Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

105 records were found.

Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
A evolução da sociedade movida pela industrialização e mecanização das tarefas associado ao desenvolvimento tecnológico e ao fenómeno crescente da urbanização, provocou profundas alterações nos padrões de vida das sociedades contemporâneas, “empurrando-as” para uma brusca sedentarização, motivada pela diminuição das exigências físicas no trabalho manual, hábitos não activos de lazer (televisão, computador…), crescente trabalho intelectual, uso do automóvel e do elevador, entre muitos outros. As potencialidades de movimento de que está dotado o corpo humano viram-se desta forma reduzidas, fazendo despoletar um interesse crescente por parte de diferentes autores, pertencentes a diferentes quadrantes científicos e a vários países, procurando respostas que permitam contrariar os efeitos negativos provocados pelo sedentarismo crescente, valorizando as perspectivas biológicas e sociais da actividade física no desenvolvimento humano (Prista, 2000). As atitudes predominantemente sedentárias das populações adultas depressa se reflectiram no mundo das crianças, traduzindo-se aqui invariavelmente como um desvio à normalidade. Esta constatação fez com que a partir da década de 60, os investigadores se preocupassem com a actividade física durante a infância e adolescência. Desde então, muitos progressos tem havido, reflectindo-se este facto na literatura publicada e sua divulgação em diferentes eventos. Lima (1991) refere mesmo que a importância atribuída à actividade física durante a infância foi tal, que fez despertar um interesse especial a nível clínico, procurando servir como meio de diagnóstico, prevenção e terapêutica para diferentes doenças pediátricas. Nesta apresentação vamos fazer uma reflexão sobre a importância da actividade física nos estilos de vida das pessoas, e abordar a problemática do sedentarismo na infância e seus reflexos na qualidade de vida e saúde.
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
As transformações sociais, económicas, políticas e culturais associadas a outras características das sociedades pós industriais (hábitos sedentários, stress emocional, inactividade física...) e o nascimento de uma sociedade da informação que vive preponderantemente em meio urbano, provocaram uma grande mudança no dia-a-dia das pessoas. Estas transformações levam à necessidade de novas práticas por parte das populações. O presente artigo tem como principal objectivo, apontar novos caminhos no combate ao sedentarismo, procurando realçar os aspectos positivos das actividades físicas em ambiente natural, principalmente para as crianças e jovens.
Qualquer que seja a actividade a desenvolver, um educador deverá planifica-la, porque a planificação é a única forma de nos assegurar-mos de que sabemos bem onde queremos ir, que definimos bem o caminho para lá chegar e que temos mecanismos para saber se lá chegamos. O presente artigo tem como principal objectivo elucidar os leitores sobre a problemática da planificação no campo das actividades físicas (actividades na neve). Faz-se uma abordagem aos diferentes tipos de planificação e suas particularidades e aspectos fundamentais da programação. O artigo apresenta no final um exemplo prático de uma planificação de actividades na Neve.
O livro "Estudos em desenvolvimento motor da criança V" corresponde a uma seleção dos trabalhos apresentados no VII Seminário de Desenvolvimento Motor da Criança, realizado na Escola Superior de Educação de Coimbra entre 12 e 13 de Outubro de 2012
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Dissertação apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física - Motricidade Infantil.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialização de Gerontomotricidade.
