Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for envelhecimento and 481 records were found.

Trabalho de projeto apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Teorias do envelhecimento
Problemática do envelhecimento
Processo de envelhecimento
envelhecimento da população
Envelhecimento da população
envelhecimento da população
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de castelo Branco, com vista à obtenção do grau de Mestre em Actividade Física, na Especialidade de Gerontomotricidade.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Alzeimer
Qualidade de vida
Idoso
Actividades desportivas
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialização de Gerontomotricidade.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco, com vista à obtenção do grau de Mestre em Actividade Física, na Especialidade de Gerontomotricidade.
Objetivos: Avaliar e quantificar o impacto do tratamento de fisioterapia, utilizando exclusivamente a Nintendo Wii®, na Qualidade de Vida relacionada com a saúde dos sujeitos com 65 anos ou mais e as mudanças na cognição, equilíbrio, coordenação e desempenho das Atividades da Vida Diária após o protocolo; Inquirir o grau de adesão ao treino. Material e Métodos: 30 sujeitos em dois momentos de avaliação. Medidas aplicadas: SF-12, MSE, TUG e com tarefa cognitiva, Escala de Equilíbrio de Berg, avaliação da coordenação e Escala de Barthel. Intervenção durante 4 semanas, 2 por semana, 60 minutos, em 8 sessões. Resultados: Ganhos em todas as escalas, com significado estatístico na Escala de Saúde Mental Geral, componente do SF-12 (p=0,008), MMSE (p=0,007), TUG normal (p=0,003), TUG com tarefa cognitiva (p=0,028) e Protocolo de Avaliação da Coordenação proposto por O’Neil et al. (p=0,008). Da amostra 46,67% teve um Baixo Grau de Adesão, 30% Médio Grau de Adesão, e 23,33% Alto Grau de Adesão. Conclusões: Um protocolo de intervenção de 4 semanas com a Nintendo Wii Sports® (bowling) em sujeitos institucionalizados, apresenta benefícios na QV relacionada com a Saúde Metal e de cognição, e dimensão física da coordenação e capacidade para a dupla-tarefa.
Introdução: São conhecidos os efeitos positivos do exercício terapêutico no estado depressivo e estado cognitivo do idoso. Objetivo: Este estudo teve como objetivos avaliar e comparar os efeitos de um protocolo de coordenação motora, com a duração de 8 semanas, duas vezes por semana, 50 minutos cada sessão, no estado depressivo e estado cognitivo. Metodologia: 30 idosos (81,43 ±8,97 anos), 66,7% mulheres, clinicamente estáveis e capazes de realizar marcha, numa amostra por conveniência, participaram num protocolo de coordenação motora. Foram avaliados antes da intervenção (t0) e depois (t1) pela Escala de Depressão Geriátrica, EDG, (estado depressivo) e pela Mini-Mental State Examination, MMSE, (estado cognitivo). Resultados: Na EDG, no t0, o valor médio foi de 13,27 (±5,30) e no t1 foi de 11,37 (±6,15). Na MMSE, o valor médio em t0 foi 23,97 (±4,20), enquanto no t1 foi 26,1 (±3,86). As melhorias nos resultados foram estatisticamente significativas tanto no estado depressivo (p=0,000) como no estado cognitivo (p=0,000). Discussão: O protocolo usado neste estudo foi capaz de promover melhorias estatisticamente significativas (p≤0,05) no estado depressivo e estado cognitivo.
Objetivos: Avaliar e quantificar o impacto do tratamento de fisioterapia, utilizando exclusivamente a Nintendo Wii®, na Qualidade de Vida relacionada com a saúde dos sujeitos com 65 anos ou mais e as mudanças na cognição, equilíbrio, coordenação e desempenho das Atividades da Vida Diária após o protocolo; Inquirir o grau de adesão ao treino. Material e Métodos: 30 sujeitos em dois momentos de avaliação. Medidas aplicadas: SF-12, MSE, TUG e com tarefa cognitiva, Escala de Equilíbrio de Berg, avaliação da coordenação e Escala de Barthel. Intervenção durante 4 semanas, 2 por semana, 60 minutos, em 8 sessões. Resultados: Ganhos em todas as escalas, com significado estatístico na Escala de Saúde Mental Geral, componente do SF-12 (p=0,008), MMSE (p=0,007), TUG normal (p=0,003), TUG com tarefa cognitiva (p=0,028) e Protocolo de Avaliação da Coordenação proposto por O’Neil et al. (p=0,008). Da amostra 46,67% teve um Baixo Grau de Adesão, 30% Médio Grau de Adesão, e 23,33% Alto Grau de Adesão. Conclusões: Um protocolo de intervenção de 4 semanas com a Nintendo Wii Sports® (bowling) em sujeitos institucionalizados, apresenta benefícios na QV relacionada com a Saúde Metal e de cognição, e dimensão física da coordenação e capacidade para a dupla-tarefa.
