Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for envelhecimento and 319 records were found.

Relatório do Trabalho de Fim de Curso de Engenharia das Ciências Agrárias – Ramo Agrícola.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Introdução: A Organização Mundial de Saúde define Saúde Sexual como um estado de completo bem-estar físico, emocional, mental e social associado à sexualidade, devendo os direitos sexuais de todas as pessoas ser respeitados, protegidos e satisfeitos. O reconhecimento destes direitos colide, muitas vezes, numa série de preconceitos e mitos relativamente aos idosos no que diz respeito à sexualidade na terceira idade uma vez que, para grande parte da nossa sociedade, os idosos são vistos como seres assexuadas e desprovidos de desejo ou necessidades sexuais. Objetivos: Avaliar as atitudes e os níveis de conhecimento daqueles que cuidam dos idosos, num contexto institucional, em relação à sexualidade na terceira idade e quais as variáveis que podem influenciar ou determinar as dimensões avaliadas. Metodologia: Estudo exploratório, comparativo e correlacional, com amostra por conveniência constituída por 329 cuidadores formais de 16 instituições de apoio a idosos do distrito de Castelo Branco. Na recolha de dados foi utilizado um questionário de caracterização sociodemográfico da amostra e a Aging Sexual Knowledge and Attitudes Scale que avalia os conhecimentos e atitudes em relação à sexualidade na terceira idade. Resultados: Foi encontrada uma correlação positiva entre os níveis de conhecimentos e as atitudes e, de uma forma geral, os cuidadores apresentam bons níveis de conhecimentos e atitudes permissivas em relação à sexualidade na terceira idade, apesar de nenhum dos sujeitos ter recebido formação especifica na área da sexualidade na terceira idade. Os sujeitos mais velhos, com mais anos de experiência e com qualificações mais baixas apresentam menos conhecimentos e atitudes significativamente menos permissivas. Conclusões: Existe uma forte relação entre os conhecimentos e as atitudes em relação à sexualidade na terceira idade. O perfil sociodemográfico, as habilitações e a experiência profissional apresentam relações significativas com os conhecimentos e atitudes avaliados, reforçando a necessidade de formação na área da sexualidade na terceira idade, como forma melhorar a qualidade dos serviços e o reconhecimento dos direitos das pessoas idosas.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do grau de Mestre em Música - Área de Especialização em Violino
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Trabalho de Projeto apresentado às Escolas Superior de Educação e de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialidade de Gerontomotricidade.
Esta investigação tem como objetivo determinar qual a capacidade funcional e a composição corporal (IMC) de idosos sedentários e com prática de atividade física formal e não formal. Amostra composta por 90 idosos voluntários de ambos sexos, aparentemente saudáveis, com idades compreendidas entre 65 e 93 anos, com uma idade média de 75 ± 8 anos. O estudo baseou-se na aplicação da bateria de Rikli & Jones (1999) para avaliar a capacidade funcional dos idosos e o IMC foi avaliado através das medidas antropométricas. Os dados obtidos foram tratados através da análise de variância (SCHEFFÉ). Nos indivíduos que praticam atividade física formal, os resultados obtidos foram significativamente (p ≤ 0,05) melhores em todas as provas, em comparação com os indivíduos sedentários. Nos Indivíduos que praticam atividade física não formal, os resultados obtidos foram significativamente (p≤ 0,05) melhores em quatro provas da bateria. Os resultados indicam que a prática de sessões de exercício supervisionado e com objetivos quanto à intensidade e tipo de exercício, contribui para a melhoria da capacidade funcional e do IMC, da população idosa.
Trabalho de projeto apresentado à Escola Superior de Educação de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Apesar de ser cada vez maior a acessibilidade às TIC e de haver cada vez mais um maior número de dispositivos digitais a sua utilização tem estado confinada, principalmente, aos mais jovens e aos cidadãos que apresentam níveis superiores de literacia. Quer isto dizer, que na presente sociedade da informação, há uma «fractura digital» que engloba ainda um número significativo de cidadãos: mulheres, desempregados, cidadãos com baixos índices de literacia e os idosos. Estamos conscientes que o mundo se encontra num processo de envelhecimento e, como consequência, esta faixa de cidadãos será cada vez mais numerosa tornam os idosos como um grupo prioritário no sentido de se promoverem acções que permitam a sua info-inclusão. A presente comunicação tem como objectivo alertar para a necessidade de se tomarem iniciativas que visem a formação dos idosos em TIC para que esta sociedade da informação seja, realmente, info-inclusiva.
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Sustentabilidade dos Sistemas Florestais
Num mesmo organismo pluricelular existem diferentes tipos de células e as diferenças são induzidas pelo controle dos genes que são transcritos (activados) em cada célula. Algum processo deverá actuar no DNA para que esses diferentes tipos de células se formem durante o desenvolvimento do ser vivo, de outra forma, todas as células somáticas do organismo, possuidoras da mesma carga cromossómica, seriam idênticas. O processo de controle da transmissão de genes activados e desactivados, de uma geração de células às seguintes, ainda não está bem esclarecido. O que se sabe é que muitas células mantêm as suas características únicas quando são estabelecidas em cultura in vitro. Os mecanismos regulatórios envolvidos devem ser estáveis e, uma vez estabelecidos, são transmitidos às células-filha quando a célula se divide. Existem vários modelos para explicar os mecanismos da regulação génica. A metilação do DNA (uma modificação química que se observa pela ligação de um grupo metil ao carbono 5 da citosina - Fig. 1), suprime a transcrição de determinados genes e também promove a alteração da estrutura da cromatina para formas mais condensadas. Mas, o modelo proposto para explicar a influência da metilação do DNA na expressão génica, não deixa de ser polémico pois, para uma grande parte dos genes envolvidos nesse último fenómeno, torna-se necessário o controle adicional de determinadas proteínas regulatórias. Pretendemos expor alguns dos argumentos e evidências a favor e contra a relação causal entre a expressão génica e a metilação do DNA e, em particular, a influência deste processo nos fenómenos da inactivação dos genes, da marcação parental do genómio, da diferenciação e do envelhecimento das células e organismos.
