Varieties, by microsatellites molecular markers. After DNA extraction, seven different loci were analyzed. PCR amplifications were conducted and the resulting fragments were separated on an 3,5% MS-8 agarose gel in TBE buffer, at 90V/h. The gels were analyzed for the presence/ absence of bands and a table with binary code was made. The data were processed with the statistical software NTSYS-pc, using the SIMQUAL module and Jaccard similarity coefficient, followed by UPGMA cluster analysis. With the analysis of six polymorphic loci was possible to distinguish almost all of cultivars. The most informative loci were AD61 and AB53. The cluster analysis of SSR markers separated the pea genotypes into two distinct clusters. The first cluster included the five cultivars: Isard, Cartouche, Audit, Corrent and James. The second cluster included the remaining fifteen cultivars and was further divided in two subclusters. The first subcluster had the Portuguese genotype Grisel and second subcluster contained the remaining fourteen cultivars. In this subcluster Ideal and Alezan had 100 percent similarity. There was a low number of heterozygous loci which is consistent with the nature of self pollinated species. The results showed a high potential and resolving power of SSR markers in distinctness assessment. SSR markers might also be useful in Pisum sativum L. germplasm management and genetic diversity studies.
As espécies do género Opuntia spp. encontram-se na paisagem e em sistemas agrícolas de muitas regiões do mundo, apesar do seu centro de origem se situar no continente americano. Apresentam um elevado potencial de produção de biomassa com consumo de água muito baixo por serem plantas CAM (metabolismo ácido das crassuláceas). São, portanto, plantas tolerantes à seca e crescem em condições semiáridas. Num mundo em mudança, em que ganham relevo as alterações climáticas e a diminuição da disponibilidade de água potável, o género Opuntia spp. poderá vir a ter um papel importante na alimentação animal e produção de biomassa. A espécie Opuntia ficus-indica (L.) Miller é a mais importante sob o ponto de vista económico, sendo cultivada em mais de 20 países e com várias utilizações. Em Portugal é frequente a localização de O. ficus-indica na margem de estradas e caminhos. É uma espécie de comportamento ruderal, sendo cultivada pelos seus frutos comestíveis e para a constituição de sebes vivas, estando amplamente naturalizada. A O. ficus-indica é indiferente à natureza do substrato e encontra-se a altitudes desde o nível do mar até cerca dos 800 m. Em Portugal estão ainda referenciadas como naturalizadas as espécies Opuntia dillenii (Ker Gawl.) Haw, Opuntia subulata (Mühlenpf.) Engelm e Opuntia elata Link & Otto. Objetivos: neste estudo recolheu-se germoplasma de Opuntia spp. em Portugal, que está estabelecido num campo de ensaio, decorrendo a sua caraterização morfológica e molecular (através de marcadores do tipo microssatélites, SSRs). Para além da análise da variabilidade intra e interpopulacional, propomo-nos quantificar a biomassa produzida pelas diferentes populações, estudar a sua utilização para alimentação animal e valorizar a utilização do fruto para consumo humano. Em síntese, pretende-se responder às seguintes questões: i) existem diferenças morfológicas entre populações de Opuntia spp. em Portugal?, ii) existem diferenças genéticas nas populações de Opuntia spp. em Portugal?, iii) qual é a variabilidade morfológica e genética ao nível intra e interespecífico?, iv) existem diferenças entre populações no que se refere à produção de biomassa?, v) é possível estimar a biomassa através de modelo matemático não destrutivo?, vi) qual o valor dos cladódios como recurso para alimentação animal?, vii) qual o valor dos frutos para alimentação humana?. Resultados previstos e destinatários: Pretende-se contribuir para a seleção de material vegetal com interesse em futuros programas de melhoramento, divulgação das utilizações desta espécie e desenvolvimento da fileira do figo da índia. Proprietários agrícolas e associações de produtores são potenciais destinatários dos resultados previstos neste estudo, entre outros. A disseminação da informação será efetuada em encontros nacionais e internacionais.
A figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica (L.) Mill.) é uma espécie com interesse para alimentação humana e animal particularmente em áreas onde a disponibilidade de água é um fator limitante na atividade agrícola. Acresce ainda outras utilizações como sejam o controlo de erosão de solos, a constituição de barreiras anti-incêndio e a produção de biogás. No contexto atual em que, por parte de alguns agricultores, renasceu o interesse por esta espécie, consideramos ser importante a caracterização e avaliação de populações nacionais de O. ficus-indica e a sua comparação com variedades melhoradas, quer com o objetivo da produção de fruto para alimentação humana, quer como forrageira para alimentação animal. Em maio de 2012 foram plantados, na Escola Superior Agrária de Castelo Branco (39º 49' 17.00''N; 7º 27' 41.00''W), num solo de baixa aptidão agrícola, cladódios de dezasseis populações portuguesas de O. ficus-indica, provenientes de diferentes locais, e duas variedades italianas (“Gialla” e “Bianca”). Foi utilizado um delineamento experimental em blocos completos causalizados, com três repetições. Utilizou-se um compasso de 2,5 x 1,5 m e para cada população foram instaladas 15 plantas. As referidas populações foram avaliadas, nos dois primeiros anos de crescimento, quanto à produção de biomassa (utilizando métodos não destrutivos), matéria seca e proteína bruta. Em Abril de 2013 e Março de 2014, foram medidos em cada planta o número total de cladódios (NC) e em cada cladódio o seu comprimento (C), Largura (L) e espessura média (E). A produção de biomassa foi estimada através da determinação da área de cladódios por planta, apenas uma face (AC, cm2) e da produção de matéria verde por planta (MV, g), através da utilização de equações previamente desenvolvidas por regressão linear, AC=15,27+0,772xCxL (r2ajust=0,988) e MV=8,13+0,710xCxLxE (r2ajust=0,954). A determinação de teores em matéria seca (MS) e proteína bruta (PB) foram realizados em amostras de cladódios com um ano (colhidos em setembro de 2013) das seis populações de Opuntia ficus-indica que mais biomassa produziram no primeiro ano de ensaio (populações, 4, 5, 7, 12, 13 e 14). A população 7 corresponde à variedade “Gialla”, sendo as cinco restantes ecótipos nacionais. Após desidratação para determinação da MS, as amostras foram moídas em partículas de 1mm e processadas em duplicado para determinação dos teores em PB (Nx6,25) utilizando o método Kjeldahl. Na análise estatística de resultados, para comparação de médias utilizou-se a ANOVA e como teste de comparações múltiplas utilizou-se o teste de Tukey. Na estimativa da produção de biomassa, analisando apenas as seis melhores populações e para o segundo ano de ensaio, os resultados obtidos para a área de cladódios (cm2) e matéria verde (g) das populações 4, 5, 7, 12, 13 e 14 foram, respetivamente, os seguintes: 5787,6 cm2 (AC) e 10058,5g (MV); 7523,6 cm2 (AC) e 12464,6 g (MV); 8877,5 cm2 (AC) e 14701,9 g (MV); 7552,7 cm2 (AC) e 12937,6 g (MV); 7237,6 cm2 (AC) e 12716,7 g (MV); 7044,2 cm2 (AC) e 13281,3 g (MV). Para a área de cladódios por planta registaram-se diferenças significativas entre populações F(5, 82)=2,5 e P=0,037. Os valores variaram entre 8877,5 cm2 (população 7, “Gialla”) e 5787,6 cm2 (população 4). Já no que se refere à produção de matéria verde, não se registaram diferenças significativas entre as seis melhores populações, F(5, 82)=1,87 e P=0,109. Os valores da matéria verde variaram entre 14701,9 g (população 7, “Gialla”) e 10058,5 g (população 4). Os teores em MS e PB (%MS) das populações 4, 5, 7, 12, 13 e 14 foram, respetivamente, os seguintes: 12,84%MS (±1,621) e 6,99%PB (±0,113); 14,58%MS (±1,142) e 7,25%PB (±0,737); 14,17%MS (±1,429) e 7,24%PB (±0,810); 14,10%MS (±0,669) e 8,25%PB (±0,954); 13,02%MS (±0,858) e 7,84%PB (±0,774); 13,74%MS (±0,861) e 6,80%PB (±0,510). Relativamente à MS, encontraram-se diferenças significativas entre populações (P<0,05) tendo a população 5 apresentado o valor mais elevado (14,58%MS ±1,14) e a população 4 o teor mais baixo (12,85%MS ±1,622). Relativamente à PB, verificou-se que a população 12 (8,25%PB ±0,954) apresentou um teor em PB significativamente mais elevado (P<0,05) em relação às populações 4, 5, 7 e 14 mas não em relação à população 13 (7,84%PB ±0,774). Os cladódios da população 14 apresentaram o teor em PB mais baixo 6,80%PB (±0,510) (P<0,05). Se utilizarmos os cladódios para alimentação de ruminantes e considerarmos como exemplo a população 12 de O. ficus-indica, aquela que apresentou uma concentração proteica mais elevada, verificamos que os 82,5 gPB/kgMS daqueles cladódios são inferiores aos 93,7 gPB/kgMS que satisfazem as necessidades diárias de uma ovelha com 70 kg de peso vivo a produzir por dia 1,3 kg de leite com 7% de gordura. Devido aos baixos teores em MS e em PB, a utilização de cladódios na alimentação de ovelhas em lactação deverá ser acompanhada de forragens secas com elevado teor em MS e PB. Conclui-se que das dezasseis populações de O. ficus-indica em avaliação é possível eleger um grupo de cinco ecótipos nacionais que se aproximam da variedade “Gialla” em termos de produção de biomassa. As populações 5 e 12 destacam-se das restantes por possuirem, respetivamente, teores em MS e PB significativamente mais elevados.
