Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for envelhecimento and 481 records were found.

Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
A interação por meio do computador pode constituir uma alternativa para desenvolver a cognição em pessoas idosas. O objetivo do estudo foi avaliar as funções cognitivas das pessoas idosas que participaram de processos de interação em uma rede social na internet. A pesquisa é do tipo clínico randomizado, intervencionista e de caráter descritivo-analítico. A amostra do estudo foi composta por 41 mulheres idosas do Brasil. As idosas foram avaliadas neuropsicologicamente pré e pós intervenção. Para análise dos dados foi utilizado o teste Friedman. O nível de significância utilizado foi p _ 0,05. Os resultados indicaram uma melhora significativa nas funções cognitivas de atenção e memória nos grupos de intervenção e déficits cognitivos no grupo controle nas áreas de percepção, linguagem e praxias. Realizar treinamento cognitivo em redes sociais na internet pode melhorar algumas funções cognitivas de pessoas idosas, contribuindo para um envelhecimento ativo e com qualidade.
O envelhecimento da população é considerado um dos maiores desafios das sociedades contemporâneas, nomeadamente da Sociedade Digital. Numa conjuntura sensível de iliteracia digital dos cidadãos idosos, a ideia de promover o envelhecimento ativo e a infoinclusão, tem vindo a ser desenvolvida. As políticas sociais para o envelhecimento ativo adotadas no panorama europeu e em Portugal visam a integração das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na vida dos idosos, para que através das competências digitais adquiridas, estas possam reforçar os laços intergeracionais. A Universidade Sénior Albicastrense (USALBI) está integrada na Rede de Universidades da Terceira Idade (RUTIS) e foi o local escolhido para realizar este estudo de caso de natureza qualitativa numa turma de informática, durante o ano lectivo 2010/2011, com o objectivo de compreender a importância dasTIC em geral e do Facebook em particular, na promoção do envelhecimento ativo e na solidariedade intergeracional. O Facebook é a rede social mais utilizada em todo o mundo, com mais frequência pelos grupos etários mais novos, pelo que os idosos não podem nem devem ficar excluídos. É importante investir na formação dos idosos de modo a usufruírem das potencialidades desta plataforma. Genericamente, esta investigação consistiu na observação não participante dos idosos de uma turma de informática, na realização de entrevistas semiestruturadas aos idosos e á professora de informática e também na aplicação de uma grelha de exploração cronológica baseada nas funcionalidades do facebook. Os resultados desde estudo, permitiram constatar que as TIC permitem um acesso rápido à informação, é que o Facebook é uma ferramenta digital extensível a todas as idades, oferece condições favoráveis para a convivência intergeracional, aproxima gerações diferentes, promove o reforço dos laços familiares, proporciona a partilha de experiências entre gerações e combate o isolamento social dos idosos.
Nas últimas décadas, as sociedades têm suportado um grande desafio: o envelhecimento da população. As principais razões podem estar relacionadas com a diminuição da taxa de fecundidade, aumento da esperança média de vida, melhoria nos cuidados de saúde e pela incorporação de hábitos de vida mais saudáveis. Presentemente, a sociedade digital implica que todos os cidadãos sejam dotados de competências digitais. Neste caso, em particular, e dado que a população idosa é referenciada como uma população infoexcluída, é urgente criar condições para que se promova a sua inclusão digital que lhes permitirá uma verdadeira inclusão social, proporcionando assim um melhor envelhecimento ativo. Atendendo à degeneração fisiológica e cognitiva associada ao envelhecimento, é importante que se promovam iniciativas que previnam situações que possam aumentar as demências junto dos idosos. Este artigo apresenta os resultados de uma investigação que pretendeu averiguar se a utilização das aplicações digitais (APPs) Peak &Neuronation podem contribuir para o envelhecimento ativo dos idosos, no que diz respeito ao treino cognitivo que as mesmas proporcionam. Foram envolvidos 18 idosos da USALBI (Universidade Sénior Albicastrense), onde se efetuou uma observação não-participante em 12 sessões práticas. Foi também envolvido um especialista em Gerontologia Social e um especialista na área das TIC, através de entrevistas semiestruturadas a fim de averiguar as suas opiniões referentes às aplicações digitais envolvidas no estudo. Após a triangulação dos dados é possível afirmar-se que as opiniões recolhidas foram consensuais relativamente à mais valia das APPs Peak & Neuronation no treino cognitivo, onde se envolveram as valências de memória; linguagem; agilidade mental; raciocínio; velocidade; flexibilidade; coordenação; atenção; foco; concentração; perceção; resolução de problemas; cálculos mentais; emoção e força de vontade. Decorrente da análise dos dados, constatou-se que as APPs podem ser referenciadas como ferramentas digitais no âmbito do treino cognitivo dos idosos