Relatório de Projeto Final de Curso de Licenciatura em Design de Interiores e Equipamento apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
O envelhecimento determina a necessidade de intervenções no âmbito da promoção da saúde. Com o avançar da idade, a deterioração estrutural e funcional ocorre na maioria dos sistemas fisiológicos, mesmo na ausência de doença. Alterações do equilíbrio, mobilidade limitada e medo de quedas são frequentemente mencionados como principais factores de risco de quedas, contribuindo para o risco de fracturas, admissões hospitalares, requisição de cuidadores, institucionalização e até morte. A evidência sugere que a actividade física regular traz benefícios substanciais à saúde dos idosos. Materiais e Métodos Estudo comparativo e longitudinal. Amostra de conveniência, constituída por 25 indivíduos, residentes na comunidade. Os sujeitos foram incluídos num dos grupos em estudo (protocolo de classe de movimento no solo - 9 indivíduos; protocolo de hidroterapia – 16 indivíduos). Foi aplicado previamente o MMSE, para avaliar a ausência de défice cognitivo nos adultos idosos. A média de idades dos participantes foi de 69,08 (±7,16) anos e o IMC de 28,56 (±3,49). Os instrumentos utilizados foram a Escala de Equilíbrio de Berg, a Falls Efficacy Scale, o Timed Up Test and Go, o SF-12-V2. A recolha de dados foi realizada no início e final da intervenção, que se realizou durante 4 semanas. Resultados Os grupos em estudo não apresentavam diferenças significativas antes da intervenção, com excepção da dimensão mental do SF-12-V2. Ambos os grupos revelaram melhorias significativas na dimensão física do SF-12-V2, no equilíbrio, no risco de quedas e na mobilidade. Na comparação entre grupos o grupo que realizou exercícios no solo apresenta maiores ganhos no equilíbrio e no risco de quedas, com diferenças estatisticamente significativas relativamente ao grupo que realizou hidroterapia. Conclusão A realização de um protocolo de exercícios no solo mostrou-se mais efectivo para o equilíbrio e o risco de quedas.
O ergodesign no contexto do idoso conjuga as áreas da ergonomia e do design, no sentido de estudar o envelhecimento de uma forma geral, numa perspectiva de diversidade das populações, com o objectivo de optimizar o bem-estar bio-psico-social humano e o desempenho global/eficiência do sistema Homem-Meio (segundo as necessidades –segurança, conforto-, capacidades, características, competências, limitações), tendo em conta a actividade e tarefa do target, neste caso específico, ao interagir no espaço exterior.
Atualmente Portugal, é um dos países mais envelhecidos da Europa representando as pessoas idosas 19% do total da população. Existe um vasto campo de investigação e reflexão sobre as políticas públicas para este setor, tendo em vista não só a resolução de problemas, mas também o desenvolvimento de políticas públicas de envelhecimento ativo num contexto de maior respeito da população idosa e segundo um novo paradigma de intervenção com maiores oportunidades de educação, participação social e bem-estar. Neste contexto, surge este projeto de investigação de doutoramento em Política Social, que pretende identificar os fatores socioculturais que influenciam a escolha na aprendizagem das Tecnologias de Informação e comunicação (TIC), no âmbito em que se inscreve a formação ao longo da vida. O envelhecimento é consequência da nossa base filogenética, da nossa hereditariedade, do meio físico, social, cultural, político, económico e tecnológico de uma sociedade. Porém, observa-se uma grande heterogeneidade entre as pessoas, ao nível do seu processo de envelhecimento, e a própria dimensão do envelhecimento da população mundial desencadeia uma consciência inquietante da necessidade de se intervir junto da população, colocando o envelhecimento como macrotendência e como problema social que a sociedade e o Estado têm de enfrentar nos próximos anos. A Sociedade da Informação e do Conhecimento, definiu novas possibilidades e limites para as pessoas idosas, com a introdução das TIC mudou de acesso à produção de conhecimento. A utilização do computador e da Internet tornou-se, não só num imperativo dos sistemas ensino-aprendizagem, como condição de inclusão de todos os cidadãos. A formação ao longo da vida ou aprendizagem ao longo da vida (ALV) em combinação com as abordagens propostas pelas políticas de educação de adultos podem ser ampliadas e mais bem-sucedidas através de um contexto digital com as TIC. Todos estes desafios não podem ser enfrentados apenas pelo Estado Social, exigindo uma ressocialização das sociedades civis, sendo necessário investir em políticas públicas de educação mais ativas no campo da qualificação do capital humano, e promover ações de empowerment, que intensifiquem a capacitação resiliente da população idosa.