The aim of this study was to determine the dry matter (DM), ash, organic matter (OM), crude protein (CP), ether extract (EE), crude fiber (CF), total sugars, starches and estimate the metabolizable energy (ME), in ruminants, pigs, poultry, horses and pets (dogs and cats) and digestible energy (DE) in rabbits from the 10 most productive field pea genotypes (Pisum sativum) obtained in a trial with 4 X 20 different genotypes (Project 0186_AGROCELE_3_E). The results (% DM - genotype) allowed us to state the following: all the 10 field pea genotypes grain were an important source of energy (cytoplasmic carbohydrates) with high percentages of soluble sugars (7.95% ISARD to 9.42% ENDURO) (P < 0.05) and starch (38.63% LIVIA to 45.00% AUDIT) (P < 0.05), low CF content (5.99% ISARD to 7.90% CARTOUCHE) (P < 0 05), high CP (22.8% ENDURO to 26.1% CORRENT) (P < 0.05), low levels of EE (0.69% LIVIA to 1.62% CHEROKEE) (P<0.05), ideal level of ME ruminants (11.844 MJ/kg DM - CHEROKEE to 11.883 MJ/kg DM - CORRENT) (P < 0.05), ME pigs (14.683 MJ/kg DM - ISARD to 13.885 MJ/kg DM - CARTOUCHE) (P < 0.05), ME poultry (11.540 MJ/kg DM - LIVIA to 12.868 MJ/kg DM - AUDIT) (P < 0.05), ME horse (11.392 MJ/kg DM - CORRENT to 11.979 MJ/kg DM - AUDIT) (P < 0.05), ME pets (13.116 MJ/kg DM – CORRENT to 13.498 MJ/kg DM - ISARD) (P < 0.05) and DE rabbits (12.977 MJ/kg DM – CARTOUCHE to 13.044 MJ/kg DM - ISARD) (P < 0.05). We concluded that all 10-field pea genotypes are an excellent feedstuff for ruminants and non-ruminants animal and it could be supplied plain or included in concentrate feed because it is an excellent protein and energy supplement. It combines in the same grain high levels of crude protein and starch. Due to the low fat content is a very interesting pulse for pets’ light diets.
Estimativa da produção de biomassa em populações de figueira da índia (Opuntia ficus-indica (L.) Mill).
Neste trabalho apresentam-se alguns resultados com a caracterização nutricional de 5 ecótipos e 2 variedades de figueira-da-índia e formula-se um regime alimentar para ovelhas em lactação otimizando a figueira-da-índia como alimento forrageiro.
A figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica) (OFI), espécie da família Cactaceae, foi introduzida na Península Ibérica no início do Séc. XVI e encontra-se naturalizada em toda a bacia mediterrânica. A utilização de cladódios na alimentação de ruminantes é importante nalgumas regiões áridas e semiáridas do mundo. Nas regiões mediterrânicas, como acontece no Centro e Sul de Portugal, podem ser utilizados na alimentação animal, em pastoreio direto ou distribuídos à manjedoura, especialmente em períodos do ano em que a disponibilidade qualitativa e quantitativa de pastagem é baixa o que poderá afetar a produção de leite e de carne. Com o objetivo de avaliar o potencial dos cladódios como alimento para pequenos ruminantes, foi realizado um estudo onde se analisou o perfil nutricional de cladódios de cinco ecótipos Portugueses. O material vegetal foi recolhido num campo experimental existente na ESACB. As análises foram realizadas em cladódios com um ano de idade e a cultivar Italiana “Gialla” foi utilizada como termo de comparação. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre as populações estudadas para os teores de proteína bruta (PB) e cinzas. Em termos gerais, os cladódios de OFI apresentam baixos teores de matéria seca (MS), PB e fibra em detergente neutro (NDF) e elevados teores de energia metabolizável (EM) e hidratos de carbono não fibrosos. Atendendo à importância que a MS, EM, PB e NDF têm na nutrição de pequenos ruminantes, conclui-se que os cladódios de OFI podem ser utilizados na alimentação de pequenos ruminantes desde que associados a fontes de fibra e de proteína.
