Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for informação and 6,307 records were found.

Proviniênte do ex-Centro de Documentação Europeia do Instituto Politécnico de Castelo Branco
Contém: vol. 1 : A sociedade em rede
Descrição baseada em: Ano 14, nº 97 (Maio 1998)
Desc. baseada em: Nº 19 (Set./Out. 2007)
O presente trabalho tem como objetivo identificar a relação existente entre as comunidades de passeriformes que nidificam na região Centro de Portugal e a composição e estrutura da paisagem desse território. Procurou-se, igualmente, verificar a importância da rugosidade do terreno na distribuição destas comunidades. Identificaram-se um conjunto de indicadores espaciais (métricas da paisagem e variáveis morfométricas) que, no seu conjunto, caracterizam a estrutura da paisagem, bem como as tipologias fisionómicas de habitat passíveis de determinar a distribuição das comunidades de passeriformes nidificantes. A informação referente ao uso e ocupação do solo foi processada no programa QGIS, com recurso ao plug-in LecoS. Os dados produzidos, juntamente com a informação referente à presença/ausência das espécies de aves, foram posteriormente submetidos a uma análise estatística multivariada com o intuito de correlacionar a ocorrência das espécies com a estrutura da paisagem e topografia. O desenvolvimento deste trabalho permitiu verificar que, embora seja possível obter resultados para as métricas da paisagem por classes de uso, existem no entanto limitações na obtenção de valores referentes às métricas para a matriz de uso na sua totalidade.
A crítica da tecnociência acontece como consequência da implementação do processo industrial de produção em massa e as consequentes condições de trabalho dos operários, e mais tarde com o trauma da Primeira Guerra Mundial, com seus campos de concentração, e as suas bombas atómicas que tomaram milhões de vias no decurso de inúmeras batalhas. É neste contexto posterior às guerras que os intelectuais e os políticos fazem renascer os valores humanistas. Estes renascem das cinzas de um mundo devastado e caótico. Estes valores ressuscitados permitem-nos distinguir o antes e o depois das guerras mundiais. É neste contexto, que todos os políticos e intelectuais tentam colocar-se como barreiras para impedir uma nova barbárie. É por isso que nasce na segunda metade do século XX a utopia cibernética – a utopia da informação.
Dissertação apresentada à Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco do Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Desenvolvimento de Software e Sistemas Interativos, realizada sob a orientação científica do Professor Doutor Osvaldo Arede dos Santos, do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Descriçäo baseada em: Ano 1, nº2-4 (Jan./Set. 1991)-
Segundo os dados do último Inventário Florestal Nacional (IFN6 – 2010), a floresta representa 35% da ocupação do solo de Portugal Continental. O eucalipto é a principal ocupação florestal do Continente seguindo-se o sobreiro e o pinheiro bravo. A área total de pinheiro bravo tem vindo a diminuir por contraste ao aumento da área de eucalipto, uma espécie exótica. A ocorrência dos incêndios florestais tem tido uma influência muito importante na dinâmica anterior. Daí a análise dos padrões da paisagem e dos vetores de mudança serem essenciais para efeitos da conservação/promoção da biodiversidade e da mitigação do perigo de incêndio os quais devem ser incorporados nos programas de gestão florestal. Os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) têm vindo a ser extensivamente usados em Silvicultura para apoiar a gestão florestal, quer ao nível do inventário e monitorização de recursos mas também na análise, modelação e simulação para o apoio à tomada de decisão. Visto que os SIG têm a possibilidade de incorporar a componente espacial no planeamento do uso do solo e nos modelos de simulação, o desenvolvimento de ligações entre os modelos florestais e o SIG proporciona aos gestores florestais uma maior flexibilidade na determinação da produtividade das espécies e das suas exigências, e permite aos decisores políticos uma oportunidade acrescida para avaliar os efeitos de critérios de gestão alternativos da floresta. Pretende-se com este trabalho apresentar dois estudos de caso de aplicações SIG desenvolvidas respetivamente, no âmbito dos cursos de mestrado em SIG e em Tecnologias da Sustentabilidade dos Sistemas Florestais do IPCB, cujos resultados constituem elementos de suporte fundamentais para a gestão sustentável dos espaços florestais. Assim, apresentam-se as cartas de aptidão para quatro espécies e a carta de potencialidade produtiva para o pinheiro bravo desenvolvidas em ambiente SIG para uma área de estudo dominantemente ocupada por florestas e de elevado perigo de incêndio. A cartografia de aptidão das espécies recomendadas para a área de estudo em conjugação com a cartografia da potencialidade produtiva do pinheiro bravo permite suportar a planificação do uso do solo segundo as funções identificadas nos Planos Regionais de Ordenamento Florestal: produção; proteção; conservação dos habitats, de espécies de fauna e da flora e de geomonumentos; silvopastorícia, caça e pesca em águas interiores; e recreio, enquadramento e estética paisagem. Nas áreas com função produção permitirá implementar um plano de gestão florestal sustentável por forma a aumentar a produtividade da floresta de pinheiro bravo. Em projetos futuros pretende-se desenvolver aplicações SIG para a simulação ou o processamento de modelos, sabendo porém que esta é uma das áreas mais desafiadoras em SIG. Perspetiva-se porém, que se venham a observar futuros desenvolvimentos nesta área à medida que a investigação e as ferramentas para apoiar este tipo de aplicação se tornem mais frequentes.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco e à Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa.
Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco e à Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa.
O impulso à crescente integração das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na educação conheceu um significativo recrudescimento por ocasião da emergência e popularização da noção da Sociedade da Informação e do Conhecimento. Atendendo às novas realidades sociais, resultantes do envelhecimento da população é estimulante o debate e a subsequente ação política para definição de políticas públicas destinadas à rápida adequação multidimensional desta problemática e à nova forma de organização social. Atualmente a resolução de problemas num contexto de maior respeito pelos direitos da população sénior é fundamental, tendo em conta um novo paradigma de intervenção com maiores oportunidades de formação ao longo da vida, participação social e melhor qualidade de vida para estes cidadãos. Neste contexto, surge este estudo, que se insere num projeto de investigação., que tem como objetivo geral identificar os fatores socioculturais que influenciam e condicionam a escolha na aprendizagem das TIC, em populações 50+ e conhecer os impactos no bem-estar destas populações ao longo do processo de envelhecimento. Os resultados obtidos poderão sensibilizar a sociedade civil para a importância da aprendizagem ao longo da vida em geral e para a aprendizagem das TIC em particular.
Este trabalho analisa as motivações que levam os mais velhos a aprenderem informática, procurando descortinar quais os interesses subjacentes. Dessa forma procura-se compreender a forma como os mais velhos vêm a informática e o uso dos computadores, como a forma de integração na sociedade. Pretende-se ainda investigar quais as modificações ao nível das estruturas relacionais, nomeadamente na forma como o computador auxilia e aproxima as redes sociais do idoso e a forma como a informática poderá facilitar e ajudar, no processo de envelhecimento. A investigação centrou-se sobre a vivência de aprendizagem dos alunos da Universidade Sénior Albicastrense, recorrendo a técnicas de observação e entrevista, os dados recolhidos foram analisados à luz da metodologia Grounded Theory, usando para isso a codificação por conceitos-chave. A primeira conclusão é o facto de se verificar uma nítida divisão de grupos, fruto dos interesses individuais, nomeadamente: • Aqueles que pretendem adquirir e/ou incrementar a sua base de conhecimentos, ao nível das tecnologias da informação e simultaneamente desmistificar o seu uso. • Os que pretendem uma maior integração, junto das diferentes redes sociais, nomeadamente ao nível familiar, verificando-se ainda uma inversão de papéis, em que as gerações mais novas são a base do conhecimento. • Aqueles que pretendem utilizar as tecnologias da informação e comunicação, como forma de aproximação virtual aos diferentes sistemas (família, amigos,…) alargados e dispersos, com recurso à internet • Outra das conclusões a destacar é o facto de a internet ser considerada o principal motivo da aprendizagem, nomeadamente pelo acesso facilitado à informação, a aproximação aos seus e a manutenção das capacidades cognitivas dos mais velhos. • Durante o decorrer do trabalho serão apresentadas uma série de ideias, que possibilitarão a simplificação do processo de integração com a informática.
Este trabalho analisa as motivações que levam os mais velhos a aprenderem informática, procurando descortinar quais os interesses subjacentes. Dessa forma procura-se compreender a forma como os mais velhos vêm a informática e o uso dos computadores, como a forma de integração na sociedade. Pretende-se ainda investigar quais as modificações ao nível das estruturas relacionais, nomeadamente na forma como o computador auxilia e aproxima as redes sociais do idoso e a forma como a informática poderá facilitar e ajudar, no processo de envelhecimento. A investigação centrou-se sobre a vivência de aprendizagem dos alunos da Universidade Sénior Albicastrense, recorrendo a técnicas de observação e entrevista, os dados recolhidos foram analisados à luz da metodologia Grounded Theory, usando para isso a codificação por conceitos-chave. A primeira conclusão é o facto de se verificar uma nítida divisão de grupos, fruto dos interesses individuais, nomeadamente: • Aqueles que pretendem adquirir e/ou incrementar a sua base de conhecimentos, ao nível das tecnologias da informação e simultaneamente desmistificar o seu uso. • Os que pretendem uma maior integração, junto das diferentes redes sociais, nomeadamente ao nível familiar, verificando-se ainda uma inversão de papéis, em que as gerações mais novas são a base do conhecimento. • Aqueles que pretendem utilizar as tecnologias da informação e comunicação, como forma de aproximação virtual aos diferentes sistemas (família, amigos,…) alargados e dispersos, com recurso à internet • Outra das conclusões a destacar é o facto de a internet ser considerada o principal motivo da aprendizagem, nomeadamente pelo acesso facilitado à informação, a aproximação aos seus e a manutenção das capacidades cognitivas dos mais velhos. • Durante o decorrer do trabalho serão apresentadas uma série de ideias, que possibilitarão a simplificação do processo de integração com a informática.