O aumento da esperança de vida e o envelhecimento da população são desafios à capacidade de suporte intergeracional nas sociedades desenvolvidas. A idade, a incapacidade funcional e a deterioração do estado de saúde são fatores de institucionalização. O envelhecimento ativo, ao preservar a autonomia e funcionalidade, permite manter os indivíduos nas suas comunidades. As mudanças na estrutura das famílias e a crescente mobilidade dos seus elementos colocam novos problemas, para os quais são necessárias novas respostas. OBJECTIVOS: Identificar formas de manutenção da funcionalidade, monitorizar a autonomia após institucionalização e Identificar modelos alternativos. MATERIAIS E MÉTODOS: Apresentam-se dados de 2 estudos. a) Avaliação de um programa de fisioterapia com idosos institucionalizados (n=30) e b) Avaliação da capacidade de realização de AVD's básicas e instrumentais (n=27) após institucionalização, durante 6 meses, com um grupo de controlo (n=30) a viver na comunidade. RESULTADOS: No primeiro estudo os resultados revelam ganhos significativos em todas as variáveis controladas. No segundo estudo os idosos institucionalizados revelam um decréscimo mais acentuado nas AVD's básicas e nas instrumentais. DISCUSSÃO: A participação num programa de atividade revela uma reserva funcional que pode ser mobilizada, traduzindo-se em melhores níveis de funcionalidade e autonomia. Indivíduos que passam a ter suporte externo para a realização das AVD's parecem reduzir significativamente a capacidade para a sua realização. CONCLUSÃO:Manter a funcionalidade e a autonomia devem ser hoje objetivos integrantes de um envelhecimento ativo e apresentam-se como desafios para a solidariedade intergeracional, no que diz respeito ao objetivo de manter os idosos nas suas comunidades. Alguns exemplos de modelos alternativos à institucionalização devem ser explorados e aprofundados.
Artigo apresentado como comunicação no II Simpósio Nacional de Olivicultura que decorreu em Évora de 7 a 9 de Março de 2000.
O envelhecimento do tecido empresarial agrícola é, normalmente, apontado como um estrangulamento à modernização e reconversão das explorações agrícolas. A definição e implementação de políticas de apoio à instalação de jovens agricultores é um dos vectores possíveis para contrariar esta tend6ncia de envelhecimento que se verifica na maioria dos países europeus. Em Portugal as políticas de apoio à instalação e ao investimento de jovens agricultores iniciaram-se em 1986, com a entrada na (então) Comunidade Económica Europeia e foram postas em prática através dos mecanismos previstos na PAC. Contrariamente, noutros países, nomeadamente em França sempre existiu uma política nacional que, conjugada com a PAC tem permitido uma elevada taxa de instalação de jovens agricultores e contribuído, decisivamente, para o rejuvenescimento da população agrícola com a consequente dinâmica inerente a este facto. Nesta comunicação pretendemos analisar três modelos de políticas de apoio a jovens agricultores que são os utilizados em Portugal, Espanha e França. Proceder-se-á a uma análise comparativa das políticas, evidenciando os principais instrumentos de apoio, no respeitante aos aspectos formativos, informativos, estruturais e financeiros.
A atual sociedade do conhecimento é também uma sociedade do envelhecimento. As Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), em particular o computador e Internet, e envelhecimento da população são duas tendências sociais que merecem ser analisadas. Em Portugal, os seniores apresentam um elevado índice de solidão, isolamento social e exclusão digital. Tal afastamento das TIC constitui uma grande desvantagem para esta faixa etária. É necessário refletir sobre as possíveis razões que poderão manter o cidadão sénior afastado das TIC, perceber como decorre a sua aproximação, que tipo de uso fazem e os impactos no seu bem-estar mental e social de forma a implementar políticas de educação com vista à inclusão digital dos seniores.
O envelhecimento da população é atualmente uma realidade inquestionável, é necessário que os idosos tenham uma aprendizagem ao longo da vida, resultando numa melhoria dos conhecimentos, aptidões e competências. As Universidades Seniores são um lugar privilegiado na educação não formal deste grupo etário. Assim sendo, este artigo tem como principal objetivo identificar o potencial educativo das redes sociais como ferramentas da Web 2.0 no processo de aprendizagem ao longo da vida. Baseia-se numa investigação realizada na Universidade sénior Albicastrense (USALBI) em que se recorreu a uma observação não participante de 13 alunos numa turma de informática no ano letivo 2010/2011, tendo em conta a sua vivência na aprendizagem do Facebook. Os resultados alcançados, permitiram constatar que as potencialidades das TIC e os recursos disponíveis na Web 2.0, nomeadamente o Facebook, contribuem como um complemento útil na aprendizagem ao longo da vida e favorecem a infoinclusão destes cidadãos idosos.
Portugal tem vindo a incrementar os seus índices de envelhecimento, tal como tem acontecido na maioria dos restantes países da EU, EUA e Japão. Estes adultos idosos não tiveram, na sua grande maioria, uma exposição às TIC quer durante a sua formação académica quer durante a sua vida ativa. Como consequência destes factos, os relatórios nacionais e internacionais têm vindo a demonstrar que estes cidadãos se encontram no grupo de info-excluídos. Dado que a atual sociedade de ‘move’ num ambiente digital faz com que quem não domine ou não possua uma literacia digital se veja socialmente excluído. Neste sentido, é premente a necessidade de se promoverem iniciativas que venham contribuir para a criação de ambientes ‘personalizados’, adequados às necessidades e aos perfis de formação que são requeridos pelos adultos idosos. A aprendizagem ao longo da vida em combinação com as abordagens propostas pela andragogia podem ser ampliadas e mais bem sucedidas através de um contexto digital com as TIC.
Dissertação de Mesrtado apresentada à Universidade de Évora com vista à obtenção do grau de Mestre em Sociologia, variante Família e Sociedade.
Relatório do Trabalho de Fim de Curso de Engenharia de Produção de Óleos Alimentares.
O presente artigo insere-se no âmbito do «estado da arte» que está a ser realizada numa investigação de Doutoramento relacionada com os fatores socioculturais que influenciam a aprendizagem das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), nomeadamente o computador e a Internet cm populações com 50 ou mais anos de idade e os impactos no bem-estar ao longo do processo de envelhecimento. Neste sentido, torna-se importante que se promovam estratégias que contribuam para o envelhecimento ativo c para o bem-estar dos seniores no contexto de aprendizagem das TIC. O problema da infoexclusão tem constituído uma preocupação que envolve todos os cidadãos. Urge refletir e alertar para a necessidade de se desenvolverem medidas práticas para que os seniores passem a ter mais oportunidades educacionais que facilitem a sua infoinclusão de modo a adquirirem competências digitais que lhes permitem utilizar as TIC no sentido de poderem incrementar o seu bem-estar.
O envelhecimento é um processo biológico e psicológico que afeta os indivíduos a nível pessoal, familiar e social. É um processo de perda gradual das funções orgânicas. É considerado multi-dimensional e multifatorial, em que condições crónicas são uma realidade, podendo originar incapacidade e restrição da participação dos sujeitos. O exercício terapêutico apresenta-se como uma intervenção eficaz para a redução e atraso dos efeitos da incapacidade associados ao envelhecimento. A intervenção da fisioterapia em unidades de hemodiálise não é, ainda, uma realidade comum, apesar de alguns estudos internacionais referirem a existência da mesma. Inclusivamente, em Portugal, o Fisioterapeuta não consta na equipa de técnicos recomendados para estas unidades. Objetivo: Pretendeu-se com esta intervenção potenciar a funcionalidade e qualidade de vida dos utentes da Unidade de Hemodiálise da ULSCB, EPE, através do exercício terapêutico. Metodologia: O programa de intervenção envolveu 9 sujeitos de 69,67 ± 3,97 anos. A intervenção teve a duração de 5 semanas e frequência de 3 sessões/semana, durante as duas primeiras horas de hemodiálise. A intervenção consistiu num conjunto de exercícios para os membros superiores e inferiores com pesos livres, de evolução progressiva de acordo com a capacidade física de cada participante. Foram ainda realizadas 3 palestras com uma vertente de ensino aos sujeitos. Discussão: Como implicações para a prática, este Programa de Intervenção obteve resultados ao nível da redução da dispneia, nível de depressão, ansiedade e stress, e dor, bem como um aumento de conhecimentos dos utentes sobre o exercício. De um modo geral, este programa promoveu melhorias nas relações sociais e do bem-estar da população, nos cuidados de saúde prestados e ao nível da funcionalidade dos participantes. O modelo pode ser facilmente adotado e reproduzido por outras unidades de hemodiálise, em colaboração com profissionais e serviços de fisioterapia.
Relatório do trabalho de fim de curso de Nutrição Humana e Qualidade Alimentar apresentado à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Introdução: O envelhecimento além da diminuição da capacidade funcional acarreta consigo outros problemas, pois do ponto de vista vivencial o idoso está a passar por uma situação de perdas contínuas que são o motivo para o aparecimento de sentimentos de solidão e isolamento, e consequentemente dar origem a estados depressivos. Todas as restrições e efeitos negativos, associados ao avançar da idade podem conduzir a alterações na capacidade funcional e no estado cognitivo, resultando num conjunto de limitações funcionais e fragilidades, com consequente perda de mobilidade, de autonomia, da qualidade de vida e uma maior probabilidade de um acréscimo de problemas de saúde. Uma melhor compreensão dos fatores que contribuem para a qualidade de vida relacionada com a saúde (QVRS) pode ajudar a desenvolver e aplicar estratégias de promoção da saúde do idoso. Objectivos: Avaliar a funcionalidade da pessoa idosa, através da força, mobilidade e nível de atividade física com outras variáveis do sujeito como o estado cognitivo, a depressão e o estado de saúde e perceber quais os instrumentos que melhor se correlacionam com as variáveis mencionadas. Relacionar estas variáveis com as características sociodemográficas e os consumos de cuidados de saúde. Metodologia: Estudo descritivo, transversal e correlacional. Amostra selecionada através de um conjunto de critérios de exclusão e inclusão, nos distritos de Castelo Branco e s Santarém; amostra de conveniência com 118 indivíduos, predominantemente feminina (71,2%), com média de idade de 79,53 ± 7,815 anos, residindo maioritariamente em instituições para a terceira idade (55,1%). Os instrumentos utilizados foram o Mini Mental State Examination, a Escala Geriátrica de Depressão, o Questionário do Estado de Saúde - SF12, o International Physical Activity Questionnaire, o Time Up and Go e a força de preensão manual. Resultados: Encontraram-se resultados significativos nas correlações entre o estado cognitivo, o estado depressivo e as dimensões do estado de saúde. Foi possível verificar relações significativas entre estas variáveis e o nível de atividade física, bem como com medidas da função física (força de preensão, mobilidade). Verificaram-se ainda relações significativas com algumas variáveis sociodemográficas e os consumos de cuidados de saúde. Conclusões: A relação entre as dimensões física e cognitiva, a sua relação com estados depressivos, com fatores sociodemográficos e com a percepção do estado de saúde permitem compreender a funcionalidade como uma dimensão global determinante no entendimento do envelhecimento e dos seus efeitos.
Para o melhorador florestal pode ser bastante importante desenvolver técnicas para a propagação vegetativa das espécies florestais mais importantes do ponto de vista económico. A superioridade da propagação vegetativa em relação à propagação sexual reside na possibilidade de transferência de todo o potencial genético das árvores seleccionadas, incluindo a variância não aditiva, para a descedência e, por consequência, a obtenção de maiores ganhos genéticos, pelo menos a curto e médio prazo. A maturação em espécies arborescentes acarreta em geral um aumento da dificuldade de propagação vegetativa de indivíduos seleccionados. Quando as árvores atingem idade suficiente para que o seu potencial possa ser avaliado, a utilização da via clonal em programas de melhoramento, pode ser bastante problemática. Os meristemas apicais parecem ter um papel bastante importante no envelhecimento ontogénico. No entanto, as variações espácio-temporais das condições fisiológicas da árvore são determinates no processo de maturação. Neste trabalho discute-se o fenómeno de maturação das árvores, apresentam-se técnicas que têm sido utilizadas para o reverter e questiona-se se essas técnicas levam ou não a um verdadeiro rejuvenescimento.
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gestão de Empresas
A par das dificuldades económicas e financeiras que dominam o panorama internacional, Portugal não foge à regra, vendo a sua economia mergulhada numa crise profunda, marcada pelo elevado nível de preços das matérias-primas, com repercussões negativas ao nível da competitividade empresarial e níveis de empregabilidade. Atendendo a estas vicissitudes económicas e sociais, impera redescobrir novos modelos de negócio em área estratégicas para o desenvolvimento do país e em particular das regiões mais desfavorecidas. Surge assim o Turismo como elemento estratégico no desenvolvimento da economia nacional, associado a uma variedade de produtos identificados no âmbito do Plano Estratégico Nacional para o Turismo. Analisando a evolução global do envelhecimento populacional, com especial destaque no território europeu, ibérico e nacional, importa saber explorar este fenómeno social enquanto fonte de oportunidades a ter em conta no design de novos modelos de negócio, associando-o às novas tendências de consumo manifestadas pelos potenciais clientes. É neste sentido, que no domínio das diferentes vertentes do turismo, onde se inclui o turismo de saúde e bem-estar, o turismo médico, o alojamento, o turismo de negócios e touring cultural e paisagístico, que o modelo de negócios proposto identifica uma solução de investimento, a ter lugar numa região deprimida do nosso país – a região da raia central, em Malcata, Concelho do Sabugal.
Este artigo aborda aspectos estudados num projecto de investigação mais abrangente e que lhe serviu de suporte: Comunicação Visual e Design Inclusivo- Cor, Legibilidade e Visão envelhecida, projecto de Doutoramento em Design, FAUTL. Nele estudámos questões relacionadas com a visão e a visão da cor, as alterações e a diminuição das capacidades visuais com o processo de envelhecimento, os contrastes cromáticos, a legibilidade, a tipografia e condições de leitura; ao propor a aplicação de princípios específicos no processo projectual, estabelecemos a ligação entre o Design Inclusivo e a Comunicação Visual. Tratando-se de projectar para grupos-alvo cujas capacidades visuais estão diminuídas, as condições de visibilidade das cores e das tipografias devem ser cuidadosamente avaliadas, produzindo-se assim objectos de comunicação (impressos) verdadeiramente inclusivos e eficazes. Se existir a preocupação de aplicar soluções que observem boas condições de percepção e legibilidade para os mais incapacitados visualmente, estas soluções vão criar objectos impressos verdadeiramente úteis, eficazes e legíveis para o maior número possível de pessoas.
Relatório de Estágio apresentado à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Licenciado em Engenharia Biológica e Alimentar, do qual só está disponível o resumo.
Relatório do Trabalho de Fim de Curso de Engenharia das Ciências Agrárias – Ramo Animal.
Disponível na Biblioteca da ESACB na cota C30-27446TFCEV.
Introdução: Segundo dados recentes da literatura, o exercício físico é das intervenções mais eficazes para diminuir e atrasar os efeitos da incapacidade associados ao envelhecimento (1). Diversos estudos apontam que o treino de exercício multidimensional quando realizado em espaços verdes, traduz-se em maiores ganhos em termos físicos e mentais para as populações envolvidas (2-5). Objectivos: Promover a saúde das pessoas com idade ≥ 65 anos; Instituir o hábito da atividade física regular em grupo e em espaços verdes, alertando para a importância da realização regular de atividades aeróbias, com exercícios posturais, de equilíbrio, treino propriocetivo e relaxamento; Aumentar a dinâmica do projeto da ESALD “Prestação de Serviços à Comunidade”. Metodologia: O “FisioWalking”(FW) é uma intervenção centrada numa atividade aeróbia, a marcha, sendo esta realizada ao ar livre e intercalada por exercícios posturais, de coordenação, equilíbrio, flexibilidade e de propriocepção e finalizada por uma sessão de relaxamento. O FW foi efetuado 2 vezes por semana, com a duração de 1 hora por sessão, ao longo de 7 semanas. Com o intuito de avaliar a sensibilidade da população à mudança e, consequentemente, a eficácia do projeto, este teve dois momentos de avaliação, T0 e T1. Todos os participantes foram submetidos a um exame subjetivo e à realização de três medidas de avaliação. O exame subjetivo foi realizado através de um questionário e as três medidas de avaliação utilizadas foram: SF-12; Timed Up and Go Test; e Escala de Borg. Conclusão: Foram obtidas diferenças significativas (p<0,05), ao nível da saúde física, do equilíbrio e risco de queda e da resistência ao esforço. Só ao nível da saúde mental não foram obtidas diferenças significativas, pois apresenta um p=0,878. O FW demostra ser efetivo e eficaz para os objetivos a que se propõe. Esta intervenção foi aplicada a pessoas com idade ≥ 65 anos, mas a promoção da saúde e prevenção da doença poderão ser efetuadas mais cedo, sendo que o FW poderá ser aplicado a qualquer grupo etário que reúna as condições pretendidas.
INTRODUÇÃO: A população portuguesa está cada vez mais envelhecida, sendo a fragilidade, um conceito importante a conhecer. Entende-se como fragilidade um estado dinâmico que afecta um indivíduo originando alterações em um ou mais campos do funcionamento humano, determinado por uma série de variáveis. Na perspetiva de um envelhecimento positivo importa prevenir as consequências resultantes do acentuar do estado de fragilidade, de forma a minimizar os impactos em termos familiares, sociais e económicos. Os profissionais que trabalham com esta população necessitam de instrumentos de medidas validados para a língua portuguesa para que se possam fazer avaliações dos indivíduos, mais credíveis e quantificáveis. Sendo o conceito de “fragilidade” relativamente recente, não existem instrumentos adequados para o seu estudo. OBJECTIVOS: Avaliar se o processo de validação intercultural da Edmonton Frail Scale (EFS) para a língua portuguesa está adequado à população idosa portuguesa através da análise das características psicométricas (validade e fiabilidade). DESENVOLVIMENTO/MÉTODO: Este estudo decorreu em três momentos de avaliação. Em T0 foram aplicados 4 questionários (questionário de dados de caracterização e informação sócio-demográfica, Edmonton Frail Scale (EFS), Functional Status Questionnaire (FSQ) e 12- item Short Form Health Survey (SF-12)) e ainda o consentimento informado, às 60 pessoas idosas. Passadas 48h-96h, foi apenas aplicada a EFS (T1). Finalmente, com intervalo de 4 semanas de T0 foi aplicada a EFS e o questionário de dados de caracterização e informação sócio-demográfica (T2). CONCLUSÃO: A versão portuguesa da EFS, neste estudo demonstrou características psicométricas comparáveis a outras versões da EFS, para pessoas idosas. Uma vez que não foi aplicado nenhum protocolo específico que especulasse mudanças estatisticamente significativas, os valores obtidos, nomeadamente no poder de resposta foram bastante fracos (0,16), assim como na validade de construção (-0,66>r>-0,23). A conciliação do uso desta escala com outras escalas pode ser uma mais-valia, em termos de avaliação destas mudanças.
Introdução: O envelhecimento da população, a alteração da configuração da clássica pirâmide demográfica e as alterações das estruturas familiares colocam novos problemas às sociedades contemporâneas e à solidariedade intergeracional. Monitorizar a evolução da capacidade de realização de AVD’S após a institucionalização é uma necessidade para a reflexão sobre o papel das organizações de apoio à pessoa idosa (Millán-Calenti, 2010; Formiga, 2010). Objetivo O objetivo do estudo é avaliar as perdas na capacidade de realização de Atividades básicas da Vida Diária (AbVD’s) numa população idosa, ao longo de um período de um ano. Metodologia Estudo longitudinal com 57 indivíduos com 80,2 ± 7,9 anos, residente em instituições habitacionais para a 3ª Idade (n=27; 47,4%) e na própria comunidade (n=30; 52,6%), nas regiões de Castelo Branco e Viseu. Resultados de uma fase de avaliação preliminar de 6 meses. Amostra de conveniência avaliada pelo Índice de Katz aplicado em 3 momentos diferentes (1º, 4º e 7º mês do estudo). Análise estatística com testes de Wilcoxon e Mann-Whitney, e ainda com o teste t de Student, para comparação de médias. Resultados A amostra apresenta uma média cerca de 7 pontos (7,1 ± 1,4) no Índice de Katz, em t0; 7,4 ± 1,9 em t1 e 8,2 ± 2,3 em t2. No Grupo 1 (indivíduos institucionalizados), as pontuações são mais elevadas, com 7,4 ± 1,6 em t0; 8,5 ± 2,1 no segundo momento de avaliação e 9,3 ± 2,6 no último. O Grupo 2 apresenta uma pontuação média de cerca de 7 pontos nos 3 momentos de avaliação. Na comparação das médias destas pontuações, o Grupo 1, apresenta uma diferença total de -1,8 ± 1,9 ao longo do estudo, enquanto o Grupo 2, sofreu uma progressão total de meio ponto (-0,5 ± 0,9). Conclusão Ambos os Grupos revelaram perdas na capacidade de realização de AbVD’s, com significado estatístico, ao longo do tempo. Estas perdas, com significado estatístico, são mais acentuadas no Grupo dos indivíduos institucionalizados.
PROBLEMÁTICA: O envelhecimento populacional tendencialmente crescendo, associado ao aumento de doenças crónicas de evolução prolongada levam ao aumento significativo do número de internamentos de doentes terminais em hospitais de agudos. Este facto exige formação adequada dos profissionais de saúde para cuidar de doentes em que o intuito curativo deixa de ser a exigência. OBJETIVOS: Este estudo pretende identificar as vantagens e desvantagens da terapêutica e hidratação subcutânea em cuidados paliativos bem como, mais especificamente, descrevê-las reportando-as para o contexto de controlo sintomático em emergências, nos últimos dias e horas de vida e em cuidados domiciliários, cruzando com os objetivos principais e secundários deste estudo. DESENHO: Revisão sistemática da literatura que inclui estudos de natureza qualitativa, quantitativa e mista. METODOLOGIA: Para a sua realização foram incluídos 23 estudos empíricos, 17 de fonte primária e 6 revisões sistemáticas da literatura, publicados no horizonte temporal entre janeiro de 2007 e junho de 2012, pesquisados a partir de bases de dados de texto integral e de referência. RESULTADOS: Este estudo evidenciou não só a existência de vantagens e desvantagens da via subcutânea, como também a presença de fatores promotores, de dificuldades e entraves com que se deparam o doente, o cuidador, o profissional e as organizações de saúde. CONCLUSÃO: A via subcutânea é um recurso importante em cuidados paliativos. As suas imensas vantagens superam as suas possíveis desvantagens, sendo pouco frequentes, facilmente ultrapassáveis e previsíveis. As barreiras ao seu uso precipitam as suas desvantagens ofuscando muitas vezes as suas vantagens. Os ganhos em saúde com o recurso a esta via, são notórios.
RESUMEN: El aumento de la esperanza de vida, el fenómeno del envejecimiento de la población y el aumento de la salud determinan la importancia del tema de la sexualidade en la tercera edad. El tema es hoy decisivo para las personas mayores, sino también para los cuidadores, las famílias y las organizaciones que prestan atención. En este trábalo se comparam dos grupos de cuidadores (el primero sólo formal y el segundo formal e informal), evaluando sus conocimientos y actitudes respecto a la sexualidad de las personas mayores, mediante la ASKAS. Se han encontrado relaciones entre ciertas variables demográficas y las actitudes y conocimientos y algunas correlaciones entre las actitudes y conocimeientos. En los cuidadores formales que también prestán atención de manera informal, se cambia esta relación, hay diferencias significativas com el grupo que sólo es cuidador formal, revelando el primer grupo de actitudes menos permisivas sobre la sexualidad de las personas maoyres.
O progressivo envelhecimento das sociedades mais desenvolvidas á uma realidade com a qual os diferentes se têm vindo a confrontar Ao mesmo tempo, a sociedade tem vindo a consolidar, cada vez mais, uma maior tendência para incluir, em todos os domínios sociais, as plataformas digitais numa sociedade que se intitula como «Sociedade da informação e do Conhecimento». Como consequência, todos os cidadãos vêm adotando condutas e comportamentos que os «obrigam» a utilizar ferramentas digitais (ex: portais, plataformas, emails...) no seu dia-a-dia como, por exemplo, para atividades associadas ao e-governo ou para atividades relacionadas com o processo educativo (ex: c-Lcaming). Para que estes novos comportamentos se possam efetivar é condição necessária e fundamental que todos os cidadãos dominem estas ferramentas digitais, ou seja, tenham níveis aceitáveis de literacia digital que lhes permitam ser considerados como cidadãos infoincluidos. Contudo, na presente sociedade, existem ainda grupos que ainda são info-excluídos e, como tal, encontram-se marginalizados do ponto de vista digital. Diversos estudos e relatórios nacionais e internacionais têm vindo a demonstrar que o grupo dos cidadãos info-excluídos é constituído, maioritariamente, pelas mulheres, pelos desempregados, por ‘indivíduos com níveis baixos de escolaridade e...pelos adultos idosos. Atendendo ao Facto que o número de cidadãos mais idosos terem vindo a aumentar nas últimas décadas, é importante e fundamental que se promovam medidas e condições para que se inverta a presente situação. Quer isto dizer que é urgente promover a infoinclusão dos adultos mais idosos através de uma formação que lhes permita aceder e utilizar as TIC. Não se trata apenas de uma infoinclusão mas, sobretudo, de uma inclusão social de modo a que os cidadãos mais idosos se sintam verdadeiramente integrados na presente sociedade cada vez mais digital. Neste sentido, pretende-se abordar e avaliar de uma forma crítica e reflexiva quais as estratégias mais adequadas e quais as condições para que se possam promover ações educativas de formação para os adultos mais idosos no âmbito das TIC.
Relatório de prática clínica apresentado à Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Cuidados Paliativos.
Relatório de prática clínica apresentado à Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Cuidados Paliativos.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco e Faculdade da Universidade Técnica de Lisboa para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Design Gráfico.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco e Faculdade da Universidade Técnica de Lisboa para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Design Gráfico.
Considerando que a prática de hidroginástica pode contribuir para um envelhecimento mais ativo e saudável. O estudo teve como objetivo conhecer o impacto das aulas de hidroginástica frequentadas ao longo de 4 meses na aptidão física dos idosos. A amostra foi constituída por 83 idosos, utentes das aulas de hidroginástica e foi dividida em 3 grupos tendo em conta o número de aulas frequentadas (Menos de 15; 15 a 25; mais de 25). Para a recolha de dados usamos a bateria de testes Funcional Fitness Test (Rikli & Jones, 1999). A aptidão física foi avaliada pelo investigador seguindo o protocolo de provas, sendo os testes aplicados numa sala adequada para o efeito e pela mesma ordem nos dois momentos (início e final do estudo com um intervalo de 4 meses). Quanto às provas estatísticas, não se verificando uma distribuição normal dos dados, aplicamos o teste não paramétrico para duas variáveis emparelhadas de Wilcoxon que nos permitiu verificar as diferenças entre os dois momentos de avaliação. Os resultados revelaram melhorias em praticamente todos os testes entre a 1ª e a 2ª avaliação. No teste levantar e sentar na cadeira o nº de repetições passou de 13,40 para 14,43, no teste flexão do antebraço passou de 18,24 repetições para 18,92, no teste sentado e alcançar a média apesar de ser negativa, passou de -5,47 cm para -3,46, no teste sentado, caminhar 2,44 metros e voltar a sentar passou de 6,40 segundos para 6,31, no teste, alcançar atrás das costas passou de -17,07 cm para -15,61cm. Encontramos melhorias estatisticamente significativas no teste levantar e sentar na cadeira (sig. = 0,011), no teste sentado e alcançar (sig. = 0,001) e no teste alcançar atrás das costas (sig. = 0,001). O número de aulas frequentadas ao longo dos 4 meses entre os grupos não se mostrou diferenciadora para a melhoria obtida. O 1º grupo apresentou melhorias significativas em 3 provas (levantar e sentar na cadeira (sig. = 0,006), no teste sentado e alcançar (sig. = 0,004) e no teste alcançar atrás das costas (sig. = 0,002)).O 2º grupo apresentou melhorias significativas apenas numa prova (alcançar atrás das costas (sig. = 0,023)) e o 3º grupo apresentou melhorias significativas apenas numa prova (sentado e alcançar (sig. = 0,002)). Conclusões: prática de hidroginástica teve um impacto positivo na melhoria dos resultados da aptidão física nos idosos e o número de aulas frequentado não se mostrou diferenciador nos resultados obtidos.
Relatório de Estágio apresentado à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Licenciado em Nutrição Humana e Qualidade Alimentar.
Disponível na Biblioteca da ESACB na cota C30-14328TFCPF ; C30-16264TFCPF.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar.
Relatório do Projeto Final apresentado à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Engenharia Agronómica.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gestão de Empresas.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologias Social.
A maioria das investigações tem vindo a demonstrar que a população 65+ anos apresenta valores de literacia digital e consequente utilização das TIC muito reduzidos comparativamente com os cidadãos mais jovens. Tendo em conta que a atual sociedade cada vez mais se socorre de plataformas e de serviços digitais, um cidadão que não esteja digitalmente incluído muito dificilmente poderá vir a estar socialmente incluído. Neste sentido, foi realizada uma investigação de pós-doutoramento no concelho de Castelo Branco (uma das regiões mais envelhecidas de Portugal) com o objetivo de investigar qual o impacto das TIC, da e-Saúde e do e-Governo Local nas rotinas dos cidadãos idosos e no seu processo de envelhecimento. Foram envolvidos 400 idosos 65+ anos através de uma entrevista por questionário envolvendo todas as freguesias do concelho de Castelo Branco. Foram também envolvidos 15 presidentes de juntas de freguesias a fim de poder avaliar quais as medidas e as valências do e-Governo Local. Por último, foram igualmente entrevistados 6 diretores de centros de saúde da região de Castelo Branco com o intuito de se averiguarem as potencialidades da e-Saúde. Veio a comprovar-se que estes cidadãos podem ser considerados infoexcluídos, havendo 10.3% que utilizam o computador e 9.75% utilizam a internet. No que respeita ao e-Governo Local e à e-Saúde não se vislumbraram atitudes ou medidas específicas para os idosos. Neste sentido, a investigação vem alertar para a necessidade de se concretizarem medidas que visem a inclusão digital dos idosos para que se torne uma perfeita e adequada inclusão social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Relatório de prática clínica apresentado à Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de mestre em Cuidados Paliativos.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para o cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialização de Gerontomotricidade.
Objectivo: Avaliar os efeitos de uma classe de movimento na força muscular, flexibilidade, equilíbrio, medo de queda, estado de saúde/qualidade de vida e desempenho físico, em pessoas idosas residentes em instituições para a terceira idade. Amostra: Amostra de conveniência constituída por 30 idosos, com uma média de idades de 79,40 ±1,37 anos, um IMC médio de 24,66 kg/m2 e que obtiveram uma pontuação mínima prévia de 10 pontos no Timed Up and Go Test. Material e Métodos: Estudo longitudinal, comparativo com dois momentos de avaliação, antes e após a realização da classe de movimento, em que o protocolo utilizado teve a duração de 50 minutos, durante quatro semanas. Os resultados do estudo foram medidos com o Questionário do Estado de Saúde (SF-12v2), Teste de Desempenho Físico (PPT-9), Escala de Equilíbrio de Berg, Dinamómetro, Back-scratch Test modificado, Chair Sit-and-reach Test, Timed Up and Go Test e Escala Internacional de Eficácia de Quedas FES-I). Resultados: Foram obtidos resultados estatisticamente significativos (p ≤0,05) para as variáveis estado de saúde, desempenho físico, força muscular e flexibilidade dos membros superiores e inferiores, equilíbrio, mobilidade e medo de quedas, com o protocolo experimental implementado (entre t0 e t1), marcados por ganhos nas variáveis em estudo. Conclusão: A participação numa classe de movimento promove resultados significativos, no aumento do estado de saúde/qualidade de vida, no desempenho físico, força muscular, flexibilidade, equilíbrio, mobilidade e diminuição do medo de queda em idosos institucionalizados. Os resultados obtidos em todas as variáveis revelam um potencial funcional adaptativo relevante, passível de ser mobilizado pelo protocolo experimental utilizado.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.