Introdução: São conhecidos os efeitos positivos do exercício terapêutico no estado depressivo e estado cognitivo do idoso. Objetivo: Este estudo teve como objetivos avaliar e comparar os efeitos de um protocolo de coordenação motora, com a duração de 8 semanas, duas vezes por semana, 50 minutos cada sessão, no estado depressivo e estado cognitivo. Metodologia: 30 idosos (81,43 ±8,97 anos), 66,7% mulheres, clinicamente estáveis e capazes de realizar marcha, numa amostra por conveniência, participaram num protocolo de coordenação motora. Foram avaliados antes da intervenção (t0) e depois (t1) pela Escala de Depressão Geriátrica, EDG, (estado depressivo) e pela Mini-Mental State Examination, MMSE, (estado cognitivo). Resultados: Na EDG, no t0, o valor médio foi de 13,27 (±5,30) e no t1 foi de 11,37 (±6,15). Na MMSE, o valor médio em t0 foi 23,97 (±4,20), enquanto no t1 foi 26,1 (±3,86). As melhorias nos resultados foram estatisticamente significativas tanto no estado depressivo (p=0,000) como no estado cognitivo (p=0,000). Discussão: O protocolo usado neste estudo foi capaz de promover melhorias estatisticamente significativas (p≤0,05) no estado depressivo e estado cognitivo.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Relatório do Trabalho de Fim de Curso de Engenharia das Ciências Agrárias – Ramo Agrícola.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Doenças respiratórias
Exercício físico
Degenerescência macular
Psicogeriatria
Qualidade de vida
Dissertação
Tese especialmente elaborada para obtenção do grau de Doutor em Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos apresentada ao Instituto Universitário de Lisboa
Tese especialmente elaborada para obtenção do grau de Doutor em Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos apresentada ao Instituto Universitário de Lisboa
Introdução: A Organização Mundial de Saúde define Saúde Sexual como um estado de completo bem-estar físico, emocional, mental e social associado à sexualidade, devendo os direitos sexuais de todas as pessoas ser respeitados, protegidos e satisfeitos. O reconhecimento destes direitos colide, muitas vezes, numa série de preconceitos e mitos relativamente aos idosos no que diz respeito à sexualidade na terceira idade uma vez que, para grande parte da nossa sociedade, os idosos são vistos como seres assexuadas e desprovidos de desejo ou necessidades sexuais. Objetivos: Avaliar as atitudes e os níveis de conhecimento daqueles que cuidam dos idosos, num contexto institucional, em relação à sexualidade na terceira idade e quais as variáveis que podem influenciar ou determinar as dimensões avaliadas. Metodologia: Estudo exploratório, comparativo e correlacional, com amostra por conveniência constituída por 329 cuidadores formais de 16 instituições de apoio a idosos do distrito de Castelo Branco. Na recolha de dados foi utilizado um questionário de caracterização sociodemográfico da amostra e a Aging Sexual Knowledge and Attitudes Scale que avalia os conhecimentos e atitudes em relação à sexualidade na terceira idade. Resultados: Foi encontrada uma correlação positiva entre os níveis de conhecimentos e as atitudes e, de uma forma geral, os cuidadores apresentam bons níveis de conhecimentos e atitudes permissivas em relação à sexualidade na terceira idade, apesar de nenhum dos sujeitos ter recebido formação especifica na área da sexualidade na terceira idade. Os sujeitos mais velhos, com mais anos de experiência e com qualificações mais baixas apresentam menos conhecimentos e atitudes significativamente menos permissivas. Conclusões: Existe uma forte relação entre os conhecimentos e as atitudes em relação à sexualidade na terceira idade. O perfil sociodemográfico, as habilitações e a experiência profissional apresentam relações significativas com os conhecimentos e atitudes avaliados, reforçando a necessidade de formação na área da sexualidade na terceira idade, como forma melhorar a qualidade dos serviços e o reconhecimento dos direitos das pessoas idosas.