Dissertação apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Contém referências bibliográficas
Dissertaçäo de Mestrado
Dissertaçäo de Doutoramento apresentada à Universidade Técnica de Lisboa em Motricidade Humana na especialidade de Ciências da Motricidade
Dissertaçäo de Doutoramento apresentada à Universidade Técnica de Lisboa em Motricidade Humana na especialidade de Ciências da Motricidade
Dissertaçäo de Doutoramento apresentada à Universidade Técnica de Lisboa em Motricidade Humana na especialidade de Ciências da Motricidade
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
O objectivo fundamental deste trabalho é estudar a opinião dos pais relativamente à Actividade Física no dia a dia dos seus filhos, no meio urbano, tendo em conta as variáveis sexo e estatuto sócio económico. Para a realização deste estudo recolhemos informação de uma amostra constituída por pais de crianças com idade de 12 anos, residentes na cidade de Castelo Branco. A recolha dos dados foi efectuada através de um questionário aplicado aos pais. Como conclusões principais podemos referir que: - Relativamente ao estatuto sócio económico não se verificam grandes diferenças na opinião dos pais relativamente à actividade física dos seus filhos. Cabe salientar que em ambos os meios as crianças têm muitas actividades de desgaste físico baixo e há uma grande percentagem que refere não praticar actividade no clube (sendo a percentagem superior no meio sócio económico mais baixo). Quanto às razões que mais influenciam a prática de actividades físicas das crianças são os factores relacionados com a saúde e o gosto pela prática. Quem mais influencia a prática das crianças são os amigos, os professores e os pais e familiares adultos. Relativamente aos factores limitadores da prática os pais de estatuto alto apontam principalmente a falta de tempo, os de estatuto baixo a inadequação dos espaços. - Quanto ao sexo da criança, verificam-se algumas diferenças na opinião dos pais relativamente à actividade física dos seus filhos, uma vez que as crianças do sexo feminino passam mais tempo em actividade dentro de casa do que as crianças do sexo masculino. Também em relação actividade desportiva num clube e andar de bicicleta há uma maior frequência de realização por parte das crianças do sexo masculino. Quanto às razões que mais influenciam a prática de actividades físicas das crianças são os factores relacionados com a saúde e o gosto pela prática. Quem mais influencia a prática física das crianças do sexo masculino são os amigos e as do sexo feminino são os professores. Relativamente aos factores limitadores da prática, para os pais das crianças do sexo masculino é a falta de tempo enquanto que para os pais das crianças do sexo feminino é a falta de espaço.
O grande objectivo da investigação é analisar a actividade física no dia a dia de um grupo de crianças de 12 anos no meio urbano, em função da variável sexo. A amostra é composta por 50 crianças (24 do sexo masculino e 26 do sexo feminino). A recolha dos dados foi efectuada através de uma entrevista estruturada, acompanhada do preenchimento de um questionário. Após a recolha, codificação, processamento e tratamento dos dados retiramos as seguintes conclusões: As crianças apresentam alguma satisfação face ao espaço disponível no seu bairro para a prática das suas actividades físicas, considerando-o suficiente, no entanto referem que os limita na prática dos desportos radicais e jogos desportivos com bola. Verificamos também que as crianças do sexo masculino praticam mais actividade desportiva num clube (sendo a actividade mais praticada o futebol) que as do sexo feminino que praticam na sua maioria atletismo e ginástica, de salientar que o tempo de prática desses desportos é baixo. Quanto à influência para a prática desportiva ambos os sexos apontam os amigos de bairro e da escola, apontando ainda os rapazes os ídolos desportivos e as raparigas os professores. As crianças de ambos os sexos consideram que a prática é boa para a saúde e que muitas vezes não praticam por falta de tempo.
Dissertação apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo, para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade física.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade física, especialidade de Gerontomotricidade.
Relatório de Estágio apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Educação Pré-Escolar e Ensino do Primeiro Ciclo do Ensino Básico.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física – Especialidade em Motricidade Infantil.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialização de Gerontomotricidade.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física, especialização em Desporto Adaptado.
Devido à proliferação das novas tecnologias, os tempos de hoje são caraterizados por uma nova e crescente cultura digital. Uma das consequências imediatas deste novo estilo de vida é que as crianças passam mais tempo em casa, rodeadas de tecnologia e menos tempo em brincadeiras ao ar livre, onde poderiam explorar o meio e permanecerem ativas e em movimento. Na sequência desta nova era digital, surgiram os Exergames (EXG) que pretendem revolucionar os jogos tradicionais de videojogo, de forma a combinar o exercício com o jogo. A Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) é das patologias do desenvolvimento e neurológico mais comum e também das mais estudadas. Esta síndrome é caracterizada por apresentar um défice de autocontrolo de desenvolvimento, da atenção, dificuldade no controlo dos impulsos, nas relações sociais e nas habilidades psicomotoras, pelo que uma intervenção precoce e atempada é aconselhável. No presente trabalho pretendeu-se avaliar o Perfil Psicomotor de uma criança de 12 anos de idade com PHDA, através da Bateria Psicomotora (BPM) de Vitor da Fonseca, e perante os resultados obtidos apresentar um Plano de Intervenção através da Nintendo Wii® e seus acessórios. Após aplicação da BPM e realizado o somatório das várias provas dos sete fatores psicomotores, o valor obtido foi de 17 pontos, pelo que o perfil psicomotor corresponde a um Perfil eupráxico, no entanto, foram evidenciadas e registadas como áreas fracas a Equilibração, a Noção do Corpo, A Estruturação Espácio-temporal, a Praxia Global e a Praxia Fina. A proposta de intervenção apresentada pode ser implementada na Escola ou mesmo em casa pela Família, e pretendemos que a aplicação deste plano de intervenção possa oferecer uma série de vantagens em relação aos métodos convencionais, sendo por isso, em nossa opinião, uma boa proposta para articular com outro tipo de atividades.
O objetivo deste estudo e o de avaliar as atitudes dos alunos sem condição de deficiência relativamente a inclusão de alunos com condição de deficiência nas aulas de Educação Física tendo em conta as variáveis idade, género e tipologia da deficiência. Foi utilizado um inquérito por questionário com entrevistas exploratórias que serviram para a construção do mesmo. A amostra foi constituída por 37 indivíduos, 16 jovens do género feminino e 21 do género masculino com idades compreendi das entre os 12 e 14 anos, com urna média de idades dos sujeitos de 12,86 anos, com um desvio padrão de 0,082199. Os resultados obtidos revelam diferenças de atitudes, quanto ao género e a tipologia da deficiência existente na turma. No que respeita a idade não estamos em condição de concluir de forma concreta pois nesta variável não há uma tendência definida.
Investigações recentes relevam a importância da análise do acto de ensinar e principalmente do estudo do pensamento do aluno, e em particular dos fatores que prendem a sua atenção nas aulas. A atenção, considerada uma poderosa variável mediadora, porque e notória a sua influencia no processo de enino aprendizagem, bem como a influencia mutua existente entre o comportamento do professor, o comportamento do aluno e os resultados das aprendizagens. Pretendemos conhecer os aspetos que prendem a atenção dos alunos nos distintos momentos da aula de educação física, na lecionação de modalidades desportivas diferenciadas. Serão selecionados a totalidade dos alunos do 3o Ciclo do Ensino Básico, de uma escola, com idades compreendidas entre 12 e 16 anos, aos quais será aplicado o questionário (ATEST_EF), em distintas modalidades desportivas. Estudos anteriores indicam-nos que existem diferenças no perfil de atenção nos distintos momentos da aula de Educação Física e na lecionação de modalidades desportivas diferenciadas
O interesse dos investigadores sobre os níveis de aptidão física da população infanto-juvenil assenta, por um lado, na preocupação de melhor entender a sua relação com a saúde e bem-estar e, por outro, compreender a sua ligação com a performance desportiva-motora. Com o presente estudo pretendemos conhecer os níveis de aptidão física das crianças que frequentam o 1.º Ciclo do Ensino Básico na vila da Sertã, tendo em conta a variável género, e verificar o efeito da Atividade Físico-Desportiva Orientada inserida no Programa de Atividades de Enriquecimento Curricular (AECs) sobre a Aptidão Física dessas mesmas crianças. A amostra compreendeu 70 crianças (38 meninas e 32 rapazes). O instrumento usado no estudo para recolha dos resultados foi a bateria de testes Fitnessgram (2003). A comparação de médias em variáveis quantitativas medidas numa escala racional, foi realizada através da análise de variância de medidas repetidas. A comparação de proporções em variáveis qualitativas medidas numa escala nominal, foi realizada através do teste qui-quadrado e teste de McNemar. Os resultados demonstraram que os níveis de aptidão física das crianças são considerados satisfatórios pois na maioria das provas foram classificadas como aptas ou super-aptas. Os resultados demonstraram ainda que os meninos obtiveram, em cada um dos momentos de avaliação, melhores médias que as meninas à exceção das provas senta e alcança “direita” e “esquerda”. Em todas as provas houve uma melhoria significativa nos resultados quer dos meninos quer das meninas nos dois momentos de avaliação, à exceção das provas “senta e alcança” direita e esquerda, onde houve um decréscimo significativo entre os dois momentos. Os resultados demonstram, que o trabalho desenvolvido durante as atividades de enriquecimento curricular contribuíram favoravelmente para a melhoria obtida na maioria das provas de aptidão física entre o primeiro e o segundo momento de avaliação.