Este trabalho foi desenvolvido no âmbido do Projecto Final do Mestrado em SIG. Consistiu no estudo da evolução da paisagem a partir de cartas de coberto/uso do solo obtidas por detecção remota, num período de 17 anos (1990-2007), na região Interior Centro do país (Beira Interior Sul e Pinhal Interior Sul), bem como a influência da dinâmica das unidades de paisagem sobre as aves nidificantes dessa região, utilizando softwares específicos. Constituíu-se como objectivo deste trabalho, analisar a dinâmica temporal da paisagem na referida área e verificar a sua correlação com a dinâmica populacional da avifauna nidificante, pressupondo-se que tenha ocorrido alteração nessa mesma região. Propõe-se com este estudo verificar a hipótese de haver correlação entre a composição e estrutura da paisagem com a riqueza de espécies nidificantes. Na metodologia, foram usadas métricas de paisagem para quantificar a paisagem da área de estudo em duas datas distintas (1990 e 2006) a partir de informação do CORINE Land Cover 1990 e CORINE Land Cover 2006, bem como dos Atlas das Aves Nidificantes de 1989 e 2005, de modo a extrair a informação relativa à presença/ausência das espécies de avifauna nidificante. Paralelamente, foi feita uma harmonização das classes de ocupação de solo com os habitats caracterizantes dos grupos de espécies de aves. Finalmente, foi feita uma análise temporal da variação das unidades de paisagem e paralelamente a análise da variação do número de espécies para posterior verificação da correlação entre estas duas variáveis. Os resultados revelaram que houve fragmentação da paisagem, principalmente a nível dos sistemas florestais, ao longo dos 16 anos. Em termos de recolha de informação, a escala revelou ser um elemento fulcral na análise e comparação dos dados, visto a informação presente nos dois Atlas ter sido recolhida a diferentes escalas. Por fim, existe correlação entre a estrutura e composição que define a paisagem com a riqueza de espécies presentes, com excepção das classes relativas a florestas e tecido urbano. Em suma, os resultados demonstraram que os SIGs são muito úteis para estes processos de verificação e validação de fenómenos, como também para uma visão prospectiva dos mesmos.
Dissertação apresentada ao Instituto Politécnico de Castelo Branco para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Educação Especial – Domínio Cognitivo e Motor.
Dissertação apresentada com vista à obtenção do grau de Mestre em Infra - Estruturas de Construção Civil, Instituto Politécnico, Escola Superior de Tecnologia, Castelo Branco, 2012
Tese de doutoramento em Engenharia de Produção e Sistemas, Universidade do Minho, 2004
A gestão eficaz da actividade apícola de uma região só é possível se existir um mecanismo de ordenamento dessa mesma actividade. Por outro lado, os Sistemas de Informação Geográfica são uma ferramenta indispensável para o planeamento e gestão do território. Os Concelhos do Crato e de Portalegre, apresentam boas condições edafo-climáticas para a prática apícola, apresentando uma floração sucessiva e diversificada, o que conduz à riqueza da flora melífera na região e à produção de um mel de excelente qualidade. A área de estudo encontra-se na zona Controlada sob gestão da Apilegre – Associação dos Apicultores do Nordeste do Alentejo. Neste contexto, pretende-se integrar os parâmetros biofísicos, através de uma metodologia de análise espacial, para elaborar uma carta de potencial apícola, identificar possíveis conflitos na localização geográfica de apiários e ainda representar a distribuição espacial da ocorrência de doenças nas colmeias. As cartas de zonas com potencial apícola e as zonas interditas são elementos importantes no apoio ao ordenamento apícola. Neste estudo foram identificados nove apiários em zona interdita.
Relatório de Estágio do curso de Engenharia de Produção Florestal, apresentado à Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco.