Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for diagnóstico and 1,358 records were found.

Comunicação apresentada no 2.º Congresso do Ensino Superiro Politécnico que decorreu de 19 a 23 de Outubro de 1993 em Castelo Branco, no Instituto Politécnico.
Poster apresentado no II Congreso Ibérico de Epidemiologia Veterinária, que decorreu em Barcelona, na FVUAB de 2 a 5 de Fevereiro de 2010.
O carácter crónico e as dificuldades terapêuticas tornam a úlcera um problema central. O seu diagnóstico e terapêutica merecem por isso especial atenção
O carácter crónico e as dificuldades terapêuticas tornam a úlcera um problema central. O seu diagnóstico e terapêutica merecem por isso especial atenção
O carácter crónico e as dificuldades terapêuticas tornam a úlcera um problema central. O seu diagnóstico e terapêutica merecem por isso especial atenção
Considerando que é importante mobilizar os agentes locais para um caminho que deve ser comum, formataram-se vários momentos de reunião e discussão para, em conjunto, verter para "Castelo Branco Agenda XXI" um Plano de Acção com medidas que unam e co-responsabilizem todas as entidades neste processo de crescimento, sob o padrão inovador que o caráter prático e planeado de uma Agenda Local impõe. As reuniões sectoriais e de proximidade que foram promovidas e o período de consulta do Diagnóstico para a Sustentabilidade do concelho, possibilitaram identificar os caminhos da Sustentabilidade de Castelo Branco, que são apresentados neste relatório.
O Streptococcus pyogenes é uma bactéria que pode colonizar o epitélio da mucosa da orofaringe e a camada epidérmica da pele, mas também a vagina, o ânus e o couro cabeludo, em menor proporção. Contudo, esta bactéria apresenta uma grande capacidade de adaptação a diversas condições fisiológicas, permitindo-lhe provocar um largo espectro de patologias divididas em: localização (amigdalite/faringite e infecções de feridas); invasivas (fasceíte necrosante, osteomielite e bacteriémia); mediadas por toxinas (escarlatina e a síndrome de choque tóxico estreptocócico); e pós-estreptocócicas (febre reumática e a glomerulonefrite pós-estreptocócica). Os principais objectivos deste trabalho são avaliar as características epidemiológicas do Streptococcus pyogenes num Hospital Distrital Português determinando a patologia mais frequente causada por esta bactéria de acordo com o diagnóstico clínico, o escalão etário mais afectado pela infecção e a variação sazonal deste agente etiológico durante o período de 1 de Janeiro de 2008 e 31 de Dezembro de 2009. Os dados utilizados para a realização deste estudo retrospectivo foram recolhidos de pacientes que deram entrada nos diversos serviços hospitalares de um Hospital Distrital com cultura positiva para Streptococcus pyogenes entre Janeiro de 2008 e Dezembro de 2009. O tratamento dos dados foi realizado em SPSS 17.0. Após a recolha de dados, foram obtidos um total de 476 amostras com cultura positiva para Streptococcus pyogenes, sendo a maioria exsudatos orofaríngeos (97,9%). Desta forma, optou-se por tratar a parte mais relevante da estatística, restringindo o estudo a esta fracção. A patologia mais frequente de acordo com o diagnóstico clínico foi a amigdalite. Contudo, 7,1% das culturas positivas não indicavam diagnóstico. Para determinar o escalão etário mais afectado pelas infecções de Streptococcus pyogenes no Hospital Distrital durante o período de estudo dividiu-se a população de estudo por 5 escalões, sendo o escalão pré-escolar o mais afectado. Quanto à variação sazonal de um ano para outro ressalta a variabilidade do número de infecções, bem como, a discrepância da percentagem de infecções ao longo do ano. Em 2008, observam-se algumas variações atípicas. Em 2009, o número de infecções encontra-se bem distribuído ao longo do ano, mantendo uma variação sazonal relativamente constante entre os 5 e os 9%. Os Streptococcus pyogenes isolados neste hospital afectam maioritariamente crianças entre os 3 e os 5anos causando amigdalite. Quanto à variação sazonal é inconclusiva, dada a discrepância de 2008 para 2009 e a falta de dados epidemiológicos portugueses publicados sobre a bactéria em questão. Desta forma, seria importante avaliar esta variação em estudos futuros, de modo a conseguir um encadeamento lógico desta variabilidade.
Fertilidade do solo
Doenças de animais
Documentaçäo e informaçäo
Fertilidade do solo
Doenças de animais
Bibliografia : f. 77
Doenças de animais
Bibliografia : f. 61
Contém referências bibliográficas
Contém referências bibliográficas