Seminário realizado na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, no âmbito do Projecto 0186_AGROCELE_3_E
Com o objetivo de avaliar a possibilidade de utilização da melancia (Citrullus lanatus) na alimentação de ruminantes caracterizou-se o fruto do ponto de vista nutricional e formulou-se um regime alimentar para ovelhas em lactação. A melancia apresenta elevados teores em PB (14,47%MS ±4,54) e NFC (53,80%MS ±8,89) e baixos teores em MS (3,80% ±1,62), NDF (20,63%MS ±2,80) e ADF (18,39%MS ±2,93). Utilizando a técnica do Quadrado de Pearson, acertámos uma mistura para 45,01%MS constituída por 54,3% melancia + 45,7% feno de aveia. As necessidades diárias de uma ovelha com 70kg de peso vivo a produzir 1,3 kg de leite por dia com 7% de gordura são as seguintes: EM 19,07MJ/dia; PB 183,6g/dia; RDP 148,6g/dia; UDP 35,0g/dia; EE≤98,0g/dia; NDF≥784,0g/dia; NFC≤705,6g/dia; CIMS 1,96kg/dia. Utilizando a mistura como alimento base mais 100g de alimento composto distribuído na ordenha, elaborou-se um regime alimentar (1,8694kgMS/dia de mistura e 0,0906kgMS/dia de alimento composto) que satisfaz as necessidades em EM 19,48MJ/dia, PB 229,47g/dia, RDP 150,62g/dia, UDP 78,85g/dia, EE 46,99g/dia, NDF 791,04g/dia e NFC 752,03g/dia sem ultrapassar a CIMS. Conclui-se que a melancia pode ser utilizada na alimentação de ovelhas quando misturada com feno de aveia. É uma solução alimentar interessante em setembro/outubro quando há carência de pastagem.
The use of Opuntia ficus-indica cladodes as a forage for ruminants has been very important in the semi-arid and arid regions of the world. O. ficus-indica cladodes can be fed to small ruminants especially in periods of the year when there is low quality and quantity of pasture. In Mediterranean regions like South of Portugal during the rainy season the availability of pasture is quantitatively and qualitatively satisfactory, but in critical times of the year the shortage and low nutritive value of forages causes decreased productivity in the ruminant’s production of milk and meat. The aim of this study was to evaluate the nutritional profile of the cladodes from five different Portuguese ecotypes of O. ficus-indica, in comparison with cultivar “Gialla”, and also evaluate its potential use as a feed for ruminants. Among populations’ significant differences were found in crude protein and ash content, and different groups were unfolded. In general, O. ficus-indica has a low content of DM, CP and NDF and high content in NFC and EM. Given the importance that DM, PB and the NDF have for nutrition and feeding of ruminants we conclude that O. ficus-indica can be used in feeding small ruminants provided that animals have access to dry forage and a feed source with high CP content. Used as fodder, O. ficus-indica seems to be an optional interesting feed for small ruminants in driest period of the year.
O género Opuntia spp. pertence à família Cactaceae, sendo a espécie Opuntia ficus-indica (OFI) a que tem maior importância económica. Em frutos de vinte populações provenientes de quatro espécies do género Opuntia spp. (OFI, O. robusta, O. dillenii and O. elata), com origem em Portugal, foram estudadas as características cromáticas, a acidez, o pH, o teor em sólidos solúveis totais (SST) e ainda os teores em ácido ascórbico (AA), betalaínas e fenóis totais (FT). As cultivares Italianas de OFI ‘Bianca’, ‘Gialla’ e ‘Rossa’ foram incluídas como termo de comparação. Os valores mais elevados de acidez foram registados nos frutos de O. dillenii e O. elata e os menores em OFI. Os frutos de O. dillenii apresentaram os teores mais elevados de betalaínas e FT, ao passo que as concentrações mais elevadas de AA foram registadas nos frutos de O. elata. Os ecótipos de OFI mostraram variação na concentração de compostos bioativos. Em OFI, a cv. de polpa vermelha ‘Rossa’ é a que apresenta maior concentração de betalaínas, seguida pelos ecótipos de polpa laranja e, finalmente, os ecótipos de polpa branca. Os valores mais elevados de FT foram encontrados nos ecótipos de polpa branca. O género Opuntia spp. é uma fonte de compostos bioativos, pelo que o consumo dos seus frutos representa uma boa forma de ingestão de compostos de elevado valor nutricional.