As crianças com Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) podem aprender a utilizar o seu corpo do mesmo modo que uma criança sem qualquer problema, apenas têm mais dificuldades em processar a informação e necessitam que os professores repitam comportamentos e estruturas. A dificuldade de socialização pode provocar um atraso no desenvolvimento psicomotor. Por sua vez, as atividades físicas são promotoras de uma boa saúde e bem-estar da criança com PEA e a sua motricidade pode vir a desenvolver-se de modo a conseguir uma envolvência com o corpo (consigo próprio) e com o espaço (meio envolvente). Objetivo: o presente trabalho centra-se na observação dos efeitos da atividade física adaptada nos fatores psicomotores Práxia Global e Práxia Fina de uma criança com espectro do autismo, a frequentar o jardim de Infância. Métodos: aplicou-se a bateria psicomotora (BPM) de Vítor da Fonseca, traçou-se o perfil psicomotor da criança e seguidamente extraíram-se os resultados relativos a estes dois fatores, por serem os mais fracos, e, concebeu-se e aplicou-se um plano de atividades físicas adaptadas. No final do programa voltou-se a aplicar a bateria psicomotora. Resultados: da análise á primeira aplicação da BPM os fatores com pior perfil foram os das Práxias, tanto Global (1,3 - Fraco) como Fina (1 - Fraco), em que os resultados revelam uma realização imperfeita, incompleta e descoordenada em quase todos os subfactores. O plano de atividades físicas adaptadas foi elaborado tendo em vista sobretudo estes fatores (não descurando os outros) com vista a melhorar o desempenho da criança fazendo-a evoluir nas suas competências psicomotoras ao nível das Práxias. O plano foi aplicado durante 7 meses, com 3 sessões por semana de 40 minutos. Por fim, voltou-se a aplicar a BPM, cujos resultados apresentam melhorias evidentes nos diferentes subfactores da Práxia Global obtendo assim um valor considerado bom, com realização controlada e adequada (3,2 - bom). Apesar da Práxia Fina continuar a apresentar melhorias pouco evidentes (1,4 - Fraco), um dos subfactores –Tamborilar – evoluiu bastante, mas mesmo assim é o fator psicomotor com mais dificuldades de realização para a criança. Conclusão: constatamos que o plano de atividades físicas adaptadas produziu efeito positivo no perfil das Práxias desta criança, uma vez que o seu perfil evoluiu mostrando em alguns subfactores um excelente índice de disponibilidade motora.
Objetivo: conhecer a opinião das crianças sobre o envolvimento parental. Metodologia: A amostra é constituída por 203 crianças praticantes de futebol, entre os escalões de infantis e iniciados. O instrumento utilizado foi o questionário adaptado do “Parental Involvement Sport Questionnaire” de Lee e Mclean (1997). Resultados: Na opinião das crianças há um grande envolvimento dos mesmos na prática desportiva dos filhos. Conclusões: estudo demonstrou que há diferenças na influência e intervenção e no incentivo e preocupação dos pais na prática desportiva dos filhos, entre os infantis e iniciados. Há também diferenças no incentivo e preocupação dos pais na prática desportiva dos filhos e no espírito desportivo, entre os pais que têm habilitações literárias altas e baixas. Há ainda diferenças na influência e intervenção dos pais na prática desportiva dos filhos e no incentivo e preocupação com essa prática, entre os pais com e sem prática desportiva.