Contém referências bibliográficas
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Representações sociais
Dissertação
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Inovação e Qualidade na Produção Alimentar
Trabalho de Projeto apresentado às Escolas Superior de Educação e de Saúde Dr. Lopes Dias do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física na especialidade de Gerontomotricidade.
Esta investigação tem como objetivo determinar qual a capacidade funcional e a composição corporal (IMC) de idosos sedentários e com prática de atividade física formal e não formal. Amostra composta por 90 idosos voluntários de ambos sexos, aparentemente saudáveis, com idades compreendidas entre 65 e 93 anos, com uma idade média de 75 ± 8 anos. O estudo baseou-se na aplicação da bateria de Rikli & Jones (1999) para avaliar a capacidade funcional dos idosos e o IMC foi avaliado através das medidas antropométricas. Os dados obtidos foram tratados através da análise de variância (SCHEFFÉ). Nos indivíduos que praticam atividade física formal, os resultados obtidos foram significativamente (p ≤ 0,05) melhores em todas as provas, em comparação com os indivíduos sedentários. Nos Indivíduos que praticam atividade física não formal, os resultados obtidos foram significativamente (p≤ 0,05) melhores em quatro provas da bateria. Os resultados indicam que a prática de sessões de exercício supervisionado e com objetivos quanto à intensidade e tipo de exercício, contribui para a melhoria da capacidade funcional e do IMC, da população idosa.
Trabalho de projeto apresentado à Escola Superior de Educação de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Apesar de ser cada vez maior a acessibilidade às TIC e de haver cada vez mais um maior número de dispositivos digitais a sua utilização tem estado confinada, principalmente, aos mais jovens e aos cidadãos que apresentam níveis superiores de literacia. Quer isto dizer, que na presente sociedade da informação, há uma «fractura digital» que engloba ainda um número significativo de cidadãos: mulheres, desempregados, cidadãos com baixos índices de literacia e os idosos. Estamos conscientes que o mundo se encontra num processo de envelhecimento e, como consequência, esta faixa de cidadãos será cada vez mais numerosa tornam os idosos como um grupo prioritário no sentido de se promoverem acções que permitam a sua info-inclusão. A presente comunicação tem como objectivo alertar para a necessidade de se tomarem iniciativas que visem a formação dos idosos em TIC para que esta sociedade da informação seja, realmente, info-inclusiva.
Contém referências bibliográficas
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Sustentabilidade dos Sistemas Florestais
Dissertação apresentada à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Sustentabilidade dos Sistemas Florestais
Num mesmo organismo pluricelular existem diferentes tipos de células e as diferenças são induzidas pelo controle dos genes que são transcritos (activados) em cada célula. Algum processo deverá actuar no DNA para que esses diferentes tipos de células se formem durante o desenvolvimento do ser vivo, de outra forma, todas as células somáticas do organismo, possuidoras da mesma carga cromossómica, seriam idênticas. O processo de controle da transmissão de genes activados e desactivados, de uma geração de células às seguintes, ainda não está bem esclarecido. O que se sabe é que muitas células mantêm as suas características únicas quando são estabelecidas em cultura in vitro. Os mecanismos regulatórios envolvidos devem ser estáveis e, uma vez estabelecidos, são transmitidos às células-filha quando a célula se divide. Existem vários modelos para explicar os mecanismos da regulação génica. A metilação do DNA (uma modificação química que se observa pela ligação de um grupo metil ao carbono 5 da citosina - Fig. 1), suprime a transcrição de determinados genes e também promove a alteração da estrutura da cromatina para formas mais condensadas. Mas, o modelo proposto para explicar a influência da metilação do DNA na expressão génica, não deixa de ser polémico pois, para uma grande parte dos genes envolvidos nesse último fenómeno, torna-se necessário o controle adicional de determinadas proteínas regulatórias. Pretendemos expor alguns dos argumentos e evidências a favor e contra a relação causal entre a expressão génica e a metilação do DNA e, em particular, a influência deste processo nos fenómenos da inactivação dos genes, da marcação parental do genómio, da diferenciação e do envelhecimento das células e organismos.