Nos ultimos anos tem-se vindo a assistir a uma conjugação, cada vez mais estreita, entre a Tecnologia e as diferentes áreas e serviços da presente sociedade do conhecimento. Para o efeito, podem-se dar vários exemplos que já se encontram perfeitamente integrados no nosso quotidiano, tais como: e-Government; e-Learning; e-Banking; e-Commerce ... e e-Saúde. A importância do prefixo 'e' vem tornar clara a intervenção de determinado serviço realizado a partir de uma plataforma e/ou a partir de um dispositivo digital. Contudo, pretende-se que estes novos serviços apoiados numa estrutura digital sejam mais que um simples 'acrescento'. Neste sentido, a presente comunicação tem como objetivos apresentar a importância e as principais potencialidades da e-Saúde para o cidadão comum. No entanto, considerando que Portugal e a União Europeia se encontram a atravessar um período de progressivo envelhecimento pretende-se, ainda nesta comunicação, focalizar a atenção para um grupo de cidadãos onde esta nova possibilidade pode vir a trazer uma real mais valia: os cidadãos mais idosos. E feita uma reflexão crítica acerca das principais barreiras a ultrapassar e as principais vantagens que os idosos poderão usufruir através de um sistema de saúde que privilegie a vertente de e-Saúde. No caso dos mais idosos, a possibilidade de poderem vir a usufruir das valências da e-Saúde vem implicar que este grupo de cidadãos, normalmente associado ao grupo dos info-excluídos, tenha que adquirir um conjunto de competências e de literacia digital que lhes venham a permitir a utilização e a manipulação destes dispositivos tecnológico-digitais transformando-os numa outra individualidade, a de «paciente informado».
Pretende-se fazer uma abordagem sumária ao processo de envelhecimento global, com particular destaque para EU-27 e Portugal. Neste âmbito, é abordada a problemática da infoexclusão dos cidadãos 50+ e as suas consequências para este grupo de cidadãos que os impedem de exercer linha adequada cidadania e uma consequente inclusão social. Para o efeito, é apresentado o contributo da ISALBI (Universidade Sénior de Castelo Branco) na formação de cidadãos 50+ para a utilização das TIC de forma a que possam adquirir competências digitais. Neste sentido, são apresentados dados estatísticos relativos à formação efetuada relativamente ao número de participantes, aos conteúdos oferecidos, bem como a investigação já realizada. Acresce afirmar que a USALBI tem constituído desde a sua fundação (há 10 anos) uma oportunidade para que os cidadãos 50+ tenham vindo a ter a possibilidade de adquirirem competências digitais associadas às disciplinas de TIC e de Cidadania Digital de forma a reduzir o «gap digital» tão caraterístico dos cidadãos mais idosos.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
O artigo pretende apresentar uma contextualização relativa à dinâmica do processo de envelhecimento com uma reflexão acerca das suas diferentes valências. Tendo em consideração o aumento da esperança de vida, torna-se importante promover uma aprendizagem ao longo da vida ‘para’ e ‘com’ os cidadãos mais idosos. Neste âmbito, é realizada uma abordagem multidisciplinar onde se destaca a importância da gerontologia e da gerontagogia, num contexto de formação que se pretende ser mais ajustada às necessidades dos cidadãos mais idosos. Neste particular, de formação ao longo da vida, é dado um particular realce às Universidades da Terceira Idade a funcionar em Portugal, relativamente ao seu contributo educativo e, ao mesmo tempo, o seu contributo social. Atendendo ao facto de cada vez mais a presente sociedade do século XXI assentar em serviços e plataformas digitais, o artigo visa ainda promover uma reflexão crítica relativamente aos designados ‘nativos digitais’ e aos ‘imigrantes digitais’, no que respeita às respetivas competências digitais que lhes permitem exercer os seus direitos e os seus deveres como cidadãos. Neste novo contexto digital, torna-se importante incluir os cidadãos mais idosos no sentido de os capacitar para estes novos desafios proporcionando-lhes condições para que possam usufruir de um melhor e mais adequado envelhecimento.