O presente estudo tem como principal objectivo caracterizar a actividade física nos ginásios ou academias na cidade de Castelo Branco e conhecer as principais motivações e influências que levam as pessoas a praticar. A amostra é composta por 124 pessoas (53 do sexo masculino e 71 do sexo feminino). A recolha dos dados foi efectuada através de um questionário, entregue aos praticantes de dois ginásios. Após a recolha, codificação, processamento e tratamento dos dados retiramos como principais conclusões as seguintes: A grande maioria dos indivíduos que fizeram parte do estudo, praticam actividade física duas ou mais vezes por semana no ginásio/academia, mostram-se satisfeitos com as condições oferecidas pelas instituições, e praticam diversas modalidades que variam de acordo com o género e com a idade. As principais influências e motivações que levam à prática desportiva no ginásio/academia, apresentam também diferenças quando se tem em conta as variáveis género e idade dos praticantes.
O principal objectivo do estudo foi a análise das actividades diárias e a oscilação da frequência cardíaca de uma criança de 8 anos do sexo masculino, nos seus tempos livres, durante uma semana tipo no meio urbano. Os dados recolhidos foram analisados em termos de duração (minutos) e tratados em percentagem do tempo total. Os dados da frequência cardíaca foram analisados por ajustamento à ocupação das actividades diárias e tratados em termos de média e valor máximo e mínimo. Os dados foram recolhidos com um aparelho para recolha a cada 60 segundos. Como conclusões principais podemos referir que: - A frequência cardíaca da criança, nas diferentes actividades aumenta consideravelmente ao fim de semana. - O somatório das médias das FC em todas as actividades, é bastante semelhante nos dias úteis, possivelmente por haver uma repetição das actividades físicas. - Todas as actividades físicas realizadas durante esta semana são consideradas, actividades físicas leves. - As actividades em que a criança passa mais tempo são as lúdicas e as refeições, enquanto aquelas onde passa menos tempo são as actividades desportivas e as actividades livres orientadas.
O objectivo da investigação é estudar as actividades diárias das crianças e a oscilação da sua frequência cardíaca durante essas mesmas actividades, nos tempos livres, durante uma semana tipo, no meio urbano. Este trabalho é um estudo de caso com uma criança do sexo feminino, com a idade de 12 anos. A recolha de dados foi feita através de tabelas de registo diário e semanal e também com o auxílio de monitores de frequência cardíaca. Através da análise dos dados obtidos, podem-se tirar algumas conclusões: • de todas as actividades que a criança realiza no seu tempo livre, passa mais tempo em actividades de carácter lúdico; • a maioria das actividades que realiza ao longo da semana nos seus tempos livres são sedentárias e apresentam uma intensidade cardíaca baixa; • nas actividades que implicam um maior movimento, apresenta, em média, intensidades superiores em detrimento das actividades que exijam menor movimento.
É objectivo deste trabalho estudar a Actividade Física no dia a dia das crianças, assim como o seu nível de Independência de Mobilidade, no meio urbano. A amostra deste estudo incidiu em crianças com idades compreendidas entre os 11 e os 12 anos, residentes na cidade de Castelo Branco. As principais conclusões foram: - As crianças que fizeram parte do estudo dizem ter um dia muito movimentado, mas pouco cansativo, apresentando como actividades mais exigentes em termos físicos, as praticadas nos clubes ou a actividade lúdica praticada fora de casa. - Relativamente à Independência de Mobilidade, as crianças apresentam níveis elevados, comprovando este aspecto, o facto de na sua maioria poderem deslocar-se sozinhos ou com amigos para vários locais da cidade.
As necessidades espaciais da criança são de uma vital importância a nível do seu desenvolvimento psíquico, social e motor. Para a realização deste estudo foram entrevistadas 100 crianças de forma directa pelos investigadores com idades de doze anos e residentes no meio urbano de Castelo Branco. O espaço envolvente à criança é determinante na progressão normal destes níveis. Um espaço atractivo, uma distribuição correcta do bairro, da habitação e ainda do quarto da criança é preponderante para ela obter um desenvolvimento desejável. O estudo deste artigo está focalizado nas necessidades espaciais da criança. Daí a importância deste estudo, suscitar justificada reflexão de todos quantos se encontram ligados à planificação e programação de espaços. A principal conclusão que podemos retirar relativamente a este estudo é que a maioria das crianças está bastante satisfeita face ao seu espaço envolvente, quer dentro, quer fora de casa, pois estes espaços oferecem-lhes condições para o desenvolvimento de padrões de vida saudável.