Relatório de Projeto Final de Curso de Licenciatura em Design de Interiores e Equipamento apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
O envelhecimento determina a necessidade de intervenções no âmbito da promoção da saúde. Com o avançar da idade, a deterioração estrutural e funcional ocorre na maioria dos sistemas fisiológicos, mesmo na ausência de doença. Alterações do equilíbrio, mobilidade limitada e medo de quedas são frequentemente mencionados como principais factores de risco de quedas, contribuindo para o risco de fracturas, admissões hospitalares, requisição de cuidadores, institucionalização e até morte. A evidência sugere que a actividade física regular traz benefícios substanciais à saúde dos idosos. Materiais e Métodos Estudo comparativo e longitudinal. Amostra de conveniência, constituída por 25 indivíduos, residentes na comunidade. Os sujeitos foram incluídos num dos grupos em estudo (protocolo de classe de movimento no solo - 9 indivíduos; protocolo de hidroterapia – 16 indivíduos). Foi aplicado previamente o MMSE, para avaliar a ausência de défice cognitivo nos adultos idosos. A média de idades dos participantes foi de 69,08 (±7,16) anos e o IMC de 28,56 (±3,49). Os instrumentos utilizados foram a Escala de Equilíbrio de Berg, a Falls Efficacy Scale, o Timed Up Test and Go, o SF-12-V2. A recolha de dados foi realizada no início e final da intervenção, que se realizou durante 4 semanas. Resultados Os grupos em estudo não apresentavam diferenças significativas antes da intervenção, com excepção da dimensão mental do SF-12-V2. Ambos os grupos revelaram melhorias significativas na dimensão física do SF-12-V2, no equilíbrio, no risco de quedas e na mobilidade. Na comparação entre grupos o grupo que realizou exercícios no solo apresenta maiores ganhos no equilíbrio e no risco de quedas, com diferenças estatisticamente significativas relativamente ao grupo que realizou hidroterapia. Conclusão A realização de um protocolo de exercícios no solo mostrou-se mais efectivo para o equilíbrio e o risco de quedas.
O ergodesign no contexto do idoso conjuga as áreas da ergonomia e do design, no sentido de estudar o envelhecimento de uma forma geral, numa perspectiva de diversidade das populações, com o objectivo de optimizar o bem-estar bio-psico-social humano e o desempenho global/eficiência do sistema Homem-Meio (segundo as necessidades –segurança, conforto-, capacidades, características, competências, limitações), tendo em conta a actividade e tarefa do target, neste caso específico, ao interagir no espaço exterior.
Atualmente Portugal, é um dos países mais envelhecidos da Europa representando as pessoas idosas 19% do total da população. Existe um vasto campo de investigação e reflexão sobre as políticas públicas para este setor, tendo em vista não só a resolução de problemas, mas também o desenvolvimento de políticas públicas de envelhecimento ativo num contexto de maior respeito da população idosa e segundo um novo paradigma de intervenção com maiores oportunidades de educação, participação social e bem-estar. Neste contexto, surge este projeto de investigação de doutoramento em Política Social, que pretende identificar os fatores socioculturais que influenciam a escolha na aprendizagem das Tecnologias de Informação e comunicação (TIC), no âmbito em que se inscreve a formação ao longo da vida. O envelhecimento é consequência da nossa base filogenética, da nossa hereditariedade, do meio físico, social, cultural, político, económico e tecnológico de uma sociedade. Porém, observa-se uma grande heterogeneidade entre as pessoas, ao nível do seu processo de envelhecimento, e a própria dimensão do envelhecimento da população mundial desencadeia uma consciência inquietante da necessidade de se intervir junto da população, colocando o envelhecimento como macrotendência e como problema social que a sociedade e o Estado têm de enfrentar nos próximos anos. A Sociedade da Informação e do Conhecimento, definiu novas possibilidades e limites para as pessoas idosas, com a introdução das TIC mudou de acesso à produção de conhecimento. A utilização do computador e da Internet tornou-se, não só num imperativo dos sistemas ensino-aprendizagem, como condição de inclusão de todos os cidadãos. A formação ao longo da vida ou aprendizagem ao longo da vida (ALV) em combinação com as abordagens propostas pelas políticas de educação de adultos podem ser ampliadas e mais bem-sucedidas através de um contexto digital com as TIC. Todos estes desafios não podem ser enfrentados apenas pelo Estado Social, exigindo uma ressocialização das sociedades civis, sendo necessário investir em políticas públicas de educação mais ativas no campo da qualificação do capital humano, e promover ações de empowerment, que intensifiquem a capacitação resiliente da população idosa.
