Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for idosos and 1,083 records were found.

Diapositivo 1: Avó, filhos e netos
A presente comunicação pretende evidenciar a necessidade de se criar um «Currículo Digital de 3ª Geração» para que inclua os idosos na sociedade da Informação e do Conhecimento. Para o efeito, serão apresentadas as principais iniciativas da União Europeia e de Portugal, em particular, relacionadas com a promoção da utilização das TIC pelos cidadãos mais idosos. Tendo em consideração o incremento do envelhecimento no seio da União Europeia e também a realidade de Portugal, torna-se urgente discutir e reflectir acerca de quais as medidas que se devem implementar para que os idosos deixem de ser um grupo de cidadãos info-excluídos. Neste sentido, a criação de condições para o envolvimento dos idosos na utilização de meios tecnológico/digitais deverão construir uma prioridade como forma de proporcionar um adequado envelhecimento activo.
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Apesar de ser cada vez maior a acessibilidade às TIC e de haver cada vez mais um maior número de dispositivos digitais a sua utilização tem estado confinada, principalmente, aos mais jovens e aos cidadãos que apresentam níveis superiores de literacia. Quer isto dizer, que na presente sociedade da informação, há uma «fractura digital» que engloba ainda um número significativo de cidadãos: mulheres, desempregados, cidadãos com baixos índices de literacia e os idosos. Estamos conscientes que o mundo se encontra num processo de envelhecimento e, como consequência, esta faixa de cidadãos será cada vez mais numerosa tornam os idosos como um grupo prioritário no sentido de se promoverem acções que permitam a sua info-inclusão. A presente comunicação tem como objectivo alertar para a necessidade de se tomarem iniciativas que visem a formação dos idosos em TIC para que esta sociedade da informação seja, realmente, info-inclusiva.
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos dependentes
A presente comunicação insere-se no âmbito de um estudo de caso de natureza qualitativa, realizado numa turma de informática da Universidade Sénior Albicastrense (USALBI) durante o ano letivo 2010/2011, com o objetivo de compreender o contributo do Facebook na promoção do envelhecimento ativo. Genericamente, este estudo consistiu na observação não participante dos idosos da turma de informática, na realização de entrevistas semiestruturadas aos idosos e á professora de informática e também na aplicação de uma grelha de exploração cronológica baseada nas funcionalidades do Facebook. Os resultados deste estudo permitiram constatar que o Facebook é uma rede social digital extensível a todas as idades, é uma ferramenta digital que promove a socialização, combate o isolamento, contribuindo igualmente para uma aprendizagem ao longo da vida, permitindo criar condições para que os idosos possam ter um mais adequado envelhecimento ativo.
Dissertação apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco com vista à obtenção do grau de Mestre em Actividade Física na Especialidade de Gerontomotricidade.
O processo de envelhecimento promove um conjunto de perda de capacidades em diferentes níveis: físico, cognitivo, emotivo e social. A Iniciativa i2010: Plano de Acção «Tecnologias da Informação e das Comunicações e Envelhecimento», promovida pela União Europeia, visa a promoção de medidas e de ações que permitam uma melhor qualidade de vida para os cidadãos mais idosos. A Iniciativa i2010 pretende que sejam atingidos três diferentes domínios com as TIC mas com um enfoque nas tecnologias assistivas digitais: 1. Envelhecer bem no trabalho; 2. Envelhecer bem na comunidade; 3. Envelhecer bem em casa. É nesta última vertente que se pretende apresentar uma proposta que visa a criação e adaptação de dispositivos tecnológicos digitais que permitam uma monitorização das rotinas dos cidadãos mais idosos, salvaguardando-se todos os aspetos éticos e de privacidade, mas que seja potenciadora de um novo «ambiente» onde os cuidadores possam intervir sempre que for necessário de uma forma atempada em termos de salvaguarda do bem-estar e segurança dos cidadãos mais idosos. A conceção, o desenvolvimento e a implementação dos dispositivos digitais serão enquadrados nos projetos da Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e das Telecomunicações (3º ano) na Escola Superior de Tecnologia do Instituo Politécnico de Castelo Branco.
Dependência idosos
Portugal tem vindo a incrementar os seus índices de envelhecimento, tal como tem acontecido na maioria dos restantes países da EU, EUA e Japão. Estes adultos idosos não tiveram, na sua grande maioria, uma exposição às TIC quer durante a sua formação académica quer durante a sua vida ativa. Como consequência destes factos, os relatórios nacionais e internacionais têm vindo a demonstrar que estes cidadãos se encontram no grupo de info-excluídos. Dado que a atual sociedade de ‘move’ num ambiente digital faz com que quem não domine ou não possua uma literacia digital se veja socialmente excluído. Neste sentido, é premente a necessidade de se promoverem iniciativas que venham contribuir para a criação de ambientes ‘personalizados’, adequados às necessidades e aos perfis de formação que são requeridos pelos adultos idosos. A aprendizagem ao longo da vida em combinação com as abordagens propostas pela andragogia podem ser ampliadas e mais bem sucedidas através de um contexto digital com as TIC.