Este estudo teve como objectivo fundamental identificar as Necessidades relacionadas com o tempo livre da Criança, do meio urbano no seu dia a dia. A mostra do estudo é composta por 100 crianças de ambos os sexos da cidade de Castelo Branco com idades de 12 anos e foi recolhida em duas escolas (Escola E. B. 2,3 Cidade de Castelo Branco e escola E. B. 2,3 Afonso de Paiva). A recolha de dados foi feita através de uma entrevista estruturada, aplicada às crianças. Após a recolha, codificação, processamento e tratamento dos dados retiramos como principais conclusões, as seguintes: no que se refere à satisfação da criança face aos seus tempos livres, podemos adiantar que a maioria das crianças estão satisfeitas com a forma como passam os seus tempos livres. Uma grande parte das crianças prefere as actividades desportivas e lúdicas para passar o seu tempo livre, ao passo que as actividades escolares são por elas menos escolhidas para passarem o seu tempo e onde as mesmas porventura dizem que é onde passam mais tempo. Em relação à autonomia da escolha das actividades e decisão do tempo passado nas mesmas, na opinião de grande parte das crianças acham que devem ser elas a escolher as suas actividades e consideram que podem ser elas próprias a gerir o tempo passado nessas actividades ou então ser os adultos.
Este projecto procura enquadrar-se em preocupações recentes quanto à valorização de contextos de estimulação não formais na área da actividade lúdica e motora. O desenvolvimento do projecto orienta-se em fases distintas. A primeira corresponde à identificação das características do comportamento motor das crianças de acordo com os seus quadros de vida. Para o efeito temos em curso uma investigação sobre o actual “status quo” das realidades adaptativas da motricidade das crianças em função das condições de vida e dos constrangimentos físicos, sociais e culturais da sociedade actual. Na sua operacionalização procedemos a um levantamento dos modos de interpretação do “mundo” da vida infantil pelas próprias crianças com base em métodos qualitativos como: - Planos diários de ocupação temporal, - Mapas subjectivos e objectivos da habitação e do bairro, - Entrevistas narrativas, - Entrevistas semi-estruturadas, - Entrevistas de propriedade, - Documentação fotográfica e registos vídeo. Na sequência convidamo-los a assistirem a um destes registos realizado em Castelo Branco.
Diiferentes autores têm mostrado algum consenso sobre a participação de pais e mães no desporto dos filhos, referindo que se podem apresentar como uma fonte de apoio, mas também de pressão. Os fatores referidos variam de acordo com os diferentes tipos de participação dos pais. Aroni, (2011) refere que o envolvimento parental no desporto é determinante no processo de formação desportiva dos jovens desportistas, exercendo os pais uma grande influência nas atividades dos filhos. O seu apoio para o alcance de objetivos propostos e de resultados na carreira desportiva são essenciais, mas muitas vezes estão relacionados às crenças e perceções de sucesso que eles (pais) tiveram no passado, quando praticaram o mesmo desporto ou foram ex-atletas. Carr, Weigand e Jones (2000), referem que os pais influenciam os filhos quando expõem as razões que levam ao sucesso e como devem agir para alcançar tais objetivos.
Diiferentes autores referem que os pais avaliam a performance desportiva dos seus filhos consoante as suas crenças pessoais, despoletadas através de fatores como o apoio e entusiasmo que se revelam fundamentais no desenvolvimento das capacidades do atleta (Fredricks e Eccles,2004). A interligação dos atributos parentais reflete-se através das competências percebidas e das expetativas que as crianças possuem acerca das suas vivências desportivas. A dicotomização entre estas duas perspetivas (pais e filhos) associa-se às atividades por estes realizadas em conjunto, bem como o encorajamento parental e os comportamentos existentes durante a vida desportiva do seu filho. Desta forma a postura apresentada por parte dos pais tornar-se um modelo para o atleta, seguindo este as diretrizes percebidas pelo comportamento padrão (Hoover-Dempsey & Sandler, 2005).