O artigo pretende apresentar uma contextualização relativa à dinâmica do processo de envelhecimento com uma reflexão acerca das suas diferentes valências. Tendo em consideração o aumento da esperança de vida, torna-se importante promover uma aprendizagem ao longo da vida ‘para’ e ‘com’ os cidadãos mais idosos. Neste âmbito, é realizada uma abordagem multidisciplinar onde se destaca a importância da gerontologia e da gerontagogia, num contexto de formação que se pretende ser mais ajustada às necessidades dos cidadãos mais idosos. Neste particular, de formação ao longo da vida, é dado um particular realce às Universidades da Terceira Idade a funcionar em Portugal, relativamente ao seu contributo educativo e, ao mesmo tempo, o seu contributo social. Atendendo ao facto de cada vez mais a presente sociedade do século XXI assentar em serviços e plataformas digitais, o artigo visa ainda promover uma reflexão crítica relativamente aos designados ‘nativos digitais’ e aos ‘imigrantes digitais’, no que respeita às respetivas competências digitais que lhes permitem exercer os seus direitos e os seus deveres como cidadãos. Neste novo contexto digital, torna-se importante incluir os cidadãos mais idosos no sentido de os capacitar para estes novos desafios proporcionando-lhes condições para que possam usufruir de um melhor e mais adequado envelhecimento.
As zonas rurais de Portugal, onde se situa o distrito de Castelo Branco, são zonas onde se evidenciam factores relacionados com a desertificação e com um progressivo envelhecimento da população que aí ainda reside. Como consequência da migração para as cidades, muitos dos serviços de apoio às populações rurais estão a ser extintos. Para qualquer cidadão a disponibilização e o acesso aos cuidados de saúde constituem uma prioridade para a manutenção da sua qualidade de vida, mas para os idosos esta questão é ainda mais prioritária. Neste momento está a ser iniciada uma investigação (revisão de literatura e recolha de dados), ao nível de um Pós-Doutoramento, com o objectivo de averiguar a importância e as principais potencialidades da e-Health para a população mais idosa numa zona rural de Portugal – Castelo Branco. Com esta investigação, após a averiguação e investigação do «estado da arte» pretende-se propor e operacionalizar um conjunto de medidas que promovam a e-Health junto da população idosa de Portugal para que esta possa promover um adequado envelhecimento activo. Para o efeito, serão apresentadas as principais iniciativas da União Europeia e de Portugal no âmbito da e-Health.
A maioria das investigações têm vindo a demonstrar que a população 65+ anos apresenta valores de literacia digital e, consequente, uma utilização das TIC muito reduzida, comparativamente com os cidadãos mais jovens. Foi realizada uma investigação de pós-doutoramento no concelho de Castelo Branco com o objetivo de investigar qual o impacto das TIC, e-Saúde e e-Governo Local nas rotinas dos cidadãos idosos e no seu processo de envelhecimento. Veio comprovar-se que estes cidadãos podem ser considerados info-excluídos, havendo apenas 10.3% que utilizam o computador e 9.75% que utilizam a internet. No que respeita ao e-Governo Local e à e-saúde não se vislumbraram atitudes ou medidas especificas e objetivas para os idosos. A investigação veio demonstrar que, apesar dos serviços da administração pública cada vez mais tenham vindo a impor a utilização de plataformas digitais, há ainda cidadãos que são incapazes de realizarem um exercício pleno da sua cidadania: inclusão social.
Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento de Software e Sistemas Interactivos apresentada à Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento de Software e Sistemas Interactivos apresentada à Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Comunicação apresentada no III Simpósio Nacional de Olivicultura que decorreu em Castelo Branco, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, de 29 a 31 de Outubro de 2003.