Idosos
Idosos
O progressivo envelhecimento das sociedades mais desenvolvidas á uma realidade com a qual os diferentes se têm vindo a confrontar Ao mesmo tempo, a sociedade tem vindo a consolidar, cada vez mais, uma maior tendência para incluir, em todos os domínios sociais, as plataformas digitais numa sociedade que se intitula como «Sociedade da informação e do Conhecimento». Como consequência, todos os cidadãos vêm adotando condutas e comportamentos que os «obrigam» a utilizar ferramentas digitais (ex: portais, plataformas, emails...) no seu dia-a-dia como, por exemplo, para atividades associadas ao e-governo ou para atividades relacionadas com o processo educativo (ex: c-Lcaming). Para que estes novos comportamentos se possam efetivar é condição necessária e fundamental que todos os cidadãos dominem estas ferramentas digitais, ou seja, tenham níveis aceitáveis de literacia digital que lhes permitam ser considerados como cidadãos infoincluidos. Contudo, na presente sociedade, existem ainda grupos que ainda são info-excluídos e, como tal, encontram-se marginalizados do ponto de vista digital. Diversos estudos e relatórios nacionais e internacionais têm vindo a demonstrar que o grupo dos cidadãos info-excluídos é constituído, maioritariamente, pelas mulheres, pelos desempregados, por ‘indivíduos com níveis baixos de escolaridade e...pelos adultos idosos. Atendendo ao Facto que o número de cidadãos mais idosos terem vindo a aumentar nas últimas décadas, é importante e fundamental que se promovam medidas e condições para que se inverta a presente situação. Quer isto dizer que é urgente promover a infoinclusão dos adultos mais idosos através de uma formação que lhes permita aceder e utilizar as TIC. Não se trata apenas de uma infoinclusão mas, sobretudo, de uma inclusão social de modo a que os cidadãos mais idosos se sintam verdadeiramente integrados na presente sociedade cada vez mais digital. Neste sentido, pretende-se abordar e avaliar de uma forma crítica e reflexiva quais as estratégias mais adequadas e quais as condições para que se possam promover ações educativas de formação para os adultos mais idosos no âmbito das TIC.
Idosos institucionalizados
Enfermagem para idosos
O estudo analisou 16 entrevistas semiestruturadas a idosos de um centro de dia (LA), concelho de Castelo Branco. Utilizamos a metodologia de análise de conteúdo, holística ao conteúdo narrativo e do discurso do sujeito social. Demonstrou-se que o elemento mais importante da alimentação ou comida coletiva para idosos é a convivência, amizade com os companheiros/as e a sociabilidade/socialização, mais que o tipo de comida servida.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Dissertação Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Nas últimas décadas, as sociedades têm suportado um grande desafio: o envelhecimento da população. As principais razões podem estar relacionadas com a diminuição da taxa de fecundidade, aumento da esperança média de vida, melhoria nos cuidados de saúde e pela incorporação de hábitos de vida mais saudáveis. Presentemente, a sociedade digital implica que todos os cidadãos sejam dotados de competências digitais. Neste caso, em particular, e dado que a população idosa é referenciada como uma população infoexcluída, é urgente criar condições para que se promova a sua inclusão digital que lhes permitirá uma verdadeira inclusão social, proporcionando assim um melhor envelhecimento ativo. Atendendo à degeneração fisiológica e cognitiva associada ao envelhecimento, é importante que se promovam iniciativas que previnam situações que possam aumentar as demências junto dos idosos. Este artigo apresenta os resultados de uma investigação que pretendeu averiguar se a utilização das aplicações digitais (APPs) Peak &Neuronation podem contribuir para o envelhecimento ativo dos idosos, no que diz respeito ao treino cognitivo que as mesmas proporcionam. Foram envolvidos 18 idosos da USALBI (Universidade Sénior Albicastrense), onde se efetuou uma observação não-participante em 12 sessões práticas. Foi também envolvido um especialista em Gerontologia Social e um especialista na área das TIC, através de entrevistas semiestruturadas a fim de averiguar as suas opiniões referentes às aplicações digitais envolvidas no estudo. Após a triangulação dos dados é possível afirmar-se que as opiniões recolhidas foram consensuais relativamente à mais valia das APPs Peak & Neuronation no treino cognitivo, onde se envolveram as valências de memória; linguagem; agilidade mental; raciocínio; velocidade; flexibilidade; coordenação; atenção; foco; concentração; perceção; resolução de problemas; cálculos mentais; emoção e força de vontade. Decorrente da análise dos dados, constatou-se que as APPs podem ser referenciadas como ferramentas digitais no âmbito do treino cognitivo dos idosos
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de castelo Branco, com vista à obtenção do grau de Mestre em Actividade Física, na Especialidade de Gerontomotricidade.
O envolvimento do comportamento alimentar nos idosos permite compreender as relações socio-afetivas, com a promoção da saúde, o nível de satisfação e qualidade de vida, reconhecendo que há diversos fatores (biológicos, sociais e psicológicos) relacionados com as práticas alimentares. A investigação qualitativa realizada com 40 idosos (idades entre 65 anos e 95 anos), frequentadores de centros de dia do concelho de Castelo Branco (E1, E2, L1, L2) teve como objetivo: compreender o significado da componente socio-afetiva da alimentação no quotidiano naqueles idosos; identificar os aspetos situacionais envolventes ao seu comportamento alimentar. Aplicamos entrevista semiestruturada (14 questões) em aberto, além dos itens de identificação utilizando no seu tratamento (análise de conteúdo) o discurso do sujeito coletivo, sendo as respostas agrupadas por questões, destacando as “evidências narrativas” do conteúdo discursivo, devidamente agrupados em “nexos com a ideia central correspondente” para formar o discurso do coletivo. Concluímos que os idosos não mostraram muita relação “pregressa” com a alimentação, tendo a maioria sentindo saudades dos momentos alimentares com a família ou conjugues. As narrações convergem para o “agora” com os amigos dos centros de dia, proporcionando a alimentação vínculos socio-afetivos, amizades, convívio, etc. – “comer em companhia”.
Idosos
Idosos
Idosos
Idosos
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gerontologia Social.
Idosos
Idosos dependentes
Idosos
Idosos
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Atividade Física.