Com este trabalho pretendemos investigar quais os principais motivos e influências para a prática de atividade desportiva de jovens, analisando a interferência das variáveis género, idade, e tipo de desporto praticado. A amostra foi constituída por 186 praticantes de desporto. Os principais motivos da prática desportiva dos jovens estão essencialmente relacionados com a saúde, a sociabilidade e a técnica desportiva. As raparigas parecem valorizar mais os motivos ligados à sociabilidade, e os rapazes valorizam mais os aspetos técnico-desportivos. Os mais novos realçam os aspetos relacionados com a sociabilidade, enquanto os mais velhos parecem valorizar o aperfeiçoamento das capacidades técnicas. Os praticantes de natação valorizaram os aspetos ligados à saúde, os praticantes de basquetebol realçam os aspetos ligados à técnica, à sociabilidade, ao prestígio social e à condição financeira. Nas influências para a prática desportiva, os pais desempenham um papel fundamental, seguido dos amigos e dos treinadores dos clubes que exercem uma influência mais preponderante sobre os rapazes mais velhos.
Pretendíamos saber quais foram as modalidades desportivas escolhidas para a realização das atividades de formação em ensino, se os professores escolhiam para leccionar matérias diferentes das professoras e se as escolhas efectuadas para as aulas de interior eram diferentes das aulas de exterior. Para tal foram observadas sessenta lições de microensino leccionadas por estudantes de Educação Física, sobre um tema em que se sentissem mais à vontade e no local por que optassem. Verificámos que, na sua maioria, escolhem a ginástica como matéria, conteúdo, ou tema da lição e, por isso, preferem leccionar as suas aulas no interior, isto é, numa instalação desportiva coberta, e os restantes optam pelos desportos colectivos, sensivelmente na mesma proporção para cada uma das modalidades andebol, basquetebol, futebol ou voleibol, e são muito poucos os que escolhem o atletismo para praticarem as suas habilidades, competências ou destrezas de ensino.
Dissertação de Mestrado apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na Especialidade de Motricidade Infantil.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialidade de Motricidade Infantil.
Dissertação de Mestrado apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na Especialidade de Motricidade Infantil.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialidade de Motricidade Infantil.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física - Motricidade Infantil.
Introdução: O presente trabalho visa compreender quais as situações que melhor se enquadram os fundamentos técnico-táticos para um bom desenvolvimento do jogo, neste caso no Hóquei em Patins, onde através da comparação entre duas situações de jogo sendo elas: jogo formal e jogo em campo reduzido (Mini-Hóquei) nos escalões Benjamins e Escolares. Objetivo: Verificar se a diminuição das dimensões do campo nestes escalões de formação, promove uma maior ação em termos técnico-táticos por parte dos jogadores, com vista à formação e compreensão do jogo. Métodos: foi utilizada a gravação em vídeo de 10 jogos de Hóquei, 5 jogos regulamentares e 5 de Mini-hóquei, e foram registados os dados referentes aos passes efetuados, remates e número de golos. Foi utilizado para o tratamento estatístico o programa SPSS versão 20.0 onde efetuámos a estatística descritiva, médias e desvios padrões e ainda testes não paramétricos de Wilcoxon e Prova U de Mann-Whitney. O valor de significância foi colocado a p ≤ 0,05 que permitiu verificar que existe significância nas hipóteses testadas. Resultados: os resultados corroboram o nosso objetivo, uma vez que a maioria das hipóteses não foram rejeitadas, nos 5 jogos regulamentares foram registados um total 1214 passes, 229 remates e 54 golos. Nos resultados dos jogos de Mini-hóquei foram registados um total de total de 578 passes, 286 remates e 84 golos. Conclusões: Os resultados obtidos permitem-nos subentender que o Mini-hóquei promove uma maior ação técnico-táctica nestes escalões, com maior interação com bola, tornando-se assim numa excelente etapa de ensino-aprendizagem para o jogo formal 5x5 em campo de dimensões oficiais.
A educação inclusiva é um dos objetivos de todos os sistemas educativos das sociedades democráticas, proporcionando igualdade de oportunidades a todas as crianças. Para tal é necessário flexibilizar/adaptar o currículo para responder adequadamente às crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE). As Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE) apresentam-se como um conjunto de princípios para apoiar o educador nas decisões sobre a sua prática e constituem-se como uma referência comum em relação à componente educativa para todos os educadores da rede nacional. Tornam-se, assim, um apoio importante para os educadores, contribuindo para a inclusão de todas as crianças e não apenas de algumas no processo educativo regular. A inclusão das crianças com NEE tem vindo a equacionar grandes perspetivas ao nível internacional e no âmbito nacional, através do Decreto-Lei 3/2008, foram definidos os objetivos da Educação Especial (EE): inclusão educativa e social; acesso e sucesso educativos; preparação para a vida pós-escolar ou profissional; promoção da igualdade de oportunidades. Visto a questão de a inclusão ser um tema fulcral do ponto de vista da igualdade e da coesão social, pretendemos, por isso, conhecer a realidade das práticas de alguns profissionais da Educação Pré-Escolar em ação, dado que as crianças com NEE têm direito de serem incluídas no ensino regular. O objetivo centra-se em analisar se as Educadoras de Infância (EI) do ensino regular, flexibilizam/adaptam nos seus Projetos Curriculares de Grupo (PCG) os conteúdos, os objetivos, as estratégias/metodologias e os recursos, tendo em conta as NEE. Este estudo insere-se no âmbito dos métodos qualitativos descritivos, concretamente num estudo de caso, na medida em que o entrevistador, investiga as características de uma unidade individual, que neste caso são as EI, permitindo proporcionar uma melhor compreensão de um caso específico. Os instrumentos/técnicas de recolha de dados são a análise documental dos PCG e a entrevista semi-estruturada às EI e os dados foram tratados de acordo com a análise de conteúdo tendo em conta a definição das categorias, das unidades de significado, unidades de registo e de contextos. Das 15 instituições de Educação Pré-Escolar da rede pública/privada existentes na cidade de Castelo Branco apenas 2 se disponibilizaram para participar nesta investigação. As 4 Educadoras participantes exercem funções educativas em grupos de crianças que têm incluídas crianças com NEE: duas num jardim-de-infância da rede pública e duas na rede privada. Concluímos que da análise aos PCG, que em alguns casos, a articulação entre estes e os normativos coincide, mas os conteúdos, as estratégias/metodologias e os objetivos são selecionados nos PCG para o grupo sem mencionar especificamente as crianças com NEE. No entanto através das entrevistas, as EI referiram sempre a flexibilização/adaptação dos conteúdos, estratégias/metodologias e objetivos no dia-a-dia, consoante as NEE da criança, tendo em conta as suas capacidades e interesses. No que respeita aos recursos humanos, constata-se a falta de recursos humanos, tanto na análise aos PCG como às entrevistas, daí a dificuldade de gestão e organização do trabalho educativo.
O presente estudo teve como objectivos, conhecer as principais razões e influências que motivam as crianças a praticar actividade desportiva no clube, e saber, se essas razões e influências variam de acordo com a modalidade praticada e com o género. Conhecer também a opinião dos treinadores sobre os principais entraves à prática, e quais as mudanças a propor para aumentar o número de crianças a praticar actividade desportiva nos clubes. A amostra deste estudo é composta por 40 crianças com idades compreendidas entre os 7 e os 14 anos e por 4 treinadores. As modalidades onde foi recolhida a amostra foram: futebol, andebol, ténis e atletismo. A recolha dos dados foi efectuada com base num questionário aplicado individualmente a cada criança e a cada treinador. Após codificação, processamento e tratamento dos dados, concluímos que: O tempo de prática desportiva semanal das crianças nos clubes é diminuto. As principais razões para a prática estão ligadas à socialização, à saúde e à condição física. Quem mais influencia a prática desportiva são os amigos. As variáveis género e modalidade praticada não mostraram grandes diferenças. São vários os entraves à prática desportiva das crianças nos clubes na opinião dos treinadores, sendo apontados alguns aspectos importantes para atrair as crianças para a prática desportiva.