O aumento da esperança de vida e o envelhecimento da população são desafios à capacidade de suporte intergeracional nas sociedades desenvolvidas. A idade, a incapacidade funcional e a deterioração do estado de saúde são fatores de institucionalização. O envelhecimento ativo, ao preservar a autonomia e funcionalidade, permite manter os indivíduos nas suas comunidades. As mudanças na estrutura das famílias e a crescente mobilidade dos seus elementos colocam novos problemas, para os quais são necessárias novas respostas. OBJECTIVOS: Identificar formas de manutenção da funcionalidade, monitorizar a autonomia após institucionalização e Identificar modelos alternativos. MATERIAIS E MÉTODOS: Apresentam-se dados de 2 estudos. a) Avaliação de um programa de fisioterapia com idosos institucionalizados (n=30) e b) Avaliação da capacidade de realização de AVD's básicas e instrumentais (n=27) após institucionalização, durante 6 meses, com um grupo de controlo (n=30) a viver na comunidade. RESULTADOS: No primeiro estudo os resultados revelam ganhos significativos em todas as variáveis controladas. No segundo estudo os idosos institucionalizados revelam um decréscimo mais acentuado nas AVD's básicas e nas instrumentais. DISCUSSÃO: A participação num programa de atividade revela uma reserva funcional que pode ser mobilizada, traduzindo-se em melhores níveis de funcionalidade e autonomia. Indivíduos que passam a ter suporte externo para a realização das AVD's parecem reduzir significativamente a capacidade para a sua realização. CONCLUSÃO:Manter a funcionalidade e a autonomia devem ser hoje objetivos integrantes de um envelhecimento ativo e apresentam-se como desafios para a solidariedade intergeracional, no que diz respeito ao objetivo de manter os idosos nas suas comunidades. Alguns exemplos de modelos alternativos à institucionalização devem ser explorados e aprofundados.
Artigo apresentado como comunicação no II Simpósio Nacional de Olivicultura que decorreu em Évora de 7 a 9 de Março de 2000.
O envelhecimento do tecido empresarial agrícola é, normalmente, apontado como um estrangulamento à modernização e reconversão das explorações agrícolas. A definição e implementação de políticas de apoio à instalação de jovens agricultores é um dos vectores possíveis para contrariar esta tend6ncia de envelhecimento que se verifica na maioria dos países europeus. Em Portugal as políticas de apoio à instalação e ao investimento de jovens agricultores iniciaram-se em 1986, com a entrada na (então) Comunidade Económica Europeia e foram postas em prática através dos mecanismos previstos na PAC. Contrariamente, noutros países, nomeadamente em França sempre existiu uma política nacional que, conjugada com a PAC tem permitido uma elevada taxa de instalação de jovens agricultores e contribuído, decisivamente, para o rejuvenescimento da população agrícola com a consequente dinâmica inerente a este facto. Nesta comunicação pretendemos analisar três modelos de políticas de apoio a jovens agricultores que são os utilizados em Portugal, Espanha e França. Proceder-se-á a uma análise comparativa das políticas, evidenciando os principais instrumentos de apoio, no respeitante aos aspectos formativos, informativos, estruturais e financeiros.
A atual sociedade do conhecimento é também uma sociedade do envelhecimento. As Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), em particular o computador e Internet, e envelhecimento da população são duas tendências sociais que merecem ser analisadas. Em Portugal, os seniores apresentam um elevado índice de solidão, isolamento social e exclusão digital. Tal afastamento das TIC constitui uma grande desvantagem para esta faixa etária. É necessário refletir sobre as possíveis razões que poderão manter o cidadão sénior afastado das TIC, perceber como decorre a sua aproximação, que tipo de uso fazem e os impactos no seu bem-estar mental e social de forma a implementar políticas de educação com vista à inclusão digital dos seniores.