Ambiente
cerebro
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Este trabalho analisa as motivações que levam os mais velhos a aprenderem informática, procurando descortinar quais os interesses subjacentes. Dessa forma procura-se compreender a forma como os mais velhos vêm a informática e o uso dos computadores, como a forma de integração na sociedade. Pretende-se ainda investigar quais as modificações ao nível das estruturas relacionais, nomeadamente na forma como o computador auxilia e aproxima as redes sociais do idoso e a forma como a informática poderá facilitar e ajudar, no processo de envelhecimento. A investigação centrou-se sobre a vivência de aprendizagem dos alunos da Universidade Sénior Albicastrense, recorrendo a técnicas de observação e entrevista, os dados recolhidos foram analisados à luz da metodologia Grounded Theory, usando para isso a codificação por conceitos-chave. A primeira conclusão é o facto de se verificar uma nítida divisão de grupos, fruto dos interesses individuais, nomeadamente: • Aqueles que pretendem adquirir e/ou incrementar a sua base de conhecimentos, ao nível das tecnologias da informação e simultaneamente desmistificar o seu uso. • Os que pretendem uma maior integração, junto das diferentes redes sociais, nomeadamente ao nível familiar, verificando-se ainda uma inversão de papéis, em que as gerações mais novas são a base do conhecimento. • Aqueles que pretendem utilizar as tecnologias da informação e comunicação, como forma de aproximação virtual aos diferentes sistemas (família, amigos,…) alargados e dispersos, com recurso à internet • Outra das conclusões a destacar é o facto de a internet ser considerada o principal motivo da aprendizagem, nomeadamente pelo acesso facilitado à informação, a aproximação aos seus e a manutenção das capacidades cognitivas dos mais velhos. • Durante o decorrer do trabalho serão apresentadas uma série de ideias, que possibilitarão a simplificação do processo de integração com a informática.
Este trabalho analisa as motivações que levam os mais velhos a aprenderem informática, procurando descortinar quais os interesses subjacentes. Dessa forma procura-se compreender a forma como os mais velhos vêm a informática e o uso dos computadores, como a forma de integração na sociedade. Pretende-se ainda investigar quais as modificações ao nível das estruturas relacionais, nomeadamente na forma como o computador auxilia e aproxima as redes sociais do idoso e a forma como a informática poderá facilitar e ajudar, no processo de envelhecimento. A investigação centrou-se sobre a vivência de aprendizagem dos alunos da Universidade Sénior Albicastrense, recorrendo a técnicas de observação e entrevista, os dados recolhidos foram analisados à luz da metodologia Grounded Theory, usando para isso a codificação por conceitos-chave. A primeira conclusão é o facto de se verificar uma nítida divisão de grupos, fruto dos interesses individuais, nomeadamente: • Aqueles que pretendem adquirir e/ou incrementar a sua base de conhecimentos, ao nível das tecnologias da informação e simultaneamente desmistificar o seu uso. • Os que pretendem uma maior integração, junto das diferentes redes sociais, nomeadamente ao nível familiar, verificando-se ainda uma inversão de papéis, em que as gerações mais novas são a base do conhecimento. • Aqueles que pretendem utilizar as tecnologias da informação e comunicação, como forma de aproximação virtual aos diferentes sistemas (família, amigos,…) alargados e dispersos, com recurso à internet • Outra das conclusões a destacar é o facto de a internet ser considerada o principal motivo da aprendizagem, nomeadamente pelo acesso facilitado à informação, a aproximação aos seus e a manutenção das capacidades cognitivas dos mais velhos. • Durante o decorrer do trabalho serão apresentadas uma série de ideias, que possibilitarão a simplificação do processo de integração com a informática.
Envelhecimento cerebral
Envelhecimento populacional
Envelhecimento activo
Envelhecimento activo
Envelhecimento activo
Envelhecimento saudável
Envelhecimento fisiológico
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Disponível na Biblioteca da ESACB na cota C30-27246TFCNHQA.
O impulso à crescente integração das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na educação conheceu um significativo recrudescimento por ocasião da emergência e popularização da noção da Sociedade da Informação e do Conhecimento. Atendendo às novas realidades sociais, resultantes do envelhecimento da população é estimulante o debate e a subsequente ação política para definição de políticas públicas destinadas à rápida adequação multidimensional desta problemática e à nova forma de organização social. Atualmente a resolução de problemas num contexto de maior respeito pelos direitos da população sénior é fundamental, tendo em conta um novo paradigma de intervenção com maiores oportunidades de formação ao longo da vida, participação social e melhor qualidade de vida para estes cidadãos. Neste contexto, surge este estudo, que se insere num projeto de investigação., que tem como objetivo geral identificar os fatores socioculturais que influenciam e condicionam a escolha na aprendizagem das TIC, em populações 50+ e conhecer os impactos no bem-estar destas populações ao longo do processo de envelhecimento. Os resultados obtidos poderão sensibilizar a sociedade civil para a importância da aprendizagem ao longo da vida em geral e para a aprendizagem das TIC em particular.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Relatório de Investigação de Pós-Doutoramento em Ciências Sociais na especialidade de Políticas Sociais.
Psicopatologia
Geriatria
Sexualidade
Imunidade
Idoso
Idoso
Idoso
Idoso
Psicologia
Fisioterapia
Demografia
Actividades desportivas
Educaçäo visual